.

.

domingo, 8 de maio de 2011

Carta a uma desaparecida

.
vele a pena reeditar, porque não perco tempo de escrever de novo, a mesma coisa que ainda penso. E foi niver da mamis dia 25, de novo, todo ano é isso!
Oi mamis, tudo bem com você? Resolvi romper nosso silêncio e te escrevo, já que você se foi, assim, sem mais nem menos, sem nenhuma explicação, simplesmente desapareceu da face da terra, e o que foi pior ainda, nunca mandou notícias.
.
No começo foi normal, sabia que seria difícil a comunicação, mas com o passar do tempo, a saudade não diminuiu, como todo mundo falava pra mim que aconteceria. Não! Ao contrário, a saudade virou revolta e a revolta virou raiva. Eu pensava com meus botões e zíperes, que a senhora não ia querer usar métodos tradicionais pra nossa comunicação, tipo uma aparição, ou me assustar no meio da noite como um fantasma. Não! A senhora não gostava desse lance de espíritos, e, por outro lado, nunca foi santa, pra dar uma de aparecida.
.
Mas tenha dó mãe, com tanta tecnologia, e.mail, telefone, celular, blogs, sites, uma reles carta, tenha dó mãe, nada, mas nadica de nada da senhora dar as caras.
.
Então te escrevo hoje, que faz dois anos que a senhora se foi deste mundo, ou desta para melhor, supondo-se que exista algo melhor do que a vida. Imagino, que a exemplo da terra, o pessoal está comemorando seus dois aninhos de céu.
.
Ah!, deve estar uma festa porque, se há algo que a senhora gostava era de festa e bate-papo. E imagino que, aos dois anos, a senhora já tenha se iniciado nos mistérios da eternidade e entendido muita coisa que antes não entendia.
.
Ou será que é como fazer uma viagem pela primeira vez? Tipo que a gente volta empolgada por ter ido a lugares novos e sai contando dos roteiros e passeios e vem alguém e pergunta “massss, você foi no tal lugar assim assado?”, e a gente fica estarrecida por ter perdido aquela dica. E vai percebendo quanto ainda havia pra descobrir, que em uma única viagem não pudemos conhecer. Então a gente quer volta lá, ah quer sim, e fazer coisas que não fizemos da primeira vez. Nós, os eternos marinheiros de primeira viagem….
.
Então, sei lá, talvez não exista mesmo um fim pra descobrir, nem uma iniciação cem por cento garantida.
.
Quem sabe seja por essa razão que reencarnamos, que queremos voltar pra terra, quer dizer, se é que existe reencarnação né, porque aqui na terra, a senhora sabe, é um diz-que-diz mas ninguém sabe é de nada.
.
E sabe do quê mais? Conversando assim com a senhora, acho que aí no céu, também ninguém sabe de nada. Senão… pra que voltar…. ou pra que nascer….. se todo mundo sabe de tudo… pra que né?
 .
Bem mamis, então, feliz aniversário, muita paz, contentamento e plenitude, é o que desejo pra senhora, que teve uma vida tão intensa, nas alegrias e nas tristezas.
E nada de choro heim!, porque espírito não chora!, dizem!
foto: closed for eternity by ajss

.

56 comentários:

milu disse...

Que linda!!A minha tambem fez 2 anos em outubro que resolveu partir assim...tambem nao recebi nenhuma noticia ate hoje...Me emocionei com o teu post, queria tanto poder ve-la um pouquinho de novo. Mas espero enconta-la qdo eu tambem resolver partir. Por enquanto e' so curtir as saudades e a falta que estas maes nos fazem. Bjs,e obrigada pelo post.

NENSA MOON disse...

hi Walkyria Rennó Suleiman...
Thanks very much for visiting and following my blog.
I've just follow for you by google as well.

Nice blog you have here.
Please visit me more often when you free...

Enjoy your days!
with warm regards,
Nensa Moon

angela disse...

Vou deixar que o poeta fale por mim

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

(Drummond)


Bom domingo
beijos

cirandeira disse...

É Walkiriria, essa saudade também
sinto.Tanto, mas tanto, que tento preenchê-la(se é que é possível!?)
em meus sonhos! Mesmo tendo "desaparecido", ela continuará presente nossas vidas
para sempre.Compartilho do mesmo pensamento de Ângela através do belo poema de Drummond.
Um grande abraço e bom final de semana

Livinha disse...

