.

.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Blogueira também sofre

Gente, olha só. Lá no comecinho do blog, em outubro de 2008, eu estava assoberbada com o próprio, nervous, agitada, até arrependida.
Ah, mudou tudo já. Agora não me arrependo de mais nada, perdi a vergonha na cara. Vou que vou e doa a quem doer, essa que é a verdade. Mas engraçado, que só dói em quem veste a carapuça. Hum...estranho né? Minha avó acharia super normal.

ok, beijos e queijos.




Em primeiro lugar, quero deixar claro que quando falo nós, me refiro a um certo tipo de pessoa, partindo do princípio que tem gente igualzinha a mim. Segundo, que quando digo “ fui criada num mundo”, me refiro a uma época, a uma determinada nação, sociedade. Nada do que eu digo vale pro Sudão, ou pra Europa Medieval, ou franceses, ou para os meninos da mangueira. Ou ainda, nada do que eu digo vale nada, a não ser para mim mesma.
.
Mas sabe, eu tenho que me identificar, ainda que seja assim, desse modo cheio de ego, que considera o mundo o quintal da minha mente.
.
Isto posto eu me pergunto: Onde estava eu com a cabeça quando resolvi criar este blog, expor minhas criações cotidianas, minhas idéias truncadas, minhas poesias escritas no século passado?
Criei um outro monstro dentro de casa. Não bastasse o contador, a secretária-eletrônica, o e.mail, o super-mercado, o condomínio, o telefone, agora tem o blog.
Arrumei uma lição de casa para sempre! Todo dia tenho que fazer, que criar, que baixar, que postar. Nossa Senhora do Blog, rogai por nós, pobres blogueiros anônimos, escondidos atrás de um computador, crentes do anonimato e tão perseguidos por seus egos.
.
Lógico, prestem atenção, lógico que falo por mim. Mas eu cresci com um imperativo categórico que dizia que quem cria, quem é artista, vê brotar suas criações como flores. Como aquelas marias-sem-vergonhas que nascem em qualquer lugar, de qualquer jeito, em qualquer terreno.
.
Pois é, comigo não é assim. Estou longe de ser essa planta exuberante que brota sem impecilhos. E o que dizer do dilema de decidir se o que mostramos é universal, serve a qualquer um - uma verdadeira idéia pret´a porter - ou se criamos uma exclusiva alta-costura, inacessível a qualquer outro ser, que não seu próprio criador?
.
Tô mais pra um ser humano normal que tem que esperar na fila da reencarnação, amargar nove meses - de ponta cabeça - na barriga alheia, e ainda dar um duro danado pra nascer.
.
Olha, não quero tirar a magia da criação nem nada, nem dizer que não gosto de pintar e bordar. Muito menos que os outros blogueiros sentem o que estou sentindo. Longe de mim, aceito até conselhos dos mais experientes, aqueles com o pé no mundo vegetal, que têm o prazer genuíno de verem suas idéias brotarem a cada amanhecer.
.
Só estou dizendo a verdade, na falta de outro assunto melhor.
Ou como diria a minha avó: onde fui amarrar minha égua?
outubro de 2008
.

8 comentários:

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Doe quem doer, as vezes é bom irmos sem vergonha mesmo!

Rê :) disse...

hauauaha, adorei! bjos, bom findi ;)

RONALDO DERLY RODRIGUES disse...

sou blogueiro e concordo plenamente,aonde fomos amarrar nossa égua,abraços,ronaldo.

Big clash disse...

Sabe o que eu fiz? Inventei um personagem, o Big Clash, um sujeito que sempre andou comigo desde muito tempo, como você é de um tempo e um lugar que estão tatuados em sua pele. é com o Big Clash que eu fujo quando a rotina do mundo real me sacaneia ao cubo...Mas ainda tem outra, sempre fui nômade e há algum tempo vivo em uma pequenina cidade do interior de Minas e tem dia que é flórida...como se não bastasse, olhe o que inveitei
http://daquidepitangui.blogspot.com/
Depois de ler sua postagem penso que sou um blogueiro Xiita em constante autoflagelação...:)
Abraços

Chá das Cinco disse...

Menina faço a tua as minhas palavras, quantas vezes eu acabei com o blog e dois dias depois eu estava arrependida rs
Fico sem postar uma semana, as vezes não tenho tempo para responder os amigos, é uma bagunça que agora estou organizando.
Gostei do post,fiquei aqui, sou tua mais nova seguidora.
Um abraço

Luciane Miranda disse...

hahaha
=D
com certeza é dureza
xD
rimooo

mas vale um esforço vaiii
xD
hehe
bacana aqui
;*

visite-me
;)

Sylvio. disse...

É bom que vcs, que blogam, existam?
É.
Da mesma forma que dúvidas com relação à égua amarrada existam para vcs, para nós leitores também elas estão presentes. Como: faço-me a pergunta: porque não escrevo?
Sem dúvida esse exercício melhora a escrita (o ato - e a maneira - de tirar de dentro de si um pensamento, uma idéia, um momento). Assim como melhora o padrão crítico, intelectual, pessoal, etc..., de quem a lê. Eu, no caso.
Gostaria de ser uma pessoa mais 'leve' (às vezes sou, às vezes não).
Espero poder tratar sempre bem de sua égua, gosto dela.
Abrçs.

Walkyria Suleiman disse...

Gente, vcs são demias. Cada comentário mais engraçado, bem-humorado e genial que o outro. ER vamos desamarrar a égua gente fina!


voltar pro céu