.

.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

O Brasil é rico, mas não é justo

.
por Frei Beto

Relatório da ONU (Pnud), divulgado em julho, aponta o Brasil como o terceiro pior índice de desigualdade no mundo. Quanto à distância entre pobres e ricos, nosso país empata com o Equador e só fica atrás de Bolívia, Haiti, Madagascar, Camarões, Tailândia e África do Sul.

Aqui temos uma das piores distribuições de renda do planeta. Entre os 15 países com maior diferença entre ricos e pobres, 10 se encontram na América Latina e Caribe. Mulheres (que recebem salários menores que os homens), negros e indígenas são os mais afetados pela desigualdade social. No Brasil, apenas 5,1% dos brancos sobrevivem com o equivalente a 30 dólares por mês (cerca de R$ 54). O percentual sobe para 10,6% em relação a índios e negros.

Na América Latina, há menos desigualdade na Costa Rica, Argentina, Venezuela e Uruguai. A ONU aponta como principais causas da disparidade social a falta de acesso à educação, a política fiscal injusta, os baixos salários e a dificuldade de dispor de serviços básicos, como saúde, saneamento e transporte.

É verdade que nos últimos dez anos o governo brasileiro investiu na redução da miséria. Nem por isso se conseguiu evitar que a desigualdade se propague entre as futuras gerações. Segundo a ONU, 58% da população brasileira mantém o mesmo perfil social de pobreza entre duas gerações. No Canadá e países escandinavos, este índice é de 19%.

O que permite a redução da desigualdade é, em especial, o acesso à educação de qualidade. No Brasil, em cada grupo de 100 habitantes, apenas 9 possuem diploma universitário. Basta dizer que, a cada ano, 130 mil jovens, em todo o Brasil, ingressam nos cursos de engenharia. Sobram 50 mil vagas… E apenas 30 mil chegam a se formar. Os demais desistem por falta de capacidade para prosseguir os estudos, de recursos para pagar a mensalidade ou necessidade de abandonar o curso para garantir um lugar no mercado de trabalho.

Nas eleições deste ano votarão 135 milhões de brasileiros. Dos quais, 53% não terminaram o ensino fundamental. Que futuro terá este país se a sangria da desescolaridade não for estancada?

Há, sim, melhoras em nosso país. Entre 2001 e 2008, a renda dos 10% mais pobres cresceu seis vezes mais rapidamente que a dos 10% mais ricos. A dos ricos cresceu 11,2%; a dos pobres, 72%. No entanto, há 25 anos, de acordo com dados do IPEA, este índice não muda: metade da renda total do Brasil está em mãos dos 10% mais ricos do país. E os 50% mais pobres dividem entre si apenas 10% da riqueza nacional.

Para operar uma drástica redução na desigualdade imperante em nosso país é urgente promover a reforma agrária e multiplicar os mecanismos de transferência de renda, como a Previdência Social. Hoje, 81,2 milhões de brasileiros são beneficiados pelo sistema previdenciário, que promove de fato distribuição de renda.

Mais da metade da população do Brasil detém menos de 3% das propriedades rurais. E apenas 46 mil proprietários são donos de metade das terras. Nossa estrutura fundiária é a mesma desde o Brasil império! E quem dá emprego no campo não é o latifúndio nem o agronegócio, é a agricultura familiar, que ocupa apenas 24% das terras, mas emprega 75% dos trabalhadores rurais.

Hoje, os programas de transferência de renda do governo – incluindo assistência social, Bolsa Família e aposentadorias – representam 20% do total da renda das famílias brasileiras. Em 2008, 18,7 milhões de pessoas viviam com menos de π do salário mínimo. Se não fossem as políticas de transferência, seriam 40,5 milhões. Isso significa que, nesses últimos anos, o governo Lula tirou da miséria 21,8 milhões de pessoas. Em 1978, apenas 8,3% das famílias brasileiras recebiam transferência de renda. Em 2008 eram 58,3%.

É uma falácia dizer que, ao promover transferência de renda, o governo está “sustentando vagabundos”. O governo sustenta vagabundos quando não pune os corruptos, o nepotismo, as licitações fajutas, a malversação de dinheiro público. Transferir renda aos mais pobres é dever, em especial num país em que o governo irriga o mercado financeiro engordando a fortuna dos especuladores que nada produzem. A questão reside em ensinar a pescar, em vez de dar o peixe. Entenda-se: encontrar a porta de saída do Bolsa Família.