Olá Walkiria, não poderia ser de outra forma, senão seguir o rastro que deixaste no meu recanto, o que sinto ter valido a pena, quando posso compreender o teu choro como canto, o mesmo canto que ainda canto, do meu choro que um dia já se fez em pranto.
Minha querida, o telefone, as cartas, enfim as correspondências, só chegam de lá pra cá quando disponíveis se encontram, ainda que de lá ouvem nosso pranto, mas nem sempre se dar a permissão de a nós acalentar...
Choro? os de lá tbém choram, não o choro molhado, feito salgado, como um mar revolto, mas o entristecer, por todos os prantos, que daqui os fazemos pros de lá sofrer, essa saudade angustiante por um bem querer...
Tenho recebido notícias, alívio e calma pra tanta dor sofrida, de minha mamis, de meu companheiro, pai de minhas filhas e isto nos dar uma força imensa, diante da dor que a gente sequer inventa dessa ingrata partida..
Mas aconteceu, como dia acontecerá conosco, pois que nesse universo maravilhoso, somos eternos viajantes, indo de lá para cá, quantas vezes forem preciso, pra reaver tantos erros.
Eu teria muito por aqui narrar, mas o espaço é curto e logo encerrará os caracteres, porem há tempo ainda de poder dizer, que tua mamis, não está longe nem falecida, está agora mais viva do que nunca esteve. Te abençoa, te sorrir, agradece a tua cartinha e assim ela te diz: Nunca estarei distante de ti filha minha, pois que um dia, haveremos de nos encontrar outra vez...
Deus te abençoe!

Que a Paz esteja contigo Walkíria.
abraços
Livinha

Sônia Silvino disse...

Muito emocionante!
Bjkas, minha amiga!

sam rock disse...

...Y yo te seguiré arrullando el sueño oscuro, te seguiré cantando.
Tú oirás la oculta música, la música que rige el universo.
Y allá en tu sueño, madre, tú creerás que es tu hijo quien la envía. Tal vez sea verdad: que un corazón es lo que mueve el mundo.

Madre, no temas. Dulcemente arrullada, dormirás en el bosque el más profundo sueño.
Espérame en tu sueño. Espera allí a tu hijo, madre mía.

La madre (Dámaso Alonso).

Un abrazo

Bєzєяяɑ Guimɑŗãeร disse...

Lindo blog!!!
O texto é bem interessante, faz a gente pensar sobre a morte e descobrir o quão pouco sabemos.


Até.

De cenizas disse...

No chora... ¡pero sufre!

beijos

Andrea Galvez disse...

Oi minha amiga...

To aqui lendo e relendo, tenho minha mãe aqui, mas faz 4 anos que meu irmão mais novo partiu daqui...[eramos tão ligados que quanto mais o tempo passa, mais doi a saudade...Mas fica aqueles momentos inesquecíveis que movem nossos passinhos dia à dia.

Enquanto eles estão em um espaço evoluindo, nós vamos aprendendo ainda o que viver neste campo de recreação...

Bjo querida!
Boa semana pra ti

Kimbanda disse...

Gostava de conseguir assim falar com os meus que já cá não estão, de forma tão clara e de bem com uma questão tão delicada, é o que tento, mas não consigo encarar com a aceitação que se impunha e que no teu escrito constatei. Achei que me seria extremamente reconfortante se conseguisse arrumar deste modo a minha postura perante a falta, o lugar vazio que nunca nem mais ninguém virá a ocupar.
Pedi a minha, tinha 3 anos e poucas são as lembranças a que me consegui agarrar pois que tão tenra idade não permitiu mais. Mas fui falando com ela toda a vida principalmente quando tudo à minha volta fica cinzento demais. Afinal nas aflições, quem não chama pela mamis, o nome mais pronunciado em todo mundo, o nosso melhor colo.
Resta saber se alguma das minhas dissertações com ela chegaram ao destino. Pelo menos as perguntas que lhes fiz nunca tiveram verdadeiro feedback, ou eu não tive a sensibilidade de me aperceber disso. Mas dá-me alguma serenidade.
Este escrito, fez-me pensar que não devo nem posso continuar a adiar uma conversa séria comigo mesmo e espantar os fantasmas que não me deixam encarar com outra naturalidade aquilo que a natureza nos impõe e que ainda não resolvi a contento.
Que essa saudade grande que sentes, chegue a ti com doçura e espante a mágoa que toca fundo nestas circunstâncias e onde ela esteja, que esteja bem, para que tu também assim te possas sentir.
Muita paz de espírito, muita capacidade para lidar com tão grande perda, te desejo com muita sinceridade. Ao fim e ao cabo o que para mim desejava e ainda não atingi.
Kandandus a atravessar tanto mar para ti.

Ira Buscacio disse...

