.

.

domingo, 25 de abril de 2010

Descarregando culpas

.
Não tenho certeza, nem sou a melhor juíza para dizer o quanto aprendi na minha vida. Mas se há uma coisa que aprendi na carne, é que as pessoas detestam mudanças.

Elas dizem que querem mudar, de cidade, de trabalho, de companheiro, de casa, mas estão sempre no mesmo lugar e, esse discurso repetido ao longo de uma amizade, prova a estagnação em detrimento da mudança.

O ser segue a vida dizendo que quer fazer aula disso ou daquilo, ter um hobby, plantar um jardim, colecionar moedas ou bibelôs e, no frigir dos ovos, não faz nada em prol desses pretensos desejos - citando apenas trivialidades.

Eu já falei disso aqui no blog, o que prova como estou ainda no mesmo lugar, ou seja: de Olimpo a Inferno, sigo minha vida para cima e para baixo, dentro desse elevador mental.

O que me traz de volta à vilã de minha satisfação e alegria: a ilusão.

É incrível que ninguém consiga efetivamente mudar muita coisa em sua própria vida. Em contrapartida, ou talvez, justamente por isso, estamos sempre aptos a mudar tudo na vida do outro.

Ah, com que facilidade e fluência dizemos que o governador, o papa, o prefeito, o técnico, o juiz , nossos filhos, pais e amigos, deviam fazer isso e aquilo, tinham que ter coragem de mudar, de ser criativos.

Não tem um lugar que eu frequente, começando do posto de gasolina, passando pelas mesas de bares e blogs, finalizando na minha própria casa, que eu não tenha ideias geniais para mudar a vida alheia.

Ah, como os outros são transparentes para nós, e como suas questões são óbvias.

Nem preciso ir muito longe, porque talvez, você aí pense que estou exagerando. Oquei, então deixa eu trazer à luz uma situação muito recorrente em nossas vidas. Você está doente, vai ao médico, ele te passa um remédio X , que você compra, chega em casa e lê a bula. Decide por você mesmo, e por seus vastos conhecimentos em medicina, a mudar a posologia. Ou a não tomar nada, ou ainda, a tomar outro medicamento que o farmacêutico disse que era muito melhor e mais barato.

E receitas culinárias ¿ Você azucrina aquela pessoa, até que ela te manda por e.mail a receita daquela iguaria maravilhosa. A postos, você inicia a leitura e começa a franzir a testa, entendendo que aquele ingrediente podia bem ser mudado por outro. Na hora de fazer a receita, começa seguindo direitinho, e na metade, o papel já está perdido pela cozinha, fato que você apenas percebe, quando a receita parece estar desandando.... claro que não foi porque você mudou tudo.... aquelazinha não daria a receita pra você assim, numa boa... mas onde está a porra da receita¿

É a ilusão gentefina. É esse mundo de ideias que criamos em nossa cabeça, que existe apenas lá, e que se choca com a realidade. E pasmem: nesse momento não nos conformamos que o mundo não seja exatamente como o criamos em nossa cabeça. Não culpamos a ilusão, os mundos imaginários, culpamos o outro por não seguir as normas e estatutos do nosso governo interior.

É triste.... somos indisciplinados com nossas criações mentais. Acreditamos nas coisas que criamos, e esperamos que tudo transcorra segundo aquele modelo, único, pessoal e intransferível: o nosso mundo ideal.

Nossa mente, nossa cabeça, é tão protetora, tão medrosa e gentil, que nos engana para que não soframos, para que não mudemos, para que vivamos vidas de mortos. Porque onde não existe mudança, é no campo dos mortos.

Gentefina, a gente quer mudar até Deus.... Deus é recriado de inúmeras formas desde que o homem colocou seus pezinhos nesta terra. Ele muda de cor, de raça, de idade, de cara, de roupa, tudo a critério das ilusões e ideais de seus criadores. Não contentes com isso, cada um em particular, cria seu Deus mais assim, mais assado, apenas pra enquadrá-lo em seu mundo ideal, sem risco de estar pecando.

