.

.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Um planeta, uma chance

.
Mais um filme sobre aquecimento global e suas consequências. Fico vendo e é inevitável meu pensamento: quê será que os caras esperam que a gente faça, nós, simples mortais? Será que o diretor, o produtor, o câmera, o roteirista e o séquito todo que envolve a produção de um lance desses, sabem o quê fazer, além de alardear o fim do mundo?

Só pensando, gente, só pensando porque a cabeça foi feita pra isso. Ou não? Pra ser bem sincera, nem sei se acredito... mas essa é outra história, fruto da minha desconfiança e preconceito no que diz respeito ao poder, ao que é permitido divulgar, e naquilo que querem que a gente acredite. O poder não dá ponto sem nó, igual quiném a maioria das pessoas, onde, lógico, me incluo


.
Dica de amigo - BeatrizMasson
.

8 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Vivo em Santo Amaro-Ba a cidade mais contaminada do mundo por metais pesados como chumbo e cádmio, bem... na minha cidade muita gente ta doente e muitos já morreram por causa disso, então o que fazer? Pensar!!!!

Walkyria Suleiman disse...

Contaminação é diferente de efito estufa. Acho que tem que pensar mesmo, pensar em tudo para chegar a uma idéia boa, salutar, que resolva algo. E depois, pensar de novo, pq é assim, nesse processo que caminhamos.

Daniel disse...

Eu acredito que diversas vezes fizeram a gente acreditar em algo que não existisse. Quem sabe o homem na lua?! Eu não acredito!

Mas nesse caso eu acredito, só não sei e fico com os pés atrás com relação as consequências disso tudo, do aquecimento e etc...

Mas acho que é algo perigoso para nós, mas que não acabará com o planeta, jamais.

Muito boa a lembrança.
Fazia tempo que não pensava nisso.
beijos

Walkyria Suleiman disse...

Daniel do céu, eu também não acredito naquela sequência dos caras chegando na lua...que barato, nunca conheci ninguém que compartilhasse essa idéia.

Sylvio. disse...

Eu acredito. Mas isso não vem ao caso agora...

Olhando a sequência de imagens, vou ficando 'doente'. Não é uma boa sensação saber (de novo, vendo essas imagens e informações), o que estão fazendo com nosso planeta.
Nós que o amamos ficamos perplexos, sem ação. /ficamos pensando que devemos fazer algo, depressa..., mas não fazemos. O que fazemos é continuar gostando dele, e esperando que o pessoal encarregado pelo destino (Greenpeace por exemplo), façam a sua parte. A nossa, talvez, seja continuar amando-o. Quem sabe este amor, suas vibrations, ajude.
Sem dúvida filmes como esse contribuem para chamar a atenção dos mais distraídos.
Percebe-se que a conciência ecológica se espalhou (e se espalha), rápidamente. Que legal, né??

Sylvio. disse...

Em tempo: quanto mais perto a ação está perto do pensamento, mais efetivo este último se torna.
Sempre pensei muito, inclusive quando estava chapado. Não o valorizo muito, a não ser como 'gatilho', como 'fermento', como 'dar forma' a algo que queremos ser, ou fazer.

Walkyria Suleiman disse...

Sylvio, vc disse algo em que acredito, no mais profundo de mim, no escuro de olhos abertos. Apenas podemos amar. E amar é tanto e tudo, e tão difícil, que parece que desprezamos essa possibilidade. Sabe aquele lance de que gente meditando alarga o campo da paz no planeta? E gente amando? lembrando que meditar assim, é um ato de amor.

Sylvio. disse...

Hummmm! Gostei!
Talvez a meditação seja, além de pensamento, um ato de ação! 10!
Então quem medita está no caminho certo!!!!


voltar pro céu