.

.

domingo, 26 de setembro de 2010

Censura nas Artes

TUDO COBERTO
Obra de artista argentino com os candidatos é retirada da Bienal de SP

A interdição de uma obra antes da inauguração da 29ª Bienal de São Paulo não foi o primeiro nem será o último caso de polêmica gerada em seus pavilhões. Desde que a Bienal é a Bienal, é o lugar propício para os boicotes, as intervenções, os questionamentos às instituições. Talvez exatamente pela imensa repercussão de tudo aquilo que é produzido dentro de seus monumentais nove mil metros quadrados de arquitetura modernista. Em uma Bienal que elege a política como tema não poderia ser diferente. Especialmente em época eleitoral.

O vespeiro da vez é a obra “El alma no piensa sin imagen”, do argentino Roberto Jacoby, vedada da 29ª Bienal por fazer propaganda à candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República.
Os dois grandes painéis com as fotos de Dilma e Serra tiveram repercussão pública imediata, mas, por recomendação do Ministério Público Federal, depois de consulta efetuada pela própria Fundação Bienal, foram cobertos três dias antes da inauguração da mostra.
“Pela primeira vez na história, a crise que os países centrais provocam não é paga pelos países periféricos. Lula é a figura política mais importante do mundo. É mais importante que Obama”, disse Jacoby para justificar sua instalação-comitê.

Com pôsteres, palco, equipamento para conferências e cerca de 25 cabos eleitorais que atendiam pelo título de Brigada Argentina por Dilma, a obra efetivamente configurava um comitê. “Ele havia nos dito que faria uma campanha fictícia”, diz o curador Agnaldo Farias. “Ele sabia que seria interditado. Esse é um caso de projeto feito para ser barrado.”
Paula Alzugaray
http://www.istoe.com.br/reportagens/102658_A+ONDA+VERMELHA?pathImagens&path&actualArea=internalPage

7 comentários:

Isha Shiri disse...

Olá! Eu acho deplorável a censura de todas as formas. Na verdade, o que me contam é que milhões de brasileiros gostariam de ver seus lideres políticos mortos e enterrados (risos). Sou Israelense, mas minha bebê, meu marido e meu pai são brasileiros e vivendo aqui nestes quase dois anos, fico apavorada com o desprezo que os líderes brasileiros tem para com seu povo. Como você disse no post acima, nós bem nascidas temos sorte de viver uma boa vida, mas sinto que os brasileiros podem fazer mais pela sua nação.

Gosto muito de seu Blog.

Que seus dias sejam sempre doces como o mel. Paz

Sylvio de Alencar. disse...

'Ele sabia que iria ser barrado'..., arte também é isso: causar.
Vi umas fotos em que Serra esava ajoelhado com alguém apontando uma arma prestes a atirar, achei interessante, impactante!
Uma pena que tenha entrado política no meio disso tudo, Talvez a arte de nosso amigo não estivesse a uma altura artística aonde pudesse ser devidamente apreciada e avaliada: voou baixo, e levou chumbo...
Será que avaliei bem com os dados que vc passou? (Nem fui no link...).

Abrçs.

PV: diptifyi
Ó, e vamos parar com esse diptifyi aí, tá?
Rhumm!

:P

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Icha
fico muito feliz que vc curta estar aqui comigo, de verdade.
Acho que poderosos em geral, desprezam qualquer um mesmo.
No mundo todo as pessoas estão se qustionando sobre o poder.
Então, a gentre que teve mais sorte na vida, tem que se perguntar tbm sobre o poder que exercemos, nos amigos, nos filhos parentes.....

Acho que começa daí...
beijo

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Sylvio
a arte tem mesmo que chocar, desregualr, mudar, antever. Avaliou bem mesmo.,
bjão

Carol Morais disse...

Manda todo mundo pra PQP logo, Wal!
Eu apoio!!!!!!
Beijos, eu amo voce!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Carol
tiamoigual!

vc é uma querida, vc sabe, e mais, é uma companheira pra botar logo pra quebrar!

Rebecca disse...

hola Walkyria.
Recibe mis saludos.
recibe mis apoyo en tus ideas.

un fuerte abrazo^^


voltar pro céu