.

.

domingo, 9 de agosto de 2009

Blogueira também sofre - retificação

.
Gente fina, continuando a saga do "Blogueiro também sofre", na época, eu levei muita porrada sabe, o povo achou que eu estava exagerando, que eu era isso, aquilo e aquiloutro. Mas vocês, blogueiros fortes, me entenderam muito bem, haja vista(ou visto?eitcha linguinha doida) as preciosidades que falaram nos comentários. Eu estava viajando, voltei e estou deliciada. Então, aqui é a sequência do que escrevei lá atrás... quando o blogue me enlouquecia. Agora acostumei, fiquei enlouquecida e acho que é normal. Beijão, gente fina da minha vida internética.


Blogueira também sofre - retificação

Ok, preciso fazer uma retificação urgente.
Ontem eu disse que o blogueiro era anônimo. Não, nada disso. O Blogueiro é antes de tudo um forte, quase um nordestino da Net. Ele pode ser taxado de tudo, menos de anônimo. O pobre vai lá, cria um blog, especula sobre o que lhe é de direito e sobre o que nem tanto assim, critica, elogia, concorda e discorda, anima, desanima, elege, destrona.
É um palpiteiro nato.

Gente do céu, o blogueiro é um forte, praticamente um um nordestino. (acho que já falei isso, mas citação é assim, vem grudada uma palavra na outra e deságua sem querer).

Bem, dando sequência, enquanto a torcida do Corinthiãns critica anonimamente, exacerba no achismo, o blogueiro mata a cobra e mostra o pau. Ah, e como mostra.

Numa época em que as notícias são veladamente selecionadas, em que todos estão comprometidos com algum conglomerado, em que as verdades são fabricadas nos bastidores da notícia, vem lá o blogueiro, esse forte, desvinculado, livre como um pássaro dizer o que quer e o que não quer.

Enfim, se você tiver uma idéia incrível, é melhor fazer uma canção, está provado que só é possível filosofar em alemão, já disse o Caetano Veloso.

Ou faça um blog e desabafe sua indignacão, crie sua poesia sem editor, monte suas imagens sem patrocínio, edite seus filmes sem produtores executivos.

Vai blogueiro, vai ser gauche na vida. Nossa, aconteceu de novo.

Pra terminar a minha retificação, devo dizer que temos ao alcance das mãos, ou dos dedos, um meio de expressão bem democrático, altamente abrangente, inclusivo e onde vale tudo, como diria o finado Tim Maia, que se fosse vivo, teria um Blog.

E tenho dito.
.

6 comentários:

daufen bach. disse...

Olá Valkiria,
de blog em blog, parei aqui. muito prazer daufen bach. aqui lendo teu artigo e concordo contigo. blog é uma ótima ferramenta, sejam esses blogues de variedades, sejam blogs com temáticas específicas...outros puramentes comerciais.
aquela coisa de ter uma idéia na cabeça e não saber onde ir ou ter aquele grito enroscado e não ter lugar nenhum pra gritar, acabou...claro que achamos muita porcaria por aí...mas uma grande parte é gente esperta.

valeu pelo artigo. muito bom mesmo.
Abraço a ti e Parabéns pelo espaço!

Hammelinn disse...

I like your post

hugs

Fede Hammelinn

Montevideo - Uruguay

Walkyria Suleiman disse...

Fred, como estas?

Walkyria Suleiman disse...

Daufen, gostei muito dos teus poemas. É bom navegar, concordo com vc, e melhor ainda, é dar de cara com tesouros sumbmersos. Como teus poemas, tanta delicadeza e vigor.

G I L B E R T O disse...

Walkyrya

O blog é a estrada para todos os pensamentos...

A blogosfera é a ponte para todas as pessoa se encontrarem...

SEr blogueiro, confio e ratifico tua idéia, é ser um forte... Afinal, quem se não um forte tem a coragem de colocar suas visceras em prateleiras tão evidentes?

Abraços

Walkyria Suleiman disse...

Gilberto, tem que ser forte tbm pra fazer escolhas, pra assumir coisas, pra largar e, sobretudo, para amar. Você me parece assim.


voltar pro céu