.

.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Pistas Definidas

.
.
Existe algo de patético
quando chegamos a uma certa idade onde, cotidianamente, vamos achando pistas - escondidas entre os minutos do dia, – pistas de um mapa de tesouro genético, onde você acaba por realizar, ainda que de má vontade, e eu diria até incredulamente, o quanto você está se transformando nos seus pais.

Pequenos gestos, a mania de colocar algum objeto de determinada maneira, ou de comer algo descascado de modo especial ...enfim.

Durante a vida, essas pequenas características, passam desapercebidas no turbilhão da juventude e nas dificuldades da vida adulta.

Mas quando começamos a amadurecer – outro nome bonito para envelhecer – essas pequenas excentricidades nos distinguem do resto do mundo, nos aproximando vertiginosamente
daqueles que tanto criticamos – por suas manias, ora- a vida toda.

Nesse mapa só posso concluir que a vida, além de tudo que pode ser dito dela, ainda é um território bem irônico, e, convenhamos, bem-humorado.

Se existe um condutor, ou capitão nessa sinfonia, ou marcha – forçada ou não – que fazemos ao longo das nossas vidas, de duas uma: ou ele é muito bem-humorado, ou morre de tédio.

Pois, analisando de um ângulo preciso, nós, humanos, somos todos tão parecidos.
.

51 comentários:

Squilibrato disse...

Ciao Walkyria! Si, puoi mettere una foto nel tuo blog. Quando l'hai messa avvisami... sono curioso!!! :)

Blog do Mensageiro disse...

Já parei pra refletir sobre estas pequenos manias e chego à mesma conclusão: herdamos padrões, fazendo coisas que anos antes recriminávamos e que se tornaram hábitos. Assim é, em ciclos, com bom humor e vitalidade. Bjs, Wal!

ju rigoni disse...

Seu texto me levou a diferentes reflexões. Registro aqui uma delas;a que me fez lembrar Quintana e seu "Velho do Espelho".

Bom te ler.

Bjs e inté!

Giovanna disse...

Olá Walkyria, amei sua visita e seu comentário... Moro, vivo,estudo e trabalho no Japão, amo esse país embora não tenha nenhuma descendência japonesa, mas foi aqui que aprendi o melhor da vida, do trabalho, da disciplina, dos valores adquiridos em nosso caminhar... ganhei espaço para fazer meu trabalho com amor e o que gosto de fazer. Estou aqui na Terra do Sol Nascente há 16 anos, cheguei aqui menina, tímida, sem saber pronunciar uma palavra... mas Deus foi me capacitando a cada dia na minha jornada... hoje tenho uma linda familia, um lindo marido, e lindos filhos (são tres, por parte do marido) e atualmente estou gravida, e me sinto linda,abençoada e apaixonada em todo o tempo... é esse o meu objetivo transmitir através do meu blog um pouco do que aprendi e deixar somente coisas simples da vida... o amor,a paz, a harmonia, a compreensão, através dos poemas, relatos, artigos, palavras, fotografia que eu amo (a maioria onde mostra o nosso cotidiano e lugares onde conhecemos e visitamos no Japão)... e tb mostrar um pouco a cultura desse país tão rico e conservador ao mesmo tempo, mas que nos ensina muitas sabedorias que estão escondidas em cada passo e em cada olhar de um japones...visite tb o outro blog que fala um pouquinho do Japão e de sua cultura...
Arigatou pelo carinho e pela visita. Abraços. Giovanna

Sylvio de Alencar. disse...

Só não somos totalmente iguais nem sei porque.
Às vezes, acho que somos. Às vezes não.

Pensava nisso ontem quando me peguei pensando em minha maneira de pensar: acho que penso meio parecido como minha mãe. Acho que quando ela morrer vou seguir esse caminho inaugurado naturalmente por ela para os filhos.

Abrçs, Wall.

Ando meio na dúvida o que faço do meu blog... Tô achando ele meio repetitivo..., que coisa!
O seu..., tá num bom caminho.
Talvez cole tudo daqui e ponha lá!, me pouparia 'trabalho', e ele ficaria criativo! :D

Verificação: 'lions'!

Sonia Schmorantz disse...

Hoje vim convidar você a conhecer o Ilha da Magia, blogger onde arrisco alguns ensaios poéticos
http://schmorantz.wordpress.com/
o link está no leia mais no meu tradicional espaço.
beijos

ACR disse...

