.

.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Ela era assim!

.
.
Porque ela era assim
A menina sabia disfarçar sua tristeza
Guardando-a carinhosamente entre as palavras
Escondendo-a furtivamente atrás das gargalhadas.

E porque ela era assim
Todos a pensavam feliz.

E porque ela era assim
Alimentava sonhos discretos
Segredos pequeninos
E pecados inconfessáveis.

E porque ela era assim
Ninguém se ocupava muito dela.

E porque ela era assim
Andava de mãos dadas com a alegria
Para que ela a salvasse dos labirintos,
Muitos!
E cantava alto suas canções
Esperando perdão por tanta ilusão,
Várias!

E porque ela era assim
Viveu e morreu assim.
Sem mais nem menos.

Como uma simples mortal
Coisa que,
Apesar de tudo,
Nunca negou sê-lo.

Foto: blues_by_6igella
.

60 comentários:

Migue disse...

Hermoso Wal...que secretos escondería ella...misterio..un saludo!
Migue

Ira Buscacio disse...

Walkyria,

Que coisa mais bonita! tão melancólico e cheio de humanidade.
bj

Gilson disse...

Wall

Seus cabelos eram lindos. Muito lindos.

bjs

angela disse...

Walkiria,
Linda poesia, sensivel, suave e ...mortal
beijos

angela disse...

Walkiria,
Linda poesia, sensivel, suave e ...mortal de tão bom.
beijos

b disse...

Bateu forte!
Pois ando cantando, na esperança de perdão por tanta ausência de sonhos.
Lindo e aproveito para agradecer a gentileza.

Sidney disse...

Olá Valkyria, muito lindo seu blog, adorei, estou lendo aos poucos, sucesso.abraços

Elaine Barnes disse...

Quantas vezes nossa boca sorri enquanto o coração chora,quantas vezes nos sentimos mortas enquanto vendíamos nossa vida? Apenas mulheres, tão mortais,tão frágeis e tão aprisionadas em falsa alegria e liberdade. Ainda bem que todas tem a chance de amadurecer,crescer e morrer para as falsidades contra si mesmas.E viva a realidade! bjão

Sonhadora disse...

Walkyria,

Lindo poema...muito profundo
Adorei.

Beijinhos
sonhadora

Phivos Nicolaides disse...

Bonito e muito real. Mas o quadro é bonito. Beijo

Lice Soares disse...

Belíssimo!
Parabéns.

ACR disse...

Que lindo...

E porque ela era assim, todos se esqueceram que ela era tão humana quanto todos seriam... e nem uma lágrima... saudade!

um anjo

Manuel disse...

Há magia nas palavras, alguma solidão.
Ode à vida e à esperança.
Lindo o poema e bela a foto.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Migue
talvez escondesse o segredo de não ter nenhum segredo, não sei.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ira
existem momentos que só nos resta a humanidade, tão pequenina afinal.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah Gilson
quando não me faz rir, me faz chorar...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Angela
no final, no final mesmo, somos apenas isso, siples mortais.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

b
ter sonhos, a ausÊncia deles, afinal, qual a diferença?
Tem dias em que tudo se confunde.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sidney
bem-vinda, que bom que vc gostou, afinal, a gente escreve pra ser lida, essa que é a verdade.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Elaine
a palavra certa, no momento certo, pra pessoa certa. Dizem que o inesperado está sempre rondando. Será que podemos vê-lo, todos?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Phivos,
adorei a foto
nunca se sabe o que vai na mente do outro.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sonhadora
gosto de te ver por aqui. Me sinto acompanhada por alguém.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

ô Lice
obrigada!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

ACR
todos se esquecem que os outros são humanos, esperamos atitudes grandiosas dos outros...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Miguel
onde ahá vida, há morte.

Elaine Barnes disse...

ahahahah Sobre o "mui amiga" Me fez lembrar que certo dia li na revista seleções que:
O cachorro sabe e sente-se inferior ao homem
O gato sente-se superior a nós
O cavalo ve a gente de igual para igual. Nenhuma diferença rs...
Bjao e obrigada pela visita. Adorei!

disse...

q lindooooooooooooooo

sam rock disse...

