.

.

terça-feira, 17 de março de 2009

Tapa na Pantera, por Maria Alice Vergueiro

Dando um giro no meu PC, que tem coisa gravada em pedra ainda, ( tipo rupestre), dou de cara com esse vídeo da Maria Alice Vergueiro. Ela é uma atriz maravilhosa, que a gente nunca sabe se está falando a verdade ou representando. Acho que nem ela sabe mais, tamanha convicção. Mas vamos lá, vale a pena ver de novo aqui no Céu Aberto.

.




"Maria Alice Monteiro de Campos Vergueiro é uma atriz brasileira de teatro com uma extensa carreira nos palcos, no cinema e na televisão.Estreou em teatro no ano de 1962, no espetáculo A Mandrágora, sob a direção de Augusto Boal. Depois, sua carreira em teatro passou pelo Teatro Oficina, onde atuou na histórica montagem de O Rei da Vela , de Oswald de Andrade, sob a direção de José Celso Martinez Corrêa, que veio a se transformar em filme.Atuou junto ao Living Theatre. Foi fundadora, ao lado de Luiz Roberto Galízia e Cacá Rosset, do Teatro do Ornitorrinco, onde atuou em diversos espetáculos.


É conhecida no teatro paulistano como dama do underground ou velha dama indigna. Esteve presente como atriz em alguns dos mais importantes e instigantes espetáculos da cena paulistana nos últimos 40 anos. Entre eles: O Rei da Vela (José Celso Martinez Corrêa), Mahagony Songspiel (Cacá Rosset), Electra Com Creta, Katastrophé (Gerald Thomas), e outros.Recentemente ficou mais conhecida pelo curta-metragem Tapa na Pantera, dirigido por Esmir Filho, Mariana Bastos e Rafael Gomes, no qual interpreta uma senhora que fuma maconha há trinta anos e fala sobre suas experiências com a droga, personagem criado pela própria atriz. O curta fez sucesso na internet em menos de uma semana após ter sido posto no site YouTube (sem a permissão dos autores)."

fonte, http://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Alice_Vergueiro

2 comentários:

Maikel Budny disse...

Wall, se não fosse pelo seu comentário no inicio do post, provavelmente eu teria no mínimo achado que é uma defensora da maconha. Depois de ler e assistir, value umas boas risadas.

Beijo

Walkyria Suleiman disse...

Maikel, não sou contra nem a favor...do quê mesmo?


voltar pro céu