.

.

domingo, 29 de novembro de 2009

Quero dizer teu nome, Liberdade!


janela do ap, na sala, amanhecendo, 6:00

janela do quarto, madrugada, entre persianas
.
Vou contar um pouco da história da minha viagem, história que passa, como sempre, por várias outras histórias, se enrodilhando em fatos pessoais e intransferíveis da minha vida, que torna essa história única, apesar de comum, possível e, passível de acontecer a qualquer um, mas que aconteceu apenas comigo, seguindo o curso único do meu viver.

Eu combinei uma viagem com três pessoas, para New York e San Blás, uma ilha no Panamá. No decurso daquele mês, uma delas desistiu, e a 2 dias da viagem, as outras duas resolveram não ir também, deixando para outra ocasião onde todas pudessem ir juntas.
.
Eu fiquei atônita. Estava tudo preparado no meu trabalho, na minha família e mais que tudo, no meu coração.
.
Cheia de coragem e destemor, não sem antes ter várias crises de temor e insegurança, no prazo de 24 horas decidi ir sozinha pra New York. Nessa decisão, algumas amigas queridas me ajudaram muito, me lembrando quem eu sou, tudo que já vivi, e como enfrentei de um tudo nessa vida. Meu filho Daniel ria, dizendo que era tudo que eu queria, ir sozinha, sem embaços, sem gente no meu pé, podendo me navegar sem amarras dentro das horas.
.
Fui! Eu, Deus, e toda a corja celeste!
.
Levei comigo meu caderno de viagem, meu estojo, crente que escreveria e desenharia como nunca. Lá no apartamento que alugamos, que já estava pago, por sinal, tinha wireless, e liguei meu iPod assim que cheguei e vi, dentre outras coisas, todos os comentários de vocês no meu blog( aqui, quero dizer o quanto me senti acompanhada, assistida e protegida por todos meus amigos blogueiros).
.
Difícil responder no iPod, mas logo no dia seguinte comprei meu Sony Vaio, que chamo de Sony Véio, mas mesmo assim, não senti vontade de escrever nem responder nada.
.
Sozinha em NY, misturada à toda espécie de ser humano, me senti única no mundo. Em cada parede, vitrine ou banco de praça em que me sentava, eu apenas olhava. Eu absorvia as informações todas, os sons, as cores, as pessoas, seus rostos.... e o caderno de viagem, firme, dentro da bolsa.
Eu apenas vivia o momento e agradecia a Deus por tudo, por tudo que vivi até aquele momento.
.
Cheguei há uma semana, e parece que somente agora as palavras estão se formando a partir dos sentimentos que experimentei naqueles dias.
.
Uma vez, há muito tempo, li uma crônica do Patício Bisso(cadê ele?) que dizia que com o calor que fazia no Rio de Janeiro, se Dostoievski tivesse nascido lá, o máximo que teria escrito era um bilhete que colaria na porta de seu ap: Estou no posto 6.
.
Então gentefina, é por aí sabe? Não dava pra parar para escrever. Por mais que eu ame escrever, escrever é um ato do passado, se refere a idéias e sentimentos que já ocorreram.
.
Lá, sozinha em NY, eu queria abraçar meu presente com todos os meus braços, os visíveis e os invisíveis. Eu queria estar dentro dos acontecimentos e, então, o máximo que escrevia, era o nome de alguma rua, de algum lugar, e mesmo isso ficou no caminho, pois comecei a gravar as informações na máquina fotográfica.
.
Assim, o que quero dizer e que somos capazes de tudo, em qualquer lugar, a qualquer hora.
.
Vou contar só mais um historinha. Há 3 anos, quando senti que meus filhos já não precisavam tanto de mim, saí na Teodoro Sampaio e comprei uma mala de rodinhas e um guarda-chuvas. Me perguntaram se eu pretendia viajar, ao que eu respondi que sim, mas não sabia quando e nem pra onde. Guardei aquela mala com muito carinho, como símbolo da minha liberdade.
.
Grafitei estrelas douradas na mala, e levei-a pra NY. Obviamente, pequena como ela era, tive que comprar outra mala. Passei o dia triste por ter que dispensar a mala símbolo da minha liberdade. Até já havia colocado-a no local do lixo, no corredor do apartamento. Estava eu, assistindo MammaMia, quando subitamente tive o insight que poderia levar as duas malas. Corri feito louca pra casa e, lá estava ela ainda na lixeira.
.
Entendi que fui criada e tive uma vida, onde a proposta sempre foi escolher. O enunciado era sempre excludente, não se podia ter tudo, era sempre necessário escolher algo e perder algo.
.
Sorrindo vitoriosa, com passos firmes e pirilampos, com minhas duas malas nos aeroportos desse mundo, eu soube: Posso ter tudo nessa vida.
.
.