Penso que a única grandeza dos humanos é recoñecer o pouco que valemos e o moito que loitamos por escapar desa condición.

betina moraes disse...

ah! wal...

uma doce celta perdida no mundo dos modernos edifícios.



que belo verso, tocou-me.


um beijo

.Leonardo B. disse...

[porque ela era um pouco de nós quando procuramos no espelho de água o reflexo do nosso rosto e encontramos a imensidão dos eus que não nos tinhamos apercebido que existiam dentro]

beleta,
com um imenso abraço e carinho, Walkyria

Leonardo B.

|não interessa tanto se há um link no blogroll, mas mais se há ligação directa entre o sangue que alimenta o nosso coração, se esse também passa pelo dos que estimamos|

Gisele Freire disse...

Adorei Wal, que história encantada!
bj

Sylvio de Alencar. disse...

Vc falou com poesia. Contou-nos algo, dessa forma.
No fundo, na imensa maioria, tirando alguns iluminados, é dessa forma que vivemos e morremos: como simples mortais.
Só falando, contando nossas histórias como vc o fez através da menina, é que vemos as suaves e naturais riquezas que contemos.
Abrçs. Lindo 'conto'.

Minha palavra de verificação: regra.
Pensei em 'normas', organização.

Luciana disse...

Olá, Walkyria, tudo bem? Só tô passando pra dizer que amei seu blog. Tão original. Adorei a ideia do slide sobre sua vida. Tão comum e ao mesmo tempo tão íntimo.
Poesia linda. Parabéns.

Beatriz Amorim disse...

Adorei o seu blog, maravilhoso! :D

Fátima disse...

Walkyria,
"nem tudo que reluz é ouro..."
Lindo poema.
Beijo.

EDUARDO POISL disse...

Há um tempo em que é preciso
abandonar as roupas usadas,
que já têm a forma do nosso corpo,
e esquecer os nossos caminhos,
que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia:
e, se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado, para sempre,
à margem de nós mesmos

Fernando Pessoa

Te desejo um lindo domingo com muito amor e carinho
Abraços

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Este poema está entre aqueles que eu desejaria ter escrito, e entre tantas coisas lindas que tive a alegria de encontrar neste teu espaço, foi o que mais forte atingiu o meu coração.
Fiquei sem palavras.
Para comentá-lo só usando o silêncio do coração.

Fim de semana de estrelas para ti.

Kimbanda disse...

Olá Walkyria.
Ela era assim,todos somos um pouco assim.
Uma cara alegre a contrastar com a melancolia que há períodos que nos invade como se dona da nossa alma fosse.
Acreditamos que algo de bom está germinar e depois constatamos que ou nós não soubemos lidar com a situação ou porque foi mais uma ilusão que tivemos a coragem de sonhar como se possível fosse de alcançar. Somos humanos,
somos de desejos e vontades, paixões e sentimentos que por vezes nem a nós queremos confessar. Por isso é tão difícil em determinados momentos ficar-mos a sós connosco.
Ela era assim, todos nós somos um pouco assim e uma vez mais, nestas palavras que partilha dá para nos ver-mos ao espelho, até porque, como muito bem descreve, afinal somos simples mortais.
Obrigado por este momento bonito que me sensibilizou.
Kandandus que atravessam tanto mar até si.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

kIMBANDA
Vc sempre me impressiona e conforta, por me escutar tão atentamente e, ainda me dar consolo e continuidade nos sentimentos e pensamentos. Obrigada amigo.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Aluisio
que bonito isso que vc disse, que alegria me saber acompanhada nessa vida.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Eduardo
sempre uma bela escolha!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Fátima
a gente muitas vezes se angana com bijouterias vida a fora.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Beatriz
que gentil, e que linda que vc é. bem-vinda!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Luciana,
então, essa coisa é esperta mesmo. É tudo tão simples e complicado, íntimo e público. Que coisa....
Bem-vinda

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvio
simples mortais.... mais pra mortais do que pra simples!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gi
tem encantamento nas palavras. Elas se unem aleatoriamente. Acho!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Leonardo meu querido
Existe sim essa ligação, esas veias abertas atravessando os ares e os oceanos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina
uma doce celta...sabe que tenho um pé nos celtas. A mitologia, nas danças, na raligiosidade tão da floresta... obrigada querida por ser sempre tão íntima.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sam
às vezes, em dias assim, me custa saber o quanto valemos....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Elaine
gostei das definições, e acho mesmo que o cavalo nos vê assim.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sonhadora...
obrigada pelo carinho!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...


obrigada!!!!!!!

