.

.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Dani no Tokkou

.
Hoje eu estava escrevendo pra um amigo e consegui pontuar bem meu antigo estado de espírito, o de um dia atrás. Por que minha gente, nesse mundo globalizado, rápido e rasteiro, um bode tem que durar no máximo 3 dias. Ou não?

Já foi o tempo que eu passava meses engastalhada numa coisa. Agora é -pum, e acabou. Bom, também tem outra ? Tá certo que é difícil mudar, que tem coisas arraigadas, que a gente pensa-que-sabe-e-não-sabe-de-nada, mas quer queira quer não, a gente caminha. Como disse Hermann Hesse-Não há caminho para trás- e não há mesmo.

Quando a gente descobre um lance, um sentimento, uma interface lá dentro do disco rígido, não adianta fingir que nada aconteceu. A gente vê o lance e a gente tem que mudar de comportamento ou aguentar represálias do sub-consciente. E depois, no meu caso, neurótica, melancólica, ansiosa, linda e loira, poxa, tenho milhões de coisas pra descobrir e mudar. Haja tempo de vida viu! Não é à toa que os Suleimans têm alta longevidade. Meu avô morreu com 94 anos, e o bisavô com 104. Resumindo, acaba uma crise, vem outra, e assim estou em crise há 54 anos. E, no meio delas, desfruto desse fazer nada interior, a não ser, ser feliz!
Viche! essa história tá indo longe demais.

Voltando então à vaca fria - esse ditado deve querer dizer que o cara falou tanto que esfriou o jantar...será?- então, eu andei meio, mais pra inteira na verdade, pra baixo.
Pra baixo de mim mesma até, tipo fora de mim, deu pra entender ? tenho disso, são os pratos da minha balança.

Gosto de colocar a culpa no meu signo, afinal pra que serve um signo senão pra levar a culpa de tudo?
Mas óia, feliz demais agora. Tudo de bom, belo e bonito, eu quero compartilhar com aqueles que amo.

Às vezes, os filhos, ficam de fora, não estão a fim de compartilhar com a gente nadica-de-nada.
E esta semana, meu filho vai compartilhar, ele e outras pessoas que nem conheço- mas que já gosto- de um curso lá na Vila Yamaguishi, o Tokkou.
E eu estou muito feliz com isso. (Tipo que é a terceira vez que digo essa fala...)
Acredito naquela fala do filme Na Natureza Selvagem: a verdadeira felicidade só existe se compartilhada.

Ai, ai, às vezes é simpático viver ?
.

Nenhum comentário:


voltar pro céu