.

.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A Alma Imoral

.
A atriz nua, a platéia sem respirar, momentos de tensão sentida em cada poro do corpo. O quê virá? O quê vai acontecer?

Como numa cena de cinema, onde ficamos atônitos e sem noção, estamos ali, diante da alma, da Alma Imoral. Da alma que quer, que anima e desanima, que não quer ser controlada por nada nem ninguém.

Quem assiste não asiste somente, se assiste em cada segundo, e tem segundos nessa trajetória que parecem séculos. E de séculos segue a peça..... e a gente, a gente, pobremente vestidos de hipocrisia e vergonha, se sente mais nu do que a atriz.

Mas a carapuça não serve a todos. Risos, aplausos, intejeições de assentimento... tudo mentira, tudo teatro. Nessa peça maravilhosa, os atores somos nós. Nós fingimos ser quem não somos, com nosso textos decorados desde sempre.

Ter coragem de assumir a farsa.... quem tem?

Uma peça para se assistir muitas vezes, baseada no livro de Nilton Bonder, estrelada pela maravilhosa Clarice Niskier.
.

19 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Deve ser muito boa a peça.
Bjinhos, como dizem lá em Portugal.

Noé disse...

Sim! É pra ver muitas vezes!

sam rock disse...

Cuantas veces la actriz o el actor sobre el escenario sirven para que nos demos cuenta de las farsas, comedias o tragedias que son nuestras vidas.

Un abrazo

José Gonçalves disse...

Olá Walkyria,

Uma Peça excelente,

Um desafio interessante,

Quem terá coragem de assumir uma farsa?

Não creio ser fácil a resposta!

De qualquer forma, muitas vezes tentamos ser o que não somos e, no final, chegamos à conclusão que errámos.

São sempre ensinamentos que podemos e devemos tirar de várias peças que são representadas por Actores experientes, conhecedores muitas vezes da Vida que se vive lá fora.

Gostei do desafio.

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

don vito disse...

Hola, gracias por tus palabras, he venido para quedarme, dónde mejor..? pasa buen día, gracias, besos.

Jorge Manuel Brasil Mesquita disse...

O teatro é isso mesmo. Transformar todo o público em actores e os actores em espectadores de si mesmos.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 14/09/2010

Djabal disse...

Todos meus amigos indicaram-me a peça. Agora, você também, e com seus argumentos, não resistirei mais.
Gostei da abordagem, deixa mais claro o motivo pelo qual deveríamos ver. Obrigado.
Assumirei a minha farsa.
Depois eu conto. Beijos.

Sylvio de Alencar. disse...

Legal. Dá vontade de assistir.
Sorte sua poder ter ido.

Assumir a farsa? Hummm... Não seria uma obrigação tentar, para poder deixá-la para trás?

Abrçs.

PV: whayfor

Marcantonio disse...

Talvez a grande farsa seja supormos saber aquilo que ocultamos. Não, não sabemos realmente. As farsas sociais são sempre pequenas, pequenos pontos onde apoiamos frágil alavanca na tentativa de mover o peso morto da imensa ignorância sobre nós mesmos.

Abraço.

betina moraes disse...

vi algumas vezes, levei amigos em outras. clarice é uma das maiores atrizes do teatro mundial


e a peça é um soco na cara.


imper-dível!


fiquei feliz por você ter ido, tenho certeza do quanto você gostou.

um beijo, nua-wal.

betina moraes disse...

extra, extra, extra!!!!


diz que vai, wal, por favor!

clique e confira,

http://www.soniahirsch.com/2010/09/se-voce-for-mande-um-email-com-eu-vou-e.html

detalhe, a moça em questão, a dona do blog, é meu ídilo!!!!

diz que vai, wal, diz que vai, wal.... por favor!

armalu disse...

Fiquei louca para ler o livro, ou ir ver a peça, mas 1º ler o livro deve ser fantastico
As fotos já nos mostra uma boa encenação corporal, quero ir ver.bj

Carol Morais disse...

Wal,
Fiquei fascinada! Deve ser maravilhosa essa peca. Obrigada por compartilhar. A gente deve sair da peca tipo, cheio de pergunta, e cheio de resposta e cheio de si, ou completamente vazio de tudo! Fui ao site, vi. Deve ser uma viagem maluca para bem dentro da gente.
Um beijo

Mar Arável disse...

Excelente pergunta

Carol Morais disse...

Hoje eu acordei com vontade de fumar um cigarro de chiclete.


Eh bom compartilhar minhas vontades aqui.

Me sinto tao dona do teu blog. hauheuiae

=)

Eh pq eu te amo.

Manuel disse...

A Wal tem o dom de nos transportar aos locais que descreve.

Tem uma ironia que nos contagia pela simplicidade e singeleza como nos conduz.

Adoro.

Nilson Barcelli disse...

Pelo seu texto (magnífico) e pelo que vi no vídeo, deve ser uma peça com muito interesse.
Beijos.

LEON PLATA disse...

Compañeros poetas; hoy el blog "Un cigarrillo y un Café" está de plácemes; llega a su primer año con la vitalidad que ustedes le han infundido, por ello es una bitácora colectiva; lleva la huella de todos ustedes. Quiero participarles ese motivo de júbilo, con el deseo de seguir adelante junto a sus letras. Un abrazo fraternal.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Meninada
obrigada por sempre estarem por aqui, de um modo ou de outro, alegrando minha vida!


voltar pro céu