Todas as pesquisas comprovam que os mais pobres, ao obterem um pouco mais de renda, investem em qualidade de vida, como saúde, educação e moradia.

O Brasil é rico, mas não é justo.

Gentefina, copiei lá do Blog da Gisele, com foto e tudo.
Blog lindo, chique, sensual, lindo e honesto!
.

17 comentários:

lucidreira disse...

Esse defeito tem muita histórias ao longo dos anos. Nasci cresci e estou ficando velho sempre ouvindo a mesma coisa. Até quando?
Boa postagem.
Abraço

José Gonçalves disse...

Olá Walkyria,

Já uma vez comentei, penso que também aqui, um tema sobre corrupção e actuação desadequada sobre a população em geral.

Na altura, comparei a situação a Portugal. Um país longínquo, do outro lado do Mundo, onde os problemas são os mesmos.

Hoje, não me querendo meter em politica, porque esta simplesmente não merece o meu esforço, tenho que admitir, novamente, que os vossos problemas são quase uma cópia dos problemas aqui em Portugal!

Os donos da riqueza em Portugal pouco chegam aos 5% da população, e quem a produz, quem trabalha, quem não usufrui dessa mesma riqueza, ultrapassa os 80%.

Há 15% que estão num patamar um pouco mais elevado, chamada classe média alta.

E esta, cada vez mais, está sendo esvaziada para entrar no Mundo dos novos Pobres Ricos.

Onde a pobreza envergonhada é escondida e camuflada até não mais poderem respirar.

O Mundo está ficando Louco!

Completamente Louco!!!

É só o que posso concluir!

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

betina moraes disse...

sou fã de carteirinha e primeira fila do frei beto,

a postagem é muito boa, já havia comentado na gisele, mas com a sua publicação aqui dá para rever o texto e manter a questão em pauta.

legal você ter trazido para céuAberto. :)

gisele é uma musa!

você não vai acreditar na PV, está tão relacionada ao assunto que causou até uma certa tristeza... veja a sensibilidade de nosso pequeno elemental...


PV: chora

não vou traduzir, não precisa...
fiquei sem graça, pois não tem mesmo graça.

tô mandando agora por e-mail

um beijo, jóia rara.

Gerana Damulakis disse...

E parece que continuaremos sem ensinar a pescar...

CAROLINA CAETANO disse...

Walkyria, este texto aborda os pontos mais importantes para poder se dizer, com propriedade, da desigualdade social. Gostei muito e tenho muita coisa pra falar dele. Assim que eu chegar em casa, retorno!
Beijos e beijos!

Deni Maciel disse...

paabens pela textualidade
desenvolvimento
opinião
argumentação
dissertação
seu blog é mto bom
parabens
primeira vez aqui
espero vir mais vezes *-*


um abração..
feliz dia do pau brasil
repassado para os americanos...
até breve *-*

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

E lembrar que ontem foi a entrevista do Eike Batista [8.º homem mais rico do mundo, e brasileiro] no Roda Viva da Tv Cultura, com Marília Gabriela apresentando... :(

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo post...Até quando ?
Cumprimentos

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Lu
pois é, mas 21 milhões terem saído da zona de pobraz absoluta, é novidade, fala sério.
Obrigada sempre por tua leitura

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

José
devo dizer que a história, que segundo Marx, é a única ciência, nos mostra que desde sempre a riqueza esteve concentrada nas mãos de poucos, e olha que já foi muito pior. Pensa na época das monarquias absolutistas....

José, gosto muito das suas opiniões, seguras e sinceras.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

BB
Gisele é musa mesmo, às vezes me pergunto se ela é de verdade, tamanha Phinesse...

Frei Beto, amo de paixão tbm....sua copiona...hehehe

Quanto ao elemental, vc sabe, eu sei, que no chip, que é puro cristal, existem anjos....

Que bom que eles nos velam!

te adoro

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana
tenho pesnado muito nesse lance de ensinar a pescar...mas deixo pra outro post.

Geran...tô aqui viu....e sempre perto de vc.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Carolina,
minha nega, onde é mesmo que vc mora que ainda não chegou em casa? Tá a pé, é?

lindona

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Deni
nem sabia que tinha um dia do pau brasil...hehehe

mas gostei...
obrigada pela visita

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Francisco
eu tenho uma ignorância programada, por isso NUNCA vejo televisão. Me conta se foi dito algo prestável.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Fernando
assim caminha a humanidade....
nunca sabemos até quando.....

Sylvio de Alencar. disse...

Concordo com essa afirmação.

Post bem escrito.

Abrçs.


voltar pro céu