.

.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Todos querem perder o tempo alheio


Esse vídeo me enerva um pouco, ainda mais que a dublagem é tosca demais. Mas o tema é ótimo.

Essa semana eu disse pro DanielSun, meu filho, que não ia deixar ninguém, mas ninguém mesmo perder meu tempo. Ele foi cético, como sempre, acha difícil eu conseguir isso, que nem Adão e Eva, que não viviam num tempo assim, digamos, populoso como o nosso, conseguiram. Vejam como seus dois filhos deram trabalho e fizeram eles perderem um tempão com suas brigas.

Mas histórias -bíblicas ou não- à parte, eu penso assim. Dinheiro, bens materiais, minhas emoções, sentimentos, cobras e lagartos, se alguém perde ou desperdiça, tudo bem. Viro onça naquela hora, mas pondero né gente e sei, sei por sabedoria de vida vivida, que tudo volta ou é recuperado ou transmutado. Só uma coisa não volta; o tempo da vida da gente.

Tudo bem, eu, eu mesma aqui em carne e pescoço, perder meu próprio tempo. É meu, minhas contas, se é que elas existem, acerto com os ómi lá de cima, ou de baixo. Agora, outro neguinho perder meu tempo, ah, não aguento mais, sabe.

Eu acordo pela manhã e não passa nem um segundo já tem gente querendo um pedacinho do meu tempo, que significa, em português claro, um pedacinho da minha vida.

ValhameDeusNossoSenhorDasHoras.

Será, que não contente com seu próprio tempo, as pessoas querem o nosso, mais especificamente falando, o meu tempo de viver?

Um telefonema e a pessoa quer contar a vida dela pra mim, tele marketing, vendedores, secretárias dos médicos e dentistas que eventualmente marco hora, informações em geral, e por aí afora.

Você marca uma ponta e a pessoa chega atrasada e ainda te acha neurótica: "Relaxa" - diz o ladrão do teu tempo, cínico como todo ladrão.
"Por que você não levou um livro?" - pergunta a outra amiga que você reclama da espera da amiga em comum. Bem, porque se eu tivesse que viver esse momento de novo, coisa que nunca mais vai acontecer, eu não o teria vivido de pé, lendo um livro, com meus óculos multi focais, que nem são para leituras de perto. Fui clara?

Continuando, você marca uma consulta e o médico atrasa 1 hora, na melhor das hipótese. Paciente não pode reclamar, médico vive do tempo do outro, como um nosferatu do tempo alheio.

E gente que quer passar na minha frente em filas? Olha, sai da frente porque eu reclamo mesmo. Um dia, uma senhora quase me derrubou para pedir um café num balcão de um shopping. Eu disse à ela: -Por favor, a senhora está com algum problema? Não está me vendo aqui? - ela disse - Tenho preferência, sou terceira idade - Ah, pra tomar café tem preferência? Onde? Espertinha!

Ela podia ter pedido, não me empurrado. O DanielSun, que, como todo filho, tem vergonha da mãe, ficou meio que consolando a velha e disse assim: "Ainda bem que você me educou na época em que tinha educação."

Filhos... campeões no quesito "vamos perder o tempo de mamis?"

E assim chegamos ao pior em termos de acabar com minhas reservas naturais de vida, a saber: os amigos e a família. Corro o risco de ficar mais sozinha do que já sou, mas vamos lá, tenho mesmo que desabafar.

O amigo liga e diz: "Quicetáfazando?"-eu respondo - "Nada demais" - ele ataca - "então vamos fazer algo pra matar o tempo? Vai... cinema, almoçar fora, dar uma volta, vamos vai...."

Bem, aí está, aquela criatura que você adora, sua amiga de verdade, querendo matar teu tempo. E quando eu recuso, parece uma ofensa das grandes eu não querer ajudá-la a matar o tempo dela com o meu próprio tempo.

E a família? Esta é campeã. Sua tia te convida pra almoçar e diz quer você tem que chegar ao meio-dia. Ok, você vai. Aí tem aperitivos, espera o povo que não chega e, afinal, almoço às 2 da tarde.

