.

.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Acontecimentos

..
Pela folhagem da noite
Duas estrelas
Duas estrelas entre o verde
E a distância de uma vida escondida.

As palavras, as histórias, os fatos
Tudo constantemente separado
Pela falta de imaginação.

O quente
O quente silêncio a escorrer pelo quarto
A inundar vermelhamente o quarto.

Olho os quadros na parede
E reparo, de repente
Na solidão do meu tapete.

Tantos ruídos do outro lado
Tanto barulho que
Absolutamente não reconheço
Nada me é familiar.
E essa noite continua
Sem que eu me situe
Sem que nada esbarre em mim
Ou me reconheça
Como um velho amigo de escola.

Nem sei mais o que pensar
Pensar
Compassadamente
No tempo
De repente
Pronto
Já estou eu
De novo a esperar não sei bem o quê.
Mas eu sinto
Eu sinto
E isso é desespero!

Eu sinto a impotência de esperar
Da espera do GRANDE acontecimento
Mas que acontecimento?
O entendimento...
Eu não compreendo nada do que me acontece.

foto - monislawa
.

58 comentários:

Nydia Bonetti disse...

Será que há quem compreenda, Wal?

Que belo poema! Belas imagens, num texto impecável. Muito bom.

beijoos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ai Nydia,
fico muito vaidosa com teus comentários " a meu favor"...hehehe. Porque você é a mestra!

MOISÉS POETA disse...

ADOREI !!
SÃO NESSES MOMENTOS DE DESCOMPASSO QUE NASCEM OS TEXTOS MAIS PROFUNDOS.
BELO POEMA , QUERIDA WALKYRIA !!

UM BEIJO IMENSO PRA VOCE !

.Leonardo B. disse...

[é terna a arte de tecer palavras, pequeno bordado de letras que adorna qualquer canto do mundo... por muito que ele seja redondo e irregular]

um dez cem meus abraços, Walkyria

Leonardo B.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Moisés
senti teu entusiasmo daqui. Ah, vale apena tudo, tendo resposta assim, como a tua, tão calorosa. Obrigada amigo poeta!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Leonardo
que coisa linda, pensar nesse bordadinho de palavras, tão fininho e, no entando, capaz de cobrir as arestas e os cantos pontiagudos do mundo! Do nosso mundo interior.

Ah Leonardo....quisera saber escrever como vc!

angela disse...

Quisera eu escrever como tu.
Lindo poema.
beijos

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Angela
perdi o rumo agora...foi um agrado de amiga. Que linda!

opinião própria disse...

Adorável texto poético. Beijos.

betina moraes disse...

wal,

mais um texto emocionado sobre as marcas deixadas em alguns humanos mais sensíveis.

belo, com as linhas distribuídas de forma a nos fazer percorrer a escada em caracol, descendo até lá onde está o eu profundo (a foto é belíssima, belíssima!)e as ideais vão se estreitando, "não conheço o som lá de fora e nem o som aqui de dentro!" maravilhoso.

acho que todos nós nos sentimos assim, mas poucos vão até lá dentro para admitir. por causa de coisas assim é que você é poeta.

um beijo, querida! eu estava com saudades.

Sonhadora disse...

Minha querida
Como te compreendo...tuas palavras, são os meus sentires.

Olho os quadros na parede
E reparo, de repente
Na solidão do meu tapete.

Beijinhos
Sonhadora

Cadinho RoCo disse...

Por vezes compreender é tão estranho!
Cadinho RoCo

Gerana Damulakis disse...

Os versos concordam com o que procuram expressar, seja pelo ritmo, seja pela escolha de certas palavras. Gostei bastante.

Lorena disse...

cuando tudo mais falha ha' musica

Sylvio de Alencar. disse...

Lendo este poema leio você, neste momento (do poema).

ABRÇS!

umihoney disse...

Lovely poem,I am sure the poem would sound nicer in your own language,well I have to make do with the translation.I also like the pix..real nice.Thank you for sharing.Take care.

Denise Portes disse...

Walkyria
Adorei conhecer seu blog! De que cidade você é?
Um abraço
Denise

Ju Fuzetto disse...

Que lindo Wal!!

adorei seu blog!!

Perfeito, Parabéns!!


beijocas

Nosso ! Blog disse...

Muito bom esse lugar
Abraço!

Mai disse...

Há coisas incompreensíveis, mesmo.
Porém há marcas que ensejam a libertação daquilo que escraviza.
belo texto!
Abraços.

Thalita Souza disse...

Lindoo!
Na vida,há coisas incompreensíveis aos nossos olhos...mas vá entender esse nosso coração né ;)
beijos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Opinião própria
obrigada pela visita, pela leitura e participação.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina
vc é especial mesmo. Sua atenção, ou sensibilidade, bem, não sei onde pega o lance. Mas é incrível vc sacar a espiral, o labirinto, a divisão das palavras....
Digo que, nem mesmo eu havia percebido até o momento em que escolhi essa foto. Foi só então que entendi o que, e como havia escrito.