Nem de propósito julgamos que só a nós as coisas acontecem, que só a nós o mundo resolve cair, que as asas deixam de voar e, ops! quando vamos ver... mesmo ao nosso lado está alguém exactamente na mesma situação, ou pior em que nos revemos, a quem damos a mão, a quem espelhamos o nosso viver!

Obrigada pelas tuas palavras!

um anjo

Kimbanda disse...

Olá querida Walkyria!
Por vezes perante o que se me depara e não tendo solução apropriada e de minha autoria, vejo-me a recorrer inconscientemente a atitudes que vi meu pai fazendo e que na altura critiquei. Fico pasmado porque acontece sem qualquer controlo e de forma muito natural como se fosse à minha maneira. Mas não é!
Umas vezes perante estas "partidas", rio de mim mesmo e da minha atitude, outras fico menos à vontade com o procedimento.
Tens toda a razão quando terminas dizendo como todos nós humanos temos tantas parecenças.
A tua visita à minha "serra" foi com vista para Céu Aberto, numa altura especial para mim, obrigado!
Beijo e kandandos a atravessar "tanto mar"

nanda hofmann disse...

Oi tudo bem?
mim escrevi aqui ta se
escreva no meu blog si
gosta né beijao
tenha um bom dia!!
http://kapelly.blogspot.com/

Manuel disse...

Este texto fez-me pensar de quanta verdade está imbuído. Somos, tantas vezes, o espelho e o reflexo mesmo daquilo que mais detestávamos.
É a vida e nós fazemos parte dela.

MARA disse...

Olá Walkyria,

Obrigada pela sua simpática visita ao meu blog e por se tornar seguidora.

O texto que acabo de ler, tem muito a ver comigo própria. Conforme o nosso tempo passa, os nossos costumes vão passando também, razão pela qual, nos tornamos mais parecidos com os nossos pais, o que, no seu tempo, não conseguíamos aceitar. Espantoso mas verdadeiro.

Abraço
Mara

Gerana Damulakis disse...

É isso mesmo, Walkyria: vamos repetindo muitas coisas dos nossos pais. Mas, por outro lado, vamos fazendo o oposto também, mesmo não sendo um ato de rebeldia da juventude, pois que já na maturidade. O oposto, ser o oposto, também é algo forte dentro da gente. E determinante.

Rui da Bica disse...

Olá Walkyria.
Como dizes no texto, "todos tão parecidos" e na realidade somos todos tão diferentes ...
Mas genética, é genética e essa não podemos esconder.
Tenho 2 filhos, o mais diferentes que se possa imaginar. Então porquê, quando juntos, a conversar com desconhecidos, rapidamente são identificados como irmãos ?...
Há pequenos tiques, pequenas quase imperceptibilidades que o denunciam.
Quantas vezes, em pequeno, eu que era muito diferente do meu pai, me perguntavam se era filho dele, mesmo não estando ele junto ?...

... e a genética ainda é um mundo por descobrir. Costuma dizer-se que comparando à electricidade / electrónica, estamos ainda na fase da invensão da lâmpada de Edison.

Um Grande Beijão para você, minha Amiga.

.

Ju Fuzetto disse...

Boa Tarde Flor!!

parabéns pelo blog!!

O texto é muito interessante, me fez refletir sobre quem somos realmente, acho que somos todos iguais, ou nem tanto!!!


um beijo

umihoney disse...

What you said is so right..I agree with you.very accurate observations my friend..Have a great weekend ya..take care

campoazul disse...

¡¡conseguí traducir!! Pues pienso que ya que no hay remedio en lo de ir envejeciendo, es mejor hacerlo con buen humor y riendonos de nuestras manías.

Un saludo.

BAR DO BARDO disse...

É bom repetir, por vezes, a trilha. Meus ancestrais não podem ter se equivocado tanto - a prova disso é que eu sou um mochileiro simpático. Rsrsrs...

Beijo, Wal Gentefina!

betina moraes disse...

sensacional, querida!

sim está tudo certo, na minha opinião, tudo o que disse é pura consciência e amadurecimeto.


parabéns por ir tão fundo no que escreve.


sabe que já sou fã?

um beijo.

marcelo grejio cajui disse...

somos parecido (ou iguais, não sei), principalmente com nossos pais.
legal o texto.

abraço.

Barbara disse...

DNA comum no tronco primário.
Um físico quântico recebeu um Nobel por ter comprovado isso com uma equação.
É claro que não esteve na mídia - senão, como iria o sistema alimentar-se das diferenças se estas forem menos drásticas?

Pedro disse...

