.

.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Liberdade? Igualdade? Fraternidade? Que porra é essa?

.
 
"A Assembleia Nacional francesa aprovou por maioria esmagadora um projeto de lei que proíbe o uso em público de burca ou de outro véu que cubra o rosto. Pelo projeto, mulheres vistas em público de burca ou niqab - que deixa apenas os olhos à vista - terão que pagar multa de 150 euros. Se um homem obrigar a mulher a usar esses véus será multado em 30 mil euros e pode pegar um ano de cadeia." fonte

Bem gentefina, neste 14 de Julho, para comemorar mais um ano da Revolução Francesa, essa lei foi aprovada. Me pergunto se os católicos poderão usar crucifixo, ou se os judeus ortodoxos poderão vestir aquelas roupas pretas que lhes são características, ou ainda, se os Tibetanos poderão passear livremente em Paris com suas batas terracota....

Essa famosa Declaração dos Direitos do Homem, nunca foi tão patética, a meu ver. Liberdade cerceada, igualdade controlada, e fraternidade pouquissimamente irmã, fazem desta data, hoje, para mim, um marco da intolerância, barbárie esclarecida e sectarismo à toda prova.

É um marco, gentefina, infelizmente, se nada for feito por nosotros, essa data será lembrada com lágrimas e um mea culpa ensurdecedor.

Me lembra das palavras de um escritor, que esqueci o nome, na época do Movimento Nazista na Alemanha.


“Um dia vieram os soldados 
e levaram uma família judia.
Eu não sou judeu, então não me importei.
No outro, buscaram uma família de ciganos.
Como eu também não sou, não me importei.
Em seguida buscaram os homossexuais
e também achei que não era comigo.
Depois vieram me buscar e não havia mais ninguém para reclamar”.

39 comentários:

T disse...

Interessante esse pensamento. Além da anarquia, não vejo como que cada um seria completamente capaz de decidir o que quer e o que não quer. Toda lei gera um tipo de desigualdade, mesmo que seja para compensar uma desigualdade que esteja acontecendo na sociedade (por exemplo: Lei Maria da Penha, que existe porque mais homens batiam nas esposas que mulheres nos maridos). A questão da burca é gritante, mas provavelmente se liga a medos franceses ligados aos muçulmanos ou à própria religião.

Wall vou te pedir uma coisa, tem como liberar o texto integral dos posts no RSS? Daí eu consigo ler tudo pelo google reader.

Abraços
T

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Tiago, se vc me ensinar, eu coloco com todo prazer.

Quanto ao seu comentário, que vou dizer? Como fã de Bacunin, do Yamaguishismo, e da liberdade..... sou mutcho anarquista.

Helcio Maia disse...

Anarquistas, graças a eus, mas parece que lá na terra da Carla primeira nem todos os deuses são veneráveis e respeitáveis.
Intolerância, norma ilegítima, no que representa de negação à alteridade. Tem cheiro (fétido) de darwinismo social, de primeiromundismo nauseante.

Gerana Damulakis disse...

Concordo. É patética.

betina moraes disse...

wal...

ninguém deve ser FORÇADO a abandonar seus costumes culturais. é realmente uma violência.



o texto, meu amor, não tem autor definido, se trata de uma (bela) história da "tradição oral" judaica.

eu nem te conto o que achei perdido nesse mundo de meu deus do céu aberto... não! te conto sim, mas por e-mail...

beijos, querida amiga, que me dá uma surpresa atrás da outra.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Hélcio
mandou bem..... cheio de razão....gostei!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana
e temos dito!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina
é um mudão de disparates.... esse primeiro mundo, é quem lança a violência disfarçada em legitimidade.
Ai meu JesusMaria$Joseph....manda logo esse mail que eu sou cardíaca....kekekkekkeke

tania disse...

Concordo! Neste trecho, você já disse tudo:
"Me pergunto se os católicos poderão usar crucifixo, ou se os judeus ortodoxos poderão vestir aquelas roupas pretas que lhes são características, ou ainda, se os Tibetanos poderão passear livremente em Paris com suas batas terracota...."
Pois é... retrocesso danado. Mas, os muçulmanos estão mesmo sendo estigmatizados de todas as formas. Veja esses emails que circulam por aí denunciando pedofilia com referência a práticas sociais que estão muito longe da compreensão do denunciante, sem contexto nem nada. E muitas vezes totalmente inverídicas. E o povo passa adiante sem nenhum senso crítico e segue alimentando esses fantasmas persecutórios, que sabemos muito bem onde podem dar (ou já dão).

Sylvio de Alencar. disse...

Tem lógica a pergunta.
O fecho, foi de ouro!




PV.: sapouth
Coaxar do sapo boi dinamarquês (acima do peso).

Francisco Cisco disse...

Pois é, minha amiga!
Preconceito é uma merda mesmo. E não só na terra da "Liberdade - Igualdade - Fraternidade". Por aqui, com a nossa "Ordem e Progresso", assistimos cenas bárbaras, como um garoto judeu sendo espancado por um grupo neo-nazista de Porto Alegre.
Dizem que em 2012 acaba o mundo. Será?? rsrs
Meu beijo!

sam rock disse...

La uniformidad no es sólo el brillo de los trajes guerreros desfilando bajo el fondo sonoro de músicas marciales sino también la gente en formación, despojada de todo, hacia los hornos crematorios.

Leonardo B. disse...