Oi Wal!
Sei bem o significado da ausência, da saudade que nunca vai passar.
Outro dia, eu tava com tanta vontade de mãe, que acabei escrevendo algumas palavras pra ela e por ela, até postei no blog.
Há 14 anos que perdi esse colo, mas ele ainda me acolhe, nas lembranças do amor.
Compartilhando esse sentimento com vc!
Boa semana. Bjão

Sonia R disse...

Hola!
Con el texto de hoy has conseguido emocionarme. YO también tengo un par de personas de las que hace años que no sé nada, y la verdad es que me gustaría que hubiera algún modo, alguna manera, de no perder el contacto, como si sólo estuvieran lejos pero bien.
Es increíble como perdura el recuerdo y el dolor en el corazón.
Me ha gustado mucho el texto, ¡precioso!
Un beso!

Lorena disse...

tao triste, tao criativo

Luma Rosa disse...

Saudade doída! Pois sabe que nunca mais vai vê-la, mas a sente nas coisas que gostava e até mesmo em seu próprio rosto! Você é parte da sua mãe, sementinha que ela deixou aqui na terra! Cuide-se e ela ficará feliz! Beijus,

betina moraes disse...

wal...


foi um dos post mais difíceis para mim.


comentar aqui é "ter que" sentir a saudade eterna que tenho de minha mãe,

é ter que me lembrar o quanto nos sentimos abandonados, deixados, perdidos, quando elas desaparecem do mundo.


só vim comentar para dar apoio a sua saudade


e assim,

consolar a minha.



um beijo com abraço.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Milu,
essa gente que parte sem deixar explicaçaõ....não devia ser assim. Querida, obrigad por teu entendiemento e apoio.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Nensa Moon, thank you, darling for your worlds.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Angela
nossa, que bonito, e que verdade. Sabe,l percebi que tenho essa ausência nos meus braços, e que isso me faz feliz. Obrigada mesmo!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Cirandeira
que poema esse que a Angela garimpou.... ela faz isso mesmo e sempre. Vamos compartilhando nossas coisas, agora a saudade e a ausência.

Gostei muito do texto sobre o Haiti que vc nos apresentou em seu blog.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Livinha
vc me fez chorar, lágrimas de emoção e de paz. Que palavras mais generosas e bem escolhidas, como se fosse um presente que você teceu para mim.

Sinto mesmo que minha mamis está bem e está melhor, eu não saberia explicar, mas sinto.

E a benção que ela me deu por teu intermédio, me beijou o coração de modo muito forte.
Obrigada, obrigada.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sonia
tem muita emoção nas saudades que sentimos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sam
que belo poema.... peço à minha mãe que me espere em sonhos....lindo sentimento.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Bezerra
Que menina bonita, mas tá lá Bezerre...bem, a gente sabe pouco sobre a morte, e sobre a vida tbm...né! Obrigada pela leitura.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

De cenizas
é penso que os espíritos sofrem, mas não quero fazê-los sofrer.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

É Andrea
não há ninguém no mundo que não tenha uma saudade de alguém que se foi. Mas a gente não se conforma. Então o lance é seguir, e viver bem.
beijão minha amiguita!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Kimbanda
sei que desejas para mim, todo o bem e toda a alegria. Mas neu amigo, não se culpe por não ser perfeito a ponto de banir este luto da tia vida. Não deve ter sido fácil para vc viver sem uma mãe. Mas eplo visto, vc tem uma grande mãe interior, que te acolhe e abraça.
Querido, que que gente enfrente então a tua perda, a tua grande ausência, não pensando-se perderdor, mas sim um vencedor.

Te desejo força no teu caminho, pq vc precisa, ey preciso....a gente sabe que não é fácil afastar os fantasmas que criamos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ira
que lindo que vc escreva, se comunique com tua mãe, sabe, é um modo tão bacana de conversarmos com a gente mesmo.
Obrigada mesmo por compratilhar e fazer deste momento uma coisa mais leve.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sonia
engraçado como a gente queria ter notícias, saber se eles estão bem...você me compreendeu bem neste ponto. Parece que não faria mal algum se a gente soubesse algo. Querida, obrigada por compartilhar sua emoção.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Lorena
obrigada por sua leitura... de coração.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Luma
é isso aí...disse tudo. Sei que minha mãe quer minha felicidade, sem dúvida. Obrigada pelas palavras e pelo carinho escolhido que vc me deu.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah Betina
chorei de sentir tudo que você sentiu....sério, muito perto, muito perto...
Querida, tem dores que não cessam.
Obrigada por dividir comigo, ou por soltar meu choro que tava preso.

Blasé disse...

