.

.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Os humanos em geral

Ai gente fina.... acabo de chegar de Barretos, onde fui resolver lances da família. Olha, não sei não, tenho medo de ficar velha, chata e teimosa, assim como ficam os velhos, em geral. Bom, chata e teimosa, eu já sou.... e velha, existe divergência nesse setor.

Mas, tirando a roupitcha da moça da foto, foram maomeno assim estes últimos três dias da minha vida.

Tô um suco, melhor, uma garapa, um bagaço. Cheguei à conclusão - que nem é minha por sinal, eu já ouvi isso com referência ao meu signo - eu amo a humanidade em geral, e não aguento as pessoas em particular. Nada mais verdadeiro....

Muita gente acha que festas, reuniões, baladas, jantares e mesa de bar, são o auge da vida. Eu, bem, o auge da minha vida é meu silêncio, alguns bons amigos, e.... liberdade! Ah, eu gosto também muito da NET, do meu PC e da minha Parati.

4 comentários:

Marcelo Negs disse...

Todas as vezes que estou quieto no meu canto, sossegado e tranquilo, vem alguém e me pergunta: - Tá tudo bem, aconteceu alguma coisa, posso ajudar a resolver?
Poxa! Será que não posso ficar alguns minutos comigo mesmo? Será que é tão difícil entender que às vezes quero apenas um tempinho pra mim?
E se eu reclamo ainda me chamam de chato e ingrato! Vai entender...
Abração!

sam rock disse...

As veces o silencio é unha experiencia moi ruidosa.
Unha aperta desde Galicia

Walkyria Suleiman disse...

Marcelo, acho que estar quieto e sozinho, é a condição mais incrível do ser humano. É lá que germinam as sementes.... Mas o povo ao nosso lado, quer agito, entretenimento... Tem vezes que me perguntam tanto que eu começo a duvidar: poxa, será que tenho algo e não sei?

Walkyria Suleiman disse...

Sam, às vezes o silêncio faz um tornado de milhões de vozes e ventanias dentro de mim.... acho que vc sabe!


voltar pro céu