Obrigada querida.... e obrigada pelas saudades tbm.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sonhadora
lendo seus poemas como faço sempre, posso entender onde nossos sentimentos são almas gêmeas.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana
como maravilhosa leitora crítica, vc vai lá, no que interessa. E ainda dá um presente, gostando do poema. Obrigada, sua opinião é bem importante para mim.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Lorena
é verdade, que faríamos sem a música anos encantar?
Obrigada por sua visita.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvio
vc sempre me lê
vc sempre perto!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Cadinho
por vezes compreender é fundamental, e tão extraordinário.
Obrigada pelas palavras.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Umihoney
Lovely coment. I like so mutch the pix. Thank you for your efforts and friendship. Kisses

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Denise
sou de São Paulo, e olha só, entrei no seu blog e gostei demais! Voltarei.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ju
obrigada pelo entusiasmo!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Nosso!
entra que o céu é nosso!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Thalita
e a gente ainda uqer ser compreendida, nós, tão atrapalhadas....rerere.

Bill Falcão disse...

Só os bons poetas conseguem perceber a solidão de um tapete.
Bjooo!!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Bill
bons poetas observadores, rerere.
Adorei a equipe do teu blog!

Vinicius da Cunha disse...

O mais louco de tudo é que a gente segue esperando.

abraço

Rosi G.C. disse...

Todos esperam por algo na vida...O trabalhador,que possa receber um salário um pouco mais digno;a mulher,que encontre o príncipe dos seus sonhos(mesmo que depois descubra que ele não é príncipe,nem sapo,mas muitas vezes parece ser,sim o cavalo do príncipe...coice,coice..rsrsr)..O homem,espera ter por amada(ou mesmo amante)uma Juliana Paes da vida(mas não quer dizer que vai ter,algum dia...)os filhos,que não precisem ver seus pais partirem tão cedo...Os pais,caretas ou mais liberais,tem esperança de verem os filhos bem casados,longe de drogas ou escandalos mil...Deus,nosso Pai,espera que sejamos felizes,em pelo menos boa parte de nosso tempo aqui na terra,até que venha nos chamar para estarmos felizes,com Ele...Enfim todos esperamos algo;mas e os poetas,esperam...?
BEM,COMO TU BEM EXPRESSOU,O POETA É TÃO LÚDICO E SONHADOR,QUE ESTÁ SEMPRE A ESPERAR,SEM SABER EXATAMENTE O QUE...O melhor do sol não é vê-lo,já despontando no horizonte...Mais nobre e sublime é esperar,sonhando,durante a noite,com ele...
Wal,és uma amada,uma querida notável!
bjss

Isabel Maguiar disse...

Eu sou nova aqui... mas gostei e vou voltar. Gosto de acompanhar boa poesia! :-)

LMDP disse...

Eu sou como o banqueiro Suiço "se vires alguém atirar-se por uma janela vai a atrás que deve ser bom negócio."

Neste caso, alguém muito chegado entrou e eu segui os seus passos.
Vou ler depois farei o meu comentário.

Kimbanda disse...

Olá Walkyria.
É um sentir de poetiza essa tela de pensamento profundo, que lê o âmago, o intimo recanto.
Gostei imenso, porque uma vez mais consegues transmitir o que muitos sentem, mas não sabem como explicar.

Com razão, ou sem...
As sombras espectam luz,
Fundem-se com a alma,
Quem sabe vêm por bem
E a nos fazer jus.
As estrelas diluem-se
Em partículas brilhantes,
Talvez nos dizendo...
-Não fiquem expectantes,
Atrás de mim, vem um novo dia
Que vos aguarda e estendo...
E meu abraço, esse abraço
Que fará a magia!

Kandando a atravessar tanto mar.

Pérola disse...

Boa tarde.
Amei o seu blog.
Sua postagem é cheia de mistérios,um tanto curiosa,muito interessante.
Estou te seguindo.
Voltarei sempre.
Um beijo.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Isabel
seja bem-vinda e obrigada pelo estímulo.

Ursula disse...

Walkyria...

hay sentimientos... latidos... que la razón no entiende y que solo el corazón reconoce...!

precioso!!!

hermosos días!!

beso!!!

Taty Cascada disse...