Sério gente.... e no final, o outro é sempre o culpado, porque ele não entendeu a grandiosidade de nossas ilusões, de nosso mundo criado em função de nossos padrões, dores, criações, e temores.

Oquei, vocês não acham que tenho a solução, né não ¿

Sinto muito, não tenho não. Estou nessa roda viva como qualquer outro simples mortal. Mas adivinho no meu coração, que tenho que ter mais coragem, agir com o coração. Ter mais entusiasmo, deus interior, e largar mão de tentar mudar o mundo em função de meus mundos interiores.


Penso que assim, livre da ilusão e desses reflexos patéticos, conhecerei gente de verdade, terei amigos e amores de verdade, sorrirei e chorarei de verdade.

E serei feliz..... de verdade!
Isto é, se é que esse ideal de "verdade" que criei na minha cabeça, exista.


fotos:
TaNgeriNegree
Dechobek
Annie Leibovitz

.

29 comentários:

Mundo Mundaca disse...

Magnífico texto Wall..olha parece que vc lê a mente humana e entende bem seus meandros.
Isso de mudança é sempre asutador mesmo. O conhecido mesmo que feio e ruim é mais comfortável do que o que não conhecemos..a ânciedade provocada pelo anteceder das mudanças ,do desconhecido, do instável isso é que mata...pelo menos a mim.
Vivo fazendo mudanças físicas ..cambiando de pais,de casa,de corte de cabelo..mas talvez as verdadeiras mudanças a serem feitas sejam em meu mundo interior.

Sonhadora disse...

Minha querida
Um texto genial e verdadeiro...é mesmo assim., o desconhecido assusta sempre.
Beijinhos com carinho e um bom Domingo.

Sonhador

Gilson disse...

Wall, minha menina, talvez este tenha sido o post mais bacana que já li por aqui desde que te conheci. Você discorreu sobre nossas vidas de uma maneira honeste e verdadeira que me deixou feliz. Você é demais. Eu paro o mundo para te aplaudir.

Bjs

Blogadinha disse...

Não fosse a generalidade da aplicação e diria tratar-se de um qualquer conformismo português. :P

Diz que o sonho dista sempre do objectivo por uma linha de tempo mas igualmente por um plano de concretização - pena, muita, que não saibamos tirar o melhor partido do primeiro. O segundo seria tão mais fácil.

Boa reflexão!

Boa semana

Sylvio de Alencar. disse...

Dicotomias eternas e inescapáveis.
Quando viajamos de avião, ou vemos as pessoas (cidades, casas), através da janela de um veículo, ou quando ouvimos uma música que nos agrada, nos sentimos 'separados'.
Sei que existe uma 'posição' em que estamos ligados a todos e à nós, intuo-a; difícil é permanecer nela.

Gerana Damulakis disse...

Concordo com tudo, no geral é assim mesmo. O desconhecido mete medo, daí o medo de mudanças. Mas, às vezes, chega a ser estupidez não mudar.Deixei a estupidez. Falo por mim, e mudei a minha vida e mais, usando o clichê, sem medo de ser feliz. Valeu a pena.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Yasmin, minha princesa de olhos tristes

Penso que mudanças são assim, no cabelo, no país, no coração, até mudar a marca de um sabonete, às vezes, é penoso para nós.

O medo do desconhecido é tema de romance, Odisséia, poema e tese de doutorado desde que o mundo é mundo. A gente pode abusar deste medo. Normal. Mas não podemos nos paralisar.

Afinal, é um trabalho pra vida toda, por que mudar e evoluir, não tem começo, nem meio , nem fim.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sonhadora
sempre assusta, mas a conta do meu cartão de crédito me assusta mais!

Blog do Mensageiro disse...