33 comentários:

Adolfo Payés disse...

Maravilloso pasar por tu blog..

Un beso

Un placer pasar a leerte..

Un abrazo
Saludos fraternos...

Que tengas una feliz semana..

LEON PLATA disse...

Entro a tu blog de paso,voy de afán, pero aprovecho para enviarte un cálido abrazo Walkyria; te tengo siempre presente; volveré pronto para sumergirme en tu entrada.

Besos

Wania disse...

Wal querida!

Seja bem vinda!
Que delícia ler esta tua história de Vida!

Me achei muito aqui sabia? Eu tb venho de uma família muito amada, mas sempre tive a mesma impressão que tu: tínhamos sempre que optar por isso ou aquilo e hoje tb depois de sentir na pele e na própria Vida, vejo que podemos ter tudo o que sonhamos, basta querer!!!!!!

Fico muito feliz pela conquista da tua liberdade! Vá em frente, isso é só quintal... o mundo é muito maior que isso e te espera!!

Bjão carinhoso pra ti!
Tava saudade!

sam rock disse...

Benvida. É unha sorte poder viaxar pois nese trance moite de aprende e enriquece a vida.

Unha forte aperta

Gisele Freire disse...

Walllllllll!!!!!!!!!!!!!!!
Que história!
Não imaginava vc em Ny difenrente disso, mulher descolada e maravilhosa!
Todas as cores, todos os sons, reparaste em tudo né, viveste tudo!
Maravilha, amei, vc é tudebão mesmo!
bjs querida e bem vinda!
Você sentadinha na janela tá demais de bonita!

Gi

ps.: enquanto tu viajava eu me revelei lá no Vastas, sou a Lírica hehehehe, a japinha! ;)

Andrea disse...

Wal querida!

Olha...conheço um pouco disso que passou...rs...na verdade o encantamento de tudo ao redor nos faz viajar além de toda esta cidade né? rostos, cheiros diferentes, foi com Deus e toda corja celeste???rs não poderia esta em melhor companhia!..Bom vc de volta, vitalidade total, energia passando pela tela! Feliz por vc feliz!

Bjo querida!

Muita luz!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Adolfo
que bom ter vc por perto. Tua força sempre inspira.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Leon
saiba que vc tbm está sempre presnte em meus devaneios pelo mundo.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Wania,
que delícia ser entendida, recebida, acarinhada assim. Tenho muito pra viver, pra aprender, e pra ler de gente assim, como vc, tão cheia de vida.
Obrigada

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sam, saudade da tua sabedoria curta e certeira.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gi sua peste, vc é a lírica.... a lilica.... ah Gi das mil faces, mas a mais linda ainda é a da sua amizade e carinho. Fiz uma foto em sua homenagem, vou publicar, vc verá.
Obrigada por tudo, por tudo mesmo.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Andreia
azougue da minha vida, vc gostou da corja né...
sinto vc vibrando, bem presente, bem inteira. Que bom!

Gisele Freire disse...

Walzinha
Já faz uns diazitos a declaração , tu tava viajando rs
Tá aí o Link rs http://gikafreire.blogspot.com/2009/11/queridos-amigos-tenho-um-segredinho-pra.html
Bj e to louca pra ver a foto !!!!!!!!!
Gi

Zininha disse...

Huhuuuuu!!!!
É isso amiga... bola pra frente!!!

Sejas muuuuuuito feliz!

Saudades!

Beijos.

➔ Sill Scaroni disse...

Oie Wal, parabéns pela ótima experiência.
Eu amo viajar sozinha e sempre que posso sai sem amarras.

Um beijo.
Sill

Sylvio de Alencar. disse...

