.

.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Discriminação


Há décadas, quando não existia isso de politicamente correto e a gente não era achincalhado por puro deleite de gente besta que não entende uma piada séria, eu e um amigo de Socorro, o Zetão, concordamos que o cúmulo do azar era ser negro, judeu, corinthiano e petista, combinação imbatível no quesito discriminação. Devo dizer que tanto eu como o Zet, tínhamos metade dessas atribuições. Mas conto isso, sob pena de ser crucificada, apenas para dizer que: discriminação atrai discriminação. Ah, vai, essa é nova heim?

Pois é, começou com os fumantes. Os não fumantes saíram de seus paraísos de ar puro ( me dá o endereço por favor) para parabenizar o governador de sampa - que não vou dizer o nome - por sua lei anti-fumo. Ah, tenha dó... lei anti já é uma lei escrota pro excelência. Mas não faz mal, o tiro sempre sai pela culatra, ou o que vai volta, ou Santa Bárbara, ninguém aqui estudou um mínimo de história na vida?

Quando começou a perseguição à judeus na Europa, os cristãos e afins se benzeram agradecendo que não era com eles. Espera gente, espera que um dia vocês chegam lá.

Mas então, é com uma ponta de revanchismo que leio a notícia que os gordos vão ter que pagar acento extra em algumas companhias de aviação e que, que no Estado do Alabama (EUA), o governo cobrará, a partir de 2011, US$ 25 por mês de obesos que não se cuidarem.

Outra notícia fala do projeto de lei 2204/2009, que obriga a Secretaria Estadual de Saúde a divulgar, em seu site, os nomes de todos os portadores do vírus da Aids, que moram no Estado do Rio com CPF e identidade, sob a justificativa de que eles colocam em risco outros cidadãos. Esse projeto é do deputado federal Jorge Babu, com carreira invejável: expulso do PT por fazer parte de rinha de galos na zona oeste do Rio, acusado de formação de quadrilha e chefiar milícias em vários bairros da região, e otras cositas mas.

Bom, este post não visa discutir leis - aliás não visa discutir nada, isso não é uma democracia - mas observar a pretensa ingenuidade, burrice, inveja e outras qualidades mais das pessoas em geral e do ser humano em particular. Vai, vai discriminando... tua vez vai chegar.

Então, ouso dizer, que o grande azar agora é ser: fumante, gordo e soro-positivo.
.

2 comentários:

Senhor da Vida disse...

Concordo em genero , numero e grau com seu texto, chega a indignar ver como as pessoas ainda jogam pedras no telhado alheio, como se dizia antigamente, sem levar em conta que tem o seu de vidro.
Coisas do mundo moderno....aff!
Bjs!

Walkyria Suleiman disse...

Pois é, tem sempre o escolhido da vez, e quem não é escolhido comemora e patrulha. Como dizia minha avó, pimenta no fiofó do outro não arde.


voltar pro céu