.

.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Por fora, bela viola, por dentro.....

Se há uma coisa que me deixa bem da indignada, é o pinhão não mostrar sua podridão logo de cara. Você vai lá, escolhe o pinhão na quitanda, leva pra casa toda feliz - porque comer pinhão é uma delícia - cozinha o neguinho, espera dar uma esfriadinha e pronto! Pega um pratinho, uma faquinha e começa a luta com o pinhão, que é um chato pra se deixar ver peladinho. Quando você finalmente consegue, ele tá podre.

Me lembra certas pessoas, honestas em seus discursos, dignas em seus princípios, corretas em suas colocações. Hum.... quando vejo gente assim, fico logo na escuta, franzindo a testa e pensando: -Será que ela é como o pinhão, podre e disfarçado, ou como o pinhão bacaninha?

Somos todos pinhões pela vida. Só lá, na hora H, quando a vaca vai pro brejo, que provamos - até pra nós mesmos - o que dizemos acreditar, aquilo que professamos em mesas de bares, em blogs, em grupos de discussões e coisa e tal.

Lembrei de um ditado que minha avó gostava muito: por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento. Esse ditado era muito usado quando nós, as crianças, não queríamos tomar banho, ou quando as mulheres da casa se juntavem e tocavam a falar mal de alguma moça solteira que, apesar de bonita, não costurava, não sabia cozinhar, não era prendada e que, em outras palavras era um pésimo partido - além de típico pão bolorento.

O que tem a viola a ver com o pão? Não sei não, mas me lembra o senhor pinhão.

2 comentários:

alam kenji minowa disse...

wall
depois de 10 dias "kensando"
chego(por ora) a esse ponto crucial: será que sei mesmo o que tenho dentro desse pinhoão aqui?
sei?
ou acho que sei?

bjs pinhorentos
saudades

Walkyria Suleiman disse...

Olha, sei não....de qual pinhão estamos falando? desse ou daquele? Ou seria daqueloutro?


voltar pro céu