Lindo pé, lindo apê, lindo sorriso...
Sentindo como viajante que fui, abarco seus sentimentos.
Tem que haver um certo desprendimento almístico para partir para mais perto do horizonte.
Sorte sua, sorte nossa. Enriquecida está sua roda de considerados(as).
Seja bem vinda sempre, dentro e fora de nós.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Zininha, e aí menina...tudo em cima! Não tenho pt de interrogação, menina. Seja vc muito feliz tbm, mercemos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Silllllll
é bom demais, sei que vc entende. Me conta um pouco das tuas experiências...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Silvícola hay que tener, mesmo, despreendiemnto almístico, hehehe.
Querido, pensei em vc sempre, acho que vc ia curtir muito lá. Tem muita infoirmação, ao mesmo tempo que nada te agride, nada incomoda, pode tudo, tudo mesmo.

ednampc disse...

Não tive tempo de lhe desejar boa viagem, mas agora posso dizer seja bem vinda. Que não só o novo alimente sua alma, mas também o velho e reconhecido cotidiano, que é onde passamos a maior parte do tempo, ganhamos força e conquistamos a liberdade. Beijos.

Sylvio de Alencar. disse...

Um dia quem sabe... :)

Gisele Freire disse...

Wal
Aí vai o link do site onde a Vastas e a Lilica pegam as fotos sensacionais, ha mais ou menos uns quatro anos eu conheço esse site, inscreva-se é o máximo, tu vai adorar!
Bjs e adorei teus comentários rsrsrs, a cabeça da gente voa né, um dia escrevo-te um e-mail ou melhor ainda almoçaremos juntas brevemente!
bjs sister!
Gi
o site : http://deeevilish.deviantart.com/art/memories-145047823

Migue disse...

Que placer Wal haber viajado a NY contigo a través de tu relato, no conozco esa ciudad pero todos dicen maravillas, pero contado por ti es realmente un viaje alucinantte porque se percibe la intensidad de tus sentimientos en cada palabra, un saludo grande!
(sí conozco Río..y que ciudad!!)
Migue

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Migue, que bacana que vc pode sentir algo assim. Tão bom a gente poder aproveitar assim da vida.... tem que ser muito artista...e isso vc é.
Precisa ir pra NY, precisa....
E quando vier a São Paulo, vamos tomar umas boas cervejas.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Então Gi, eu conheço o site, mas nunca dei muito valor. Vou me inscrever depressinha. E o almoço, se dependesse de vc eu morria de fome.
Ah, vem vai.... sister....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Edna, minha irmã mais querida, que saudade tenho de vc, de tudo que jça vivemos, de tudo, tudo mesmo. Saudade muita!
E claro, tem razão, tudo tem valor real se puder ser inserido no cotidiano, esse lugar em que pasamos nossa vida sem notar.

El Susurrador disse...

Valente!!!


Eres una munher valente, gusto moito de leer esta historia da túa viaxe, parece como si eu mesmo te acompañase nel, NY é onde me gustaría viaxar.

As fotos da reportaxe son estupendas.

Miñas felicitacións

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

El Sussurrador, siento tus sussurros acá, e me siento contenta e acompanhada. Vamos para NY!

Jorge C. Reis disse...

Raramente leio um artigo tão grande até a fim mas este prendeu-me de tal forma que não consegui parar. Maravilha. Obrigado por me seguir.
Bj
Jorge

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Oi Jorge, puxa, acho que vc estava no clima. Que bom, assim me conheceu melhor e entrou nesse céu que espara, a todo dia, mais gente, mais estrelas. Bem-vindo e muito obrigada.

Zélia disse...

Olá!
Adorei seus videos de NY!
Vi seu blog quando estava há procura de apartamento em NY. Na Páscoa vou passar 2 semanas por lá com uns amigos. Você gostou do apartamento, correu tudo bem...sem confusão com entrega de chaves??
É a primeira vez que alugo apartamento em vez de ir p'ra hotel...e estou preocupada.
Beijos
Feliz Natal!!!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

zélia
não se preocupe. eu aluguei pela only-apartaments, que é bem conhecida, mas tem outras empresas boas tbm. não houve nenhum problema com as chaves, e olha que cheguei às 3 da manhã. Acho bem simpático ficar num ap, vc vai adorar. Boa viagem...

Zélia disse...

Obrigada!! Estamos pensando em alugar em http://worldinnyc.net/TimeSQ44.aspx.
Desejo um Bom Natal e um Feliz Ano Novo!!!
Beijinhos de Portugal!!!


voltar pro céu