Depois do almoço, você leva um lero(mais ainda), o assunto já está minguando, é o momento em que pode pintar alguma discussão. Bem, tendo em vista que você já está lá desde o meio-dia e que já são 4 da tarde, você se despede. Ah, pra quê, a cara feia é geral. É domingo criatura, o que você tem pra fazer a não ser matar o tempo? Se ela soubesse - a tia - ela nem tinha te convidado, saindo tão cedo, cachorro magro, sem educação, nunca foi grande coisa essa menina....

Pois é gente fina, se eu ficar mais que 3 horas na casa de alguém, chama a ambulância que tive um enfarte ou me drogaram. Exagero né, só pra dar mais veneno pro post. Porque hoje tô muito puta mesmo (vou sair e virar bolsinha já ja´, rsrsrs) com gente que quer acabar com a minha vida. Claro, porque matar teu tempo, é acabar com tua vida.

E pra terminar, conto com o auxílio luxuoso do Mário Quintana:

Gosto de perder
Eu mesmo meu tempo
E não que outros
O percam



video
.

14 comentários:

Solange Maia disse...

Tempo, tempo... o que é mesmo perdê-lo ? se não vivê-lo ?

Adorei seu blog.

Beijo na alma,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

Walkyria Suleiman disse...

É Solange, esse lance de tempo é bem louco. Mas é verdade, temos que perdê-lo para vivê-lo. Mas se o estamos vivendo, é justo dizer que o perdemos?

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

hehe, conversa fiada hein...
Primeira vez minha aqui!
"todos querem perder o tempo alheio" seria uma crítica ao mundo contemporâneo já que atualmente não vivemos que nem Adão e Eva, tranquilamente??

Big clash disse...

Olá Walkyria,
a questão do tempo é mesmo instigante...seria ele devir ou finitude?Lançando mão da dialética diria que um contém o outro...tudo ao mesmo tempo agora.E ainda tem o Caetano com aquela canção...
"E quando eu tiver saído para fora de teu círculo,tempo,tempo,tempo,tempo, não serei nem terás sido, tempo,tempo,tempo,tempo..." Enfim...pura conversa fiada...:)
Vou andando, depois volto para uma outra prosa,uma outra conversa fiada.
Abração.

cristinasiqueira disse...

Oi Walquyria,

O tempo é o meu direito a irrealidade.O tempo é meu.
Para enfatizar esta posição é preciso se tiver tempo formar as pessoas.Adorei lê-la,sabê-la,sentí-la.
Vou te seguir com os passos do respeito e com palmas de admiração.
Assino um outro blog dentre outros mais que esperam pela sua visita.
Aguardo seu comentário,passe por lá
www.cristinasiqueira.blogspot.com

Com carinho,

Cris

sam rock disse...

Não há nada mais descansado que desfrutar ou perder ou tempo no próprio. Não é por egoismo, senão por saúde física e mental para mim e quem me rodeiam. Gosto da frase de um médico e escritor espanhol que dizia quando contestava a que por que tinha tanto tempo para fazer muitas coisas. Dizia: São um trapero do tempo.

Um abraço

TAZE NANE disse...

Everything in life is you're heart.

Cheers.
Translated into Turkish by a very nice block I'm trying to understand. Send your comments in English do.
I did not fully understand the Portuguese language.

Fausto Sotam disse...

O que é definiçção de tempo, pode ser muito ambígua, adrei a sua visita, volte sempre, paz.

Walkyria Suleiman disse...

Seu blogueiro...rsrsrsrs. Nem sei se Adão e Eva viviam bem tranquilos, depois de expulsos do paraíso. Quem te que pagar trabalhar pra comer, beber, respirar, morar e morrer, não tem tranquilidade não. Venha sempre...

Walkyria Suleiman disse...

Big, tem papo pra esse lance do tempo mesmo...mas em se tratando da música do Caetano, gosto daquele pedaço.Que meu espírito ganhe o brilho definido e eu espalhe os benefícios. Precisa de tempo heim.... volte, volte sim

Walkyria Suleiman disse...

Oi Cris, eu adorei teu blog, tua poesia, tuas fotods, me fez muito bem encontrá-la.

Walkyria Suleiman disse...

Sam, eu adoro o ócio, perder meu tempo de viver com o que quero...não é mesmo?

Walkyria Suleiman disse...

Fausto, nem me diga, eu adorei a tua visita tbm.

Walkyria Suleiman disse...

Taze i will trie, like you
best regards


voltar pro céu