WHOOOOOOoooo!

Gerana Damulakis disse...

Depois do texto, fiquei sem palavras. O assunto me toma muito de perto; no meu caso, por meu pai.

Obrigada pela visita ao Leitora, pelos votos.
Voltarei aqui.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana
gostei muito do Aramis, e li outros minicontos e poemas, ele é bom mesmo, tão seguro em seus resumos. Obrigada por compartilhar sua saudade.

Sylvio de Alencar. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sylvio de Alencar. disse...

Um bom bate papo.
Não sei bem porque a tristeza (é mais... uma 'emoção', eu diria) insiste em bater para entrar; deve ser pelo tom de saudade que você sente. Você a fez sentir minha mãe. Perdi-a, como você. Sinto, muito. Como você.
Neste momento, sua saudade se tornou minha. 'Dói' um pouco o peito (ou algo assim).
Palavras ditas, palavras ouvidas.
Que ela a abençoe, a proteja, e a guarde. Como um anjo faria.

Deus,o primeiro poeta! disse...

"Saudade...Uma palavra que define o amor,na dor que uma ausência provoca. Mas,seria simplificar demais a saudade,se a resumíssemos em uma palavra apenas,não é mesmo?
O sentimento de se ter uma saudade é o sofrer na dor que não acaba,pelo simples fato de que a pessoa da qual sentimos falta não está por perto,e,por mais que tentemos não lembrar,para não sentir a dor,a presença de gestos e palavras expressada nos impedem de conseguir esquecer...
Esquecer é algo que alguém que ama não consegue compreender,pois quando amamos não queremos esquecer,queremos lembrar,por mais profunda que seja a dor,por mais que ela machuque o peito,e a alma,nós queremos lembrar...E pensar,recordar,e chorar,ao perceber que tudo é somente lembranças..De algo que não voltará jamais..
Saudade também é uma frustração.É algo que mostra a nossa impotência diante de fatos irreversíveis da vida;a saudade é dolorida porque ela mesma é a causa da ferida da perda não cicatrizar,e,além disso,será companhia em nossa vida,nos fazendo sentir sozinhos,mesmo em meio à multidão.
Quando sentimos saudade de alguém isto também demonstra que sentimos saudade de nós mesmos:do que fomos,e até do que poderíamos ter sido...
A saudade não passa,apesar dos anos,nem diminui,por causa da distância ou da ausência,mas aumentará,à medida que lembrarmos que o tempo fez com que ficassemos juntos,um dia..."
Querida,amada,sensível,especial e notável amiga,escrevi esse texto de uma só vez,em março de 2007,enquanto minha irmã caçula(Aline,na época ela tinha 25 anos)estava em uma UTI,com diagnóstico de uma leucemia rara,...Ela se foi,mas sei que está com Deus(Leia na Bíblia:Isaías 57,verso 1,2)...Ficou comigo a lembrança da pessoa maravilhosa e linda que ela era,e a esperança de nos encontrarmos na eternidade,e,de uma vez por todas,podermos ficar juntas sem que exista a morte,que hoje nos separa de nossos queridos...
DEDICO A TI,CADA PALAVRA MINHA,E ME UNO A TI,NESTA SAUDADE TÃO DOÍDA,MAS LEMBRE:HAVERÁ UM DIA EM QUE DEUS ENXUGARÁ DE TEUS OLHOS TODA A LÁGRIMA,E TE DIRÁ QUE,MESMO NOS TEUS MOMENTOS DE DOR INFINITA,AO TE AMPARAR,ELE TAMBÉM CHORAVA CONTIGO,POIS TE AMA DEMAIS,E PARA SEMPRE TE AMARÁ!
BJSSSSSSSSSSSS

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Obrigada Sylvio
por sentir comigo, sempre!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Roselaine
que texto lindo e imagino vc esvrevendo isso com uma tão querida irmã partindo.

Senti muito forte essa coisa de que saudade é a vontade de lembrar, vc tem razão. E percebo que posso lembrar sem deixar doer tanto.

Sinto mesmo, como vc tbm, que aqueles que partiram estão como que torcendo por nóes e, muitas vezes, nos ajudando ainda mais.

Obrigada minha amiga, por suas palavras e leitura.

Giovanna disse...