Vaya escritura la tuya, preciosa,muy delicada...Buscando poesía llegué a tu espacio,mis felicitaciones.
Besos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Vinicius
isso que é o duro, continuamos a esperar.....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Rosi
como gosto de ler o que me escerve. Sempre me amparando e tornando mais nobre e com sentido o meu viver.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

LMDP
então aguardo seus sentimentos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Kimbanda
se é verdade que exprimo o que muitos sentem, eu não sei. Mas é verdade que vc entende e retorna mais ameno, tudo que sofro.
Seu abraço sempre ganha do mar, e chega até mim.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Pérola
no seu blog tem muito mistério, muita coisa pra viajar. Obrigada pelo comentário tão gracioso, típico de uma pérola!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ursula
verdade isso, a razão desconhece nossos mistérios.

Se7e/5 disse...

O pensamento anda muito fraquinho por estes lados. Ou isto muda, ou isto muda; assim é que não pode continuar. Isto de fazer favor é uma merda fodida.
leia e PENSE!

“A cultura é uma merda cansativa. Ter de saber tudo ou, pelo menos, mais do que os outros, não deixar cair a “pena”, manter a noção do texto corrigido antes de o escrever. Estar permanente sóbrio num estado de embriaguês, quando apetece vomitar sobre os intelectuais da telenovela da hora nobre. E em nós também. Porque não suportar propostas políticas aliciantes? Intelectuais. Ao serviço do poder, do partido, dos lados ou das cores; qualquer desculpa serve o propósito. E a cultura é apátrida! E conservar a imagem de personalidade do ano, como tias “estafermadas” sem corpo, sem neurônios, sem vergonha na plástica e acultura que se foda! Estes intelectuais btranspiram diferença e indiferença, inspiram o oxigênio do euros, dólares e reais e a expiração tem o curto prazo de um governo eleito. Sem tempo para respirar, porque a cultura é asfixiante , porque ler um livro não basta, nem milhões de livros garantem uma cultura de se lhe tirar o chapéu. Não há tempo para respirar cultura! Apenas se aguarda uma cajadada no lombo porque o pastor se aproxima para escolher uma ovelha ranhosa para o sacrifício. As ovelhas ranhosas são perigosas, tal como as ovelhas brancas em rebahos de ovelhas negras. As negras també se abatem mas, antes da prática carniceira, são descriminadas. Não há ovelhas negras em governos Brasileiros. Talvez haja. Jogados a um canto escuro a coberto da noite, onde permanecem até a aparição ter que ser uma conveniência branca.Tal como qualquer outro rebanho. Tal como as tias e descrentes que se movem em espaços virtuais, pastando como ovelhas negras, frequentando círculos próprios onde se isolam em divagações de alta sociedade, cuspindo disparates que os fazem dormir mal e acordar pior.
A cultura do sec.XXI é uma mescla de economia global, política dominante e apropriação intelectual ao serviço da proliferação da miséria e sofrimento, como factores de revitalização permanente dos esgotamentos evolutivos periódicos. O conhecimento corrompido e a cultura de almanaque e jornal desportivo remete para o conhecimento desenraizado do progresso democrático sob a égide de um Estado de Direito, mas sem qualquer ética como regra.
O fantoche intelectual é uma realidade que descança na palma da mão e se equilibra no dedo acusador dos oportunistas sem escrúpulos, os poderosos, com objectivos de domínio global. São estes fantoches que anestesiam e embalam as massas, mantendo-as desfocadas da realidade. Quando a dor se revela, esses intelectuais “blogosferam-se”; fogem para a lixeira inconsequente dos desabafos indignos”.
Isto é a BLOGOSFERA, na qual todos vós chafurdais, como porcos num chiqueiro. Se aqui o se7e/5 estiver errado, provem!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

7e5
fui, vi e gostei!
te sigo

EDUARDO POISL disse...

Muito lindo como você escreve seus poemas, queria eu saber escrever assim, lindo poema.


"... E de novo acredito que nada do que é
importante se perde verdadeiramente
Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas,
dos instantes e dos outros.
Comigo caminham todos os mortos que amei,
todos os amigos que se afastaram,
todos os dias felizes que se apagaram.
Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

Miguel Sousa Tavares

Desejo uma linda semana.
Abraços com carinho.

BAR DO BARDO disse...

Tem vez que é assim mesmo...

Beijo, Wal!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Henrique
NEM!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Eduardo
É uma ilusão, como bem diz Miguel, que eu adoro e que vc, com sua sensibilidade e pente fino, sabe trazer à luz!
obrigada

ju rigoni disse...

"Eu sinto a impotência de esperar
Da espera do GRANDE acontecimento
Mas que acontecimento?
O entendimento...
Eu não compreendo nada do que me acontece."

Escorreguei pelo seu texto e caí dentro de mim. Eita, Wal!

Cá estou, hoje, como eu gosto; com tempo para xeretar o seu blogue.

Indo para outro post...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Poxa Ju, adorei teus comentários tardios, pero certeiros. A vida....que será isso afinal! Beijo grande pra vc.


voltar pro céu