Oi, Wal, vim agradecer pelo carinho e pelas palavras, já estou voltando à rotina normalmente. Penso que esses 'projetos' que idealizamos e que acabam ficando no campo teórico são o combustível para o dia a dia, a cenoura que funciona como armadilha. É um saco isso, porque parece que sempre há algo inantingível na vida e temos a sensação que, no dia em que nos despedirmos dela, algo ainda estará em falta. O negócio é criar metas sim, mas torná-las suficientemente plausíveis para que a vida nao seja um tormento em função disso. Ess meu 'tempo' serviu pra isso tambem.
Bjos e otima semana!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gilson
não para o mundo não....aplaude andando!rsss.
Olha, desculpa, mas eu já escrevi um monte de lance super parecido com esse. Aliás, me repito nesse tema.

Mas querido, que bom que te deixei feliz. Viu, meus podres são adubo.....rsrsrs.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Blogadinha
eu penso que a ilusão mata o sonho. Nesse sentindo, temos que matar a ilusão pra voltarmos a sonhar.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvio
que demais, que jóia vc escreveu aqui. De longe, tudo parece desfocado, somos observadores. Dentro, estamos no olho do furacão.

Essa postura de ser um e ser com o outro, que é difícil, que mata a gente. Amei, amei....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana


Quando leio teu blog, sinto que estou diante de uma mulher que se sabe, que se conheçe, que é feliz.

Tenho essa sensação e, talvez também por isso, te visite amiúde.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Mensageiro
Que bom que vc voltou, são, salvo e animado.
Sempre esse turbilhão, muito do macho, passando por aqui e agitando a casa.

Blog do Mensageiro disse...

Tô aqui, muié, ja passei a jato!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

André
deixa de dengo!

Tânia regina Contreiras disse...

Ai, que não é mesmo, que você tem toda razão? Vesti a carapuça, do tanto prometido pra mudar e e eu aqui...adiando! Mas o texto me deu fôlego, prometido: mudanças à vista! rs
Beijos

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ai Tania
que delícia...
isso aí menina
todo dia um pedaço
um dia
eu segundo
a vida é um segundo

Patrícia Gonçalves disse...

Estava pensando justamente isso na estrada, no caminho de volta pra casa. Cara, podemos mudar tudo, podemos nascer de novo, recriar um novo ser, uma nova vida, a cada dia que começa. Podemos sim, ser seres melhores, encontrar Deus, encontrar nós mesmos, ou então, só fazer a aula de canto, ou voltar a pintar, ficar milionária.... Deus, são tantas as oportunidades e eu aqui e meu umbigo.
beijão

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Patrícia
pois é, tem todas as possibilidades, tudo é possível, é um puta universo....e a gente presa. Olha, mas já estamos pensando mais nisso, e rindo, é um sinal!

Sil.. disse...

Walkyria, Realmente perfeito esse texto. Me vi nele, acredite.
A gente faz mil planos, mas ficam as vezes só na nossa cabeça, desejo e vontade. Partir para realizá-los é o que é...
Mas acho que a gente chega lá.
Sempre, alguma coisa em nós não nos permite estagnar.
Um grande abraço!!!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sil
olha, sei lá, fazer mil planos é do ser humano, chegar em algum, bem, depende de tantos fatores que fogem à nossa compreensão.

Mas veja, o único fator que depende de nós, é não ter ilusão. É não parar pq as coisas não são como a gente quer. É não culpar o universo pelas coisas que não podemos mudar.

É parar de querer mudar as coisas, as pessoas, o tempo, as leis da física.... poxa, acho que é isso.

Vc me ajudou neste parto de palavras.
Bem vinda!

betina moraes disse...

"É triste.... somos indisciplinados com nossas criações mentais. Acreditamos nas coisas que criamos, e esperamos que tudo transcorra segundo aquele modelo, único, pessoal e intransferível: o nosso mundo ideal."


o que me impressiona é sua clareza, para escrever e para pensar sobre as coisas mais incomodas possíveis. a escrita que você produz é tão afinada que nos faz acreditar com fé e tudo o mais que estamos na sua sala, te ouvindo!

os temas que você escolhe são tão íntimos de nossas agonias que é como se estivéssemos conversando com nossos botões...