Sylvio de Alencar. disse...

Kimbanda merece respeito! Falou muito bem!

Deus,o primeiro poeta! disse...

Ela era assim,na realidade cruel e tão suscinta (quanto soturna)de seu caos pessoal de indivíduo...Mas,na verdade real dos fatos,talvez o era porque as circunstâncias a fizeram pensar que ser assim seria inevitável;então resignada,acostumou-se a compreender sua própria limitação de não ser diferente do que as situações a queriam que fosse...Acontece conosco o tempo todo:sonhos escondidos no fundo de um coração,vontade de mudar,sem conseguir ir adiante;teoria e prática são opostas não por acaso...
Morte?Morremos muitas vezes dentro de um corpo ainda vivo para olhares desatentos;muitas destas vezes,somos nós os primeiros a não mais nos vermos vivos...
Wal,incomparável riqueza de detalhes fazem de tuas palavras um convite inadiável à boa e saborosa leitura!
bjsssssssss

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Roselaine
Deus foi mesmo o primeiro poeta. Olha, estou besta como com tão poucas palavras minhas, vc me mandou de volta, na lata, tudo tudo tudo. Sa pessoas aão todas irmãs mesmo. Umas mais, outras menos.
Olha, obrigada por tuas palavras, obrigada mesmo.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Roselaine
isto é demias de verdadeiro
"Morremos muitas vezes dentro de um corpo ainda vivo para olhares desatentos;muitas destas vezes,somos nós os primeiros a não mais nos vermos vivos..."

Deus,o primeiro poeta! disse...

Wal,não é muito difícil expressarmos opinião sobre algo com o que nos identificamos...
NÃO POUCAS VEZES,NOS DEPARAMOS COM PESSOAS ESPECIALMENTE SENSÍVEIS,MAS,POR CONTA DE SITUAÇÕES ADVERSAS,OU MESMO POR CAUSA DA FRAGILIDADE DO TEMPO,QUE NÃO NOS DEIXA SERMOS MAIS DEMORADOS,A PONTO DE NOS CONHECERMOS,E NOS AMARMOS MAIS DEPRESSA(A VIDA TEM ESSA PRESSA EXACERBADA E TÃO INÚTIL)TÃO LOGO NOS APERCEBEMOS PARECIDOS...,ENTÃO ACABAMOS COMPANHEIROS DE JORNADA,COLEGAS,CAMARADAS E CONHECIDOS...TUDO TÃO SEM PARCERIA OU INTIMIDADE...MAS,SE DEIXARMOS O CORAÇAO OUVIR SUA PRÓPRIA VOZ,ENTÃO ESCOLHEREMOS O CAMINHO CERTO:PODER FICAR PERTO DE QUEM AMAMOS,MESMO ESTANDO LONGE(OU PARECENDO ESTAR,POIS A DISTÂNCIA É APENAS O PRETEXTO PARA A SAUDADE SER ASSIM,MAIS POÉTICA.
aMIGA,QUERO TE DIZER QUE MINHAS PALAVRAS À RESPEITO DE "ELA ERA ASSIM" SÃO O QUE MUITAS VEZES SINTO:ALEGRIA,MELANCOLIA,TRISTEZA,DOR,FESTA,ESPERANÇA:TUDO JUNTO E MISTURADO...
a DIFERENÇA ESTÁ EM SERMOS INTENSOS,EM TUDO QUE SENTIRMOS,SEJA O QUE FOR,MAS SEM NOS DESTRUIRMOS COMPLETAMENTE..

Lu disse...

Bueno poema! gostei mesmo, natural e poetico

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Oi Lu
é isso mesno, algo assim bem natural bem de verdade, como nossa vão existência.

Anônimo disse...

http://weheartit.com/crazyreality


voltar pro céu