Lindo seu texto.. amei, e me fez lembrar da minha mãe, que apenas a conheci por foto, minha mãe se foi quando eu tinha 2 anos e 7 meses, nos deixou tão nova, com apenas 22 anos, mas deixou tudo preparado pra eu e minhas irmãs, talvez pra nunca se esquecer dela, como se soubesse que ia partir a qualquer momento e não queria que nos se sentissemos desamparadas, desprotegidas, deixou muitos relatos, escritos, uma grande caixinha da memória... ela sempre estava presente em mim... que num determinado momento eu a esperava no final da tarde sentada na calçada e ela nunca aparecia e eu não entendia e chorava a sua ausência, levou tempo pra entender a sua partida... até hoje eu sinto saudades dela, através da fotografia, fecho os olhos e tenho a nitida sensação de sentir seu abraço seu carinho, suas palavras pronunciadas através dos escritos que nos deixou....e hoje com 28 anos é somente saudades, sem entender ainda porque partiste tão cedo... mas me alegro em saber que um dia estarei com ela na eternidade, pois a minha fé me conduz a esse caminho... o reencontro....tenha um lindo dia, bjs Giovanna

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Giovana
fico muito comovida de vc ter compartilhado sua história e seu sentimento comigo e com quem ferquenta este céu aberto.

Não dá pra imaginar ter vivido assim, perdendo a mãe tão cedo como vc. Por outro lado, que mãe maravilhosa que recheou sua partida com tantas percepções e impressões deixadas para suas filhas.

A saudade é assim, poderosa e constante, mas sabermos que elas estão lá nos mundos espirituais torcendo por nós, e nos ajudando com seu carinho. Esta é uma sensação maravilhosa, sei que vc sente assim.

Querida, que Deus te proteja na sua jornada.

ju rigoni disse...

Bem, Wal, ainda tenho a minha mãe, já bastante idosa e dependente, mas ao ler seu texto fiquei muito tocada, especialmente porque me fez lembrar meus queridos pai e avó materna, - ela partiu trinta e cinco dias depois dele.

Não os acredito mortos, pois não consigo esquecê-los nunca. Penso que o esquecimento, sim, é a morte.

Bjs, Wal, e inté!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

É Ju
é um sentimento engraçado, eu não consigo pensá-la morta, pq ela existee fortemente na minha vida. Parece que foi viajar. Talvez por isso eu fique querendo notícias...

A Mina do cara! disse...

Pensei que seria uma carta triste de fazer as lágrimas aparecerem...

beijos pro ce.

Carol Morais disse...

Wal,
pensei em muitas coisas para te dizer. Muitas coisas que penso, que não penso, que talvez pense daqui a dois instantes...
Deixei tudo de lado. O que quero te falar, Drummond cantou em forma de poesia.
Peço também que escute aqui enquanto lê:http://www.memoriaviva.com.br/audio/parasempre.mp3

Para Sempre
Carlos Drummond de Andrade

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.


Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Arrepiada...

betina moraes disse...

bem... o meu comentário ainda é o mesmo...

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Mina do cara
mesmo em face do maior deterro, acabo fazendo uma piada.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Carol....
que linda poesia
e quanta verdade...

ainda vejo meus filhos pequenos....
e tenho uma vontade louca de correr pro colo da mimha mãe, coisa que nunca fiz....
quer dizer, perto da morte dela, eu fiz sim... e foi bom demais.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Depois dos 25, mas antes do 40!

aproveita, essa é uma idade ótima

arrepia que é bom fia!
obrigada por vir.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

bbbbbbbbb
só no sussuro!

b disse...

Ô Wal, a amazona é você e eu que caí do cavalo agora.
Se há essa coisa de céu, eu abraçarei minha mãe que prá mim é uma menina, já que ela se foi com 32 anos mas ainda quero caber no colo dela porque algo belo em mim parou de crescer quando ela se foi e ainda sou pequena menina aos 10 e ainda não sei ajeitar o soutien que não é mais menina moça, é soutien de pós menopausa, é alma que urge surge e ruge desse caos que é não saber onde como falar com nossas mães - só sabemos porque.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

b
minha b pequenina
penso que vc cabe no colo dela
e penso que ela ainda tem 32 anos
penso tbm que deve ser uma linda imagem
uma anti-pieta
vc, rugindo sussuros
sei
sabemos
filhas e mães...

Regina disse...

É, dói não ter notícias... E é, ninguém sabe de nada. Outra noite sonhei que eu dizia ao meu irmão do meio: “queria que ela me telefonasse, ela já ligou pra vc?” E ele falou que “Não, mas ela liga para o ... (e disse o apelido do meu irmão mais velho, que morreu antes dela), e ele me conta. Disse que ela está viajando e estudando muito”. Quem dera, né, soubéssemos que é assim.

Walkyria Rennó Suleiman disse...


Lilith da minha vida
que lindo teu sonho.....

que lindo vc me ouvir e me dizer isso

te gosto muito


voltar pro céu