.

.

sábado, 4 de setembro de 2010

Dona Marina, uma vida plena

 .
 .
Gentefina, incrível, a gente falando de preciosidades guardadas, de mães e avós e nesse ínterim, porque a vida não para nunca, a Dona Marina, mãe da Inês, lá da Vila Yamaguishi, morreu. 

Ela teve uma vida plena, atribulada, mas sem dúvida, cheia de flores e frutos.
Vai com Deus Dona Marina. 

Esse filminho, fiz dela há 1 anos. É lindo, merece ser ouvida a Dona Marina.
.

Essa senhora, é a Dona Marina, mãe de uma amiga querida, a Inês Minowa. Bem, não importa muito, falei apenas pra situar quem está me lendo. O que importa mesmo são as palavras e emoções da Dona Marina.

Eu estava dentro do quarto, trabalhando no PC do Alam, marido da Inês, e queridíssimo companheiro de jornada nessa Terra, quando ela vem, bem quietinha, se encosta na janela e começa a conversar. Não resisti, parei tudo, me debrucei na janela e garrei a ouvir essa pessoa tão linda e cheia de bravura.

Dona Marina dava um livro. Adora plantas, faz misturas das mais diversas, pra curar tudo que é mal que possa se apossar das pessoas. Faz também deliciosos temperos, refogados, bolos, tortas, sabão, pinturas, ela não para quieta. Quando ela não está na cozinha, tá no jardim, ou então na cidade fazendo ginástica e cursos pra terceira idade. Chega com sua bolsinha tira-colo e em um segundo está no ateliê pintado. É muito linda mesmo!

Lá, na Vila Yamaguishi, por um momento, pensei na minha velhice e fiquei feliz. Acho que vou ser assim, como a Dona Marina, impossível, agitada e teimosa. Gostei do quadro. No final ela fala pra mim: "entendeu?". Uma graça mesmo.
Escutem quão sábias e simples são as palavras da Dona Marina.

video
.

21 comentários:

Terráqueo disse...

Pobre senhora. Parecia tão doce. Gostei dela somente pelo o que você contou. Imagino ela pessoalmente, quão encantadora deveria ser. O ciclo da vida é algo triste, mas que bom que pelo menos ela viveu um bom período e deixou recordações tão bonitas.
Um grande abraço, e obrigado pela visita no Terráqueo.

Gerana Damulakis disse...

Deve ter sido um encanto de pessoa. Ou melhor, é um encanto de pessoa na memória de quem ainda vive e a conheceu.

betina moraes disse...

wal...

...é o tipo de mulher que não acaba nunca, que renasce a todo o instante pois faria muita falta para o nosso equilíbrio espiritual e planetário se houvesse mesmo morte para o ciclo de uma alma assim.

obrigada por nos apresentar a ela, ainda mais agora, com as asas...

PS: eu ouvi a sua voz e é exatamente como eu achei que é. :)

um beijo, querida.

Patrícia Gonçalves disse...

Wal, que bonita homenagem à Dona Marina, quero ficar assim também!

beijo grande!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Terráqueo
bem vindo ao céu. A gente aqui precisa de terráquios...hehehe.
Vc disse bem, Dna Marina deixou grandes recordações.
Super obrigada por ter vindo me ver.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana
ou melhor, gente assim continua encantando pela eternidade.
Hum...será que se lembrarão de nós, após a nossa morte?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina, olha vc
"...é o tipo de mulher que não acaba nunca, que renasce a todo o instante pois faria muita falta para o nosso equilíbrio espiritual e planetário se houvesse mesmo morte para o ciclo de uma alma assim."

por essas e outra que te amo.

Eu pensei assim - será que a Betina vai ouvir a minha voz?"

hehehe, vc ouviu...
querida
fique bem!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Pat
vamos entrar na fila...."eu quero ficar como a Dona Marina"

Marcantonio disse...

Há horas em que andando por aí, nessa blogosfera, eu vou ficando exasperado, um certo cansaço... E, de repente, dou sorte de topar com algo que me revigora. É o caso desta sua comovente e humana postagem. Tenho cá os meus motivos para me comover.

Abraço.

betina moraes disse...

:)

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Marcantonio
nem me diga, me sinto assim tbm.
Anseio por novidades, por entusiasmo e lirismo, e encontro um nada bem grande....

Mas olha, fico feliz de te ver aqui. te vejo em outros blogs, vou ao teu e sempre quis que vc me acompanhasse.