A caridade moral do fanatismo faz-me lembrar por vezes o take da Vida de Brian, dos Monthy Pynton, quando se dirigindo à multidão se apregoa: «Todos vós são indivíduos!», ao que os futuros discípulos respondem «Somos todos indivíduos»... e pobre do dono da tímida voz que disse «Eu não!», engolido pela fúria dos "instruídos pela fé" ...

para tristeza minha, costumo pensar que todos os clientes de Deus são iguais: Mas existem uns mais iguais que outros, não é?

Um imenso abraço, Walkyria

Leonardo B.

Nilson Barcelli disse...

Era bonito se nos paóses muçulmanos nos proibissem de usar gravata, por exemplo...
Penso que o bom senso há-de regressar à França.
Mas só depois daquele presidente ir embora...
Querida amiga, bom fim de semana.
Beijos.

Sarah Slowaska disse...

Que porra é essa mesmo, né noiva? Também acho.
Desapareci mas tôaqui.

beijão

marcello disse...

Wal
Seu post gerou bastante comentários!
Concordo com você que o governo francês não pode proibir o uso da burca! Isso que eu chamo de ferir a liberdade religiosa...

Noé disse...

Sabe, este tema é bem difícil. Tem um ditado sobre a esperteza (http://consiliencia.blogspot.com/2009/05/esperteza-e-o-rebote.html) que talvez sirva para a
Liberdade. Agora, em que ponto passa a ser "muita", isto é mais difícil ainda de definir!

Sergio disse...

Só sei o seguinte, eu não emborcaria.

Sylvio de Alencar. disse...

(A mocinha do blog deve tá viajando... Como passeia essa menina!!!)

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Tania
agora com a NET, qqr um escreve o que quer, sem nenhum controle. A gente tem que ficar esperta e não ir acredoitando em tudo. Antes tbm não dava, mas a gora é pior.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvius....

difícil olhar tudo e ficar quito...
PV.: sapouth
Coaxar do sapo boi dinamarquês (acima do peso).

vc está se excedendo...essa foi hilária!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

FRancisco
são tantas as atrocidades cometida desde que o mundo é mundo.....nand mudou muito nestes último 21 séculos.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Leonardo
é isso mesmo, parece que tem humanos mais humanos, gentes, com poderes e verdades maiores, com outra hierarquia nos reinos viventes dessa terra.

Adoro ler o que vc entende de mim.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Roque
criam sub-raças, sub-humanos, as pessoas realemtne ficam despidads de toda humanidade possível.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Nilson
em todo lado há aberrações, mas, se esses ditos países democratas fazem leis tão discriminatórias, o que esperar de lugares onde vivem ainda a Idade média?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sarah
como é isso?
Que porra e´essa?
cadê vc, cadê o blog?

vc passou no exame?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Marcello
isso eu chamo de ferir toda e qualquer liberdade.....

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

E Marcello
bem vindo!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Noé, grande ditado,fui lá e adorei. Vou assimilar entre meus ditados.

Mas muita liberdade.....é o tipo de coisa que não se mede, só se texta. Tá atralahnado alguém? Faz mal a alguém?......vc queria que fizesse para vc?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sérgio
pera aí.
vc não emborcaria uma taças para comemorar isso, ou não emborcaria a burca, que sria então, emburcaria?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvius..
não é todo o tempo que passo na net... e não é toda hora que tenho coração e vontade de ler coisas....me recolho viajando dentro de mim, viu!

Noé disse...

Então, já dá para começar por aí, com essas suas perguntas, para encontrar respostas:
Tá atrapalhndo alguém? Faz (ou pode fazer) mal a alguém?......vc queria que fizesse para vc?

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Noé
bem isso, nessa arca não podemos nos dar a o luxo de fazer mal a ninguém...né não?

Noé disse...

Sim, não, talvez pelo avesso.
Assim, são, reconheço.

Se atrapalho, ralho.
Que mal faço, com o laço?
Fiz, pra quem quis.

Aceitar que está na barca,
Nessa só embarca,
Quem tem a marca!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Poxa Noé
me emociona e admira a tua capacidade de sentir e se expressar.

Eu penso, quero, imploro ter essa marca.
Mas, no fundo.... mesmo que a tenha, tenho que decidir estar na barca.

Muito prazer de ter vc!

Noé disse...

Ai, sim, essa decisão é para todo o momento, agente refaz o compromisso, ou a escolha, sempre.
Você é muito generosa! Bjs

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Noé....
vc que é, e muito atencioso.

Mulher na Polícia disse...

Professora Wal...

Sei não, hein.
O uso obrigatório da burca ou desse veu só existe em países onde o sistema é bruto... e eu não sei se uma mulher, especialmente as mais jovens querem usar essa coisa na Europa...

O normal quando elas saem desses países fundamentalistas é finalmente gozar a liberdade de usar o que der na cabeça.

Seja qual for a intenção do governo francês, essa lei não é uma afronta às mulheres muçulmanas, mas aos homens muçulmanos que as obrigam a usar isso.

E também não é ofença a religião nenhuma. Ou você acha que esse modelito de roupa foi desenhado por Allah...

kkkkkkkkkkkkkkk

Mas é só a minha opinião.

Beijos!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Mas querida.... tem muita tese e livro e depoimento, que fala que elas estão satisfeitas, se bem que não era esse o ponto.

O ponto é o que vc disse, usar o que der na cabeça, ou couber né.
Mas o governo francês está proibindo o uso da burca. É uma lei, uma lei passível de multa e prisão.
Bem, eu acho isso discriminação. Se tem uma imposição, imagina então....


voltar pro céu