Y saberlo nos hace mejores

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Há um livro de Rubem Alves que estou lendo agora:
DESFIZ 75 ANOS,
que muitas situações descritas por ele, são como se fossem situações vividas por mim.
Assim este texto retrata a verdade que nos rodeia e na qual nos transformaremos.

Linda semana para ti.

Cadinho RoCo disse...

É pela semelhança que temos a grande oportunidade de acesso à comunicação.
Cadinho RoCo

David disse...

Tienes toda la razon, pero todo son manias que tu has ido creando durante tu vida

Bess

alice disse...

adorei :) escreveu muito bem a verdade. estou sempre a ver-me ter gestos iguais aos dos meus pais e evitando-os em seguida. é um ciclo vicioso, mas creio que é bonito sermos tão ligados. um beijinho*

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Mensageiro,
vc sempre com um jeito de olhar o mundo de modo otimista e infinito. Onde tudo pode e tem que ser inserido. Eu gosto.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ju
fico contente de levar vc a algumas reflexões, por que na verdade, as coisas ficam bacanas, se percebidas assim. Uma leva à outra, e a gente navega dentro do coração.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Giovanna
que bacana a tua história, e que feliz que fico de saber que vc conquistou um lugar de afetividade na tua vida, com uma famíla tão linda.

Certamente visitarei teu outro blog, eu gosto muito das impressões dos "estrangeiros".

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvio
tem uma hora que a gente vira o velocímetro e percebe nossas semelhanças, onde antes só haviam discordâncias. Acho saudável...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sonia
logo mais visitarei teu blog de risco!....rerere

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

ACR, meu anjo
é verdade, basta olharmos mais profundamente, sem raiva ou rancor(se isso for possível) que vemos os mesmos medos, até nos inimigos, ou naqueles que nos antagonizam.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Kimbanda
a sua serra está na rota da minha nave. sempre!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

nanda
quenado tiver alguma dúvida sobre makeup, já sei pra quem apelar. Uma graça seu blog.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Manuel
bacana isso, somos espelhos e reflexos....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Mara
é divertida essa fase. veja que coisa, menina, temos mais uma vez a chance de revermos nossos atos. É incrível, se não fosse tão bizarro!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana, minha quase flor(gerânia)
verdade verdadeira. Mitos atos são pura rebeldia, pura exibição da falsa liberdade. Colocá-los em foco, significa escolher ser livre de verdade.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Rui
realmente a genética é um lance forte. Mas o livre-arbítrio tbm. E acho que irmãos tão diferentes, são uma quase norma.

Vejo pelas minhas irmãs e pelos meus filhos. Por outro lado, existe um fio condutor nos jeitos e trejeitos, que a gente sabe de cara que eles são irmãos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ju
tô rindo aqui do que vc disse, pq essa é a coisa que mata. Somos tão iguais, ou nem tanto....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

umihoney darling,
indeed, we are so common, dont't you tinhk?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

CampoAzul
espero que a tradução seja legal...mas de qqr modo, você entendeu. Vamos envelhecer, e temos a oportunidade de nos olharmos e tentar entender de onde surgem certas ações.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Henrique
repetir trilhas pode ser uma opção. Mas repetir atitudes na trilha, de modo mecânico, não sei se vale a pena.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina
e eu sou sua amiga, mana, e fã!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Marcelo
quanto mais cedo percebemos isso, quanto mais cedo podemos escolher de verade as atitudes, e não por padrões herdados. Obrigada pela leitura.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah Bárbara
se então o meu querer, o meu sentir, as minhas alegria, forem todas derivadas do DNA comum, então, vou encarar a vida como uma farra. nem preciso mais pensar em nada.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Pedro
sim,sim e sim. Saber disso nos faz melhores, nos deixa livres.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Aluisio
que ótima dica, e olha que título. Acho mesmo que existe uma [epoca para desfazermos as coisa. beijo procê.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Cadinho
acesso à comunicação depende da vontade dos interessados...seja pela semelhança ou seja pela diferença. Gostei do teu blog!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

David
nem me fale, manias e mais manias.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Alice
eu gosto de ver gestos iguais, tipo lavar uma loça, regar uma planta, é bonito, perpetua a presença. Mas me enerva hoje em dia, atitudes repetidas, por mero padrão, sabe? Adoro seus comentários.

Nydia Bonetti disse...

com certeza, "ainda somos os mesmo e vivemos
como nossos pais..."

beijooos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Nydia
na mosca.
Sabe que na faculdade, fizemos um trabalho sobre padrões e repetições, medos e etc. Envolvia Spinosa, Montaigne e Reich. Matei a cobra copiando a letra dessa música.


voltar pro céu