na crônica íntima de hoje você nos propõem que deixemos de besteira e passemos para a hora em que vamos admitir que "somos os mesmo e vivemos como nossos pais", e o pior é que está certa! o pior que pode ser o melhor pois se nos damos ao direito de aceitarmos ser quem somos viveremos sem 70% da ansiedade com a qual devoramos e somos devorados.

dizem os adeptos dos estudos da psique humana que desejamos tantas mudanças por um desejo inconsciente de enganar a passagem do tempo, ou seja, a dona morte.

não sei,
sei é que você sempre "pega no ponto",

um beijo, mana.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

BBzinha, Betina

essa música que vc cantou aqui, que nem ouso repetir, me persegue.
Já faz tempo eu vi vc na rua, cabelo ao vento, gente jovem reunida....
É um silêncio no meu peito, uma dor muda, eu me vejo, eu me vejo, e sei que pensei que seria tudo diferente.

E eu quis mudar o mundo,mudar as pessoas e eu levei tanto sarrafo, tanta porrada....
Acabei com minha juventudo, pensei que havia vivido uma vida perdida, me contorci em espelhos e giletes, em gargalos apertados, e camas desconhecidas.

Mas agora, sabe, descobri esse olimpo, esse monte mais alto do mundo, onde vejo tudo e vejo nada, mas sei, sei que o que eu tenho, o que eu posso, e que é o maior feito espiritual de uma pessoa, é mudar a si mesmo.

Mudar o que incomoda e abraçar o que gosta. E pau no mundo, nos outros... porque ninguém vai viver a minha vida nem morrer a minha morte.

Querida, obrigada, vc me faz pensar que estou no caminho certo. E que, não, não sou como nossos pais.

Quer dizer, tô na lida. E vc tá linda na nova foto. Se nção fosse pelos patuás e bugigangas, eu diria que era uma pintura renascentista. rssss

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

betina
esqueci de dizer que te adoro
que vc é importante pra mim
que hoje, não vivo mais sem vc
sei que passa
mas hoje é assim

Carol Morais disse...

[comentario sem acentos]

Wal,
A verdade eh que nos temos medo de mudar. Sempre. Porque, eh tao dificil nos sentirmos seguros em algum lugar, de alguma forma, em alguma situacao. Para que iremos mudar de casa, se todos ja conhecem meu endereco, se as minhas correspondencias vem para esse meu endereco ha anos? Pq irei mudar de amor, se o mesmo me acompanha, diz que me ama e assim poderemos ficar para sempre? Nao vou correr o risco de ficar sem, ja que nao sei se outro me amara(o que, nao eh o meu caso no mento, rs). Mas, pq mudar meus habitos alimentares, se nao poderei mudar minha rotiNa? E pq mudar a rotina se ela ja eh a mesma desde que me entendo por gente?
O medo eh o sentimento que nos faz nao fazer nada. Ele anda ao lado da Seguranca e a gente nem se da conta disso. Nos queremos ficar seguros, seja la onde for, com quem for, ate com a gente mesmo.

Eh, minha amiga Wal. Temos medo, e nao mudaremos nem isso!

Um grande beijo

betina moraes disse...

wal,

tá no caminho certo sim, a caminhada é boa e a paisagem grantida!

vamos indo

e juntas, pois é mais gostoso caminhar com outros do que só.

tenha certeza de que para mim é igual, já não vivo sem você, pode crer!

um beijo, deusa maior.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

CAROL
PELAMORDEDEUSPAI!
NÃO, NÃO e NÃO.

Tava gritando mesmo. Olha só, não deixe que "eles", esse imperativo categpeiro façam vc acreditar que não pode mudar, que nada mudará. mentira, minha fada, mentira.

Pensa no quanto vc já mudou na tua vida. Não se deixe levar pelo instituído, não aceite self service, peça a la carte.

Carol, Carol, a vida é mudança constante e, quando a gente pensa que não está acontecendo nada, tá tudo acontecendo.

Só de vc ficar puta como ficou, já é uma mudança.

Sério, acredite nisso, ou estamos perdidas.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina
eu tô agarrada em vc.


voltar pro céu