Ganhei o dia.
Obrigada por tuas palavras, viu.♥

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betinhiha...
٩(•̮•̃)۶
oi

Sylvio de Alencar. disse...

Estive ante ontem. Voltei para ver o vídeo e essa senhora. Não tem como não gostar dela: é bater os olhos, ouvir ela falando, e já estamos gostando dela.
Legal seu filme, aquele barulhinho de sininho se repetiu ao clicar para postar este comentário; talvez, tenha sido por causa dela, talvez, ela tenha feito isso; talvez, eu tenha viajado na maionese, mas acho que não.
Vc a colocou perto da gente com esse vídeo.

Abrçs.

Eu disse...

Sinto saudades dos que se foram
E de quem não me despedi direito
Talvez não exprima, corretamente,
A imensa falta que sinto de pessoas queridas.
E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra para usar
Todas as vezes que sinto este aperto no peito,
Mas que funciona melhor do que um sinal vital
Quando se quer falar de vida e de sentimentos.
Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis,
De que amamos muito do que tivemos e lamentamos as coisas boas
Que perdemos ao longo da nossa existência...
Sentir saudade é sinal de que se está vivo!

D. Marina... saudades eternas

Aryadne Borges.

Eu disse...

Sinto saudades dos que se foram
E de quem não me despedi direito
Talvez não exprima, corretamente,
A imensa falta que sinto de pessoas queridas.
E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra para usar
Todas as vezes que sinto este aperto no peito,
Mas que funciona melhor do que um sinal vital
Quando se quer falar de vida e de sentimentos.
Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis,
De que amamos muito do que tivemos e lamentamos as coisas boas
Que perdemos ao longo da nossa existência...
Sentir saudade é sinal de que se está vivo!

D. Marina... saudades eternas

Aryadne Borges.

danilo disse...

Oi, A Dona Marina é a minha vo Marina!!

No momento estou longe do Brasil e estava me torturando com o fato de nao ter tido a oportunidade de me despedir dela. Obrigado por me dar a oportunidade de ouvi-la e de vê-la de novo!!!

Fico aos prantos toda vez que revejo o video e leio os comentarios :) obrigado a todos que perceberam o quanto ela era preciosa.

Ela é realmente a pessoa mais serena que ja conheci. Nunca pensava o mal pra ninguem e sempre dava aquele ar de que era possivel superar tudo com muita calma e harmonia. Uma liçao de vida a cada palavra doce.

Adorava as plantas, os animais...enfim, amava o mundo e tudo de bom que vem com ele.

Muita saudade, muito amor e muito ainda a aprender das liçoes que ela deixou para nos.

Danilo Sakay

Carmen disse...

Walkyria, obrigada por colocar o video, não tenho nenhuma lembrança dela assim imagem e som...
Sou sobrinha da d.Marina, minha tia Fumi querida...
Não pude estar com ela antes de partir, gostaria muito de abraça-la.
Agora só restam as lembranças, e boas!
Sim, ela foi exatamente como todos disseram: meiga, doce, simples. E extremamente atenciosa com todos!
Saudades...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Danilo e Carmem

Que bom que a Dna Marina veio falar comigo naquele dia.
Eu passava de mansinho em frente ao quarto dela, senão ela me pegava pra conversar. Nesse dia, Dna Marina esperta como ela só, foi pra janela.

Aprendi a conversar com ela antes de ir pro escritório da Inês e do Alam, era sempre um papo gostoso e novo.

Ela me deu algumas mudas de seu jardim encantado, e vcs não acreditam o quanto de muda espalhei por aí. Porém, mantenho ainda um vasinho com a muda, a que ela mostra no vídeo.

E vou continuar a espalhar, pq são flores lindas, que eu nunca havia visto.

Fica o perfume, a alma e a lembrança que é vida pura.

Beijos
*⊱✿◕‿◕✿⊰ *

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvícola,
diabretes
vc disse tudo, não tinha como não gostar dela. E olha que ela era muito metida, faladeira, não deixava barato o que não gostava.
Por outro lado, era muito dengosa e amável....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Aryadane
então querida, melhor sentir saudades.... sinal que tivemos coisa lindas na vida.

Maira disse...

Olá! Aqui quem vos posta é a neta da Dn. Marina, meu nome é Maira. E meu sentimento no momento, apesar da dor da ausência fisica dela, é de muita alegria por ter estado ao lado de alguém tão especial, mais feliz ainda por este ser fazer parte de quem eu sou... esteja onde estiver muito obrigada!!!


voltar pro céu