.

.

sábado, 18 de setembro de 2010

Quimera

.
Tem dias que me pesa o vivido
Ou a sombra do não vivido
Me cega a luz de minha mão vazia
Me esvazia o peso de minha casa e pertences
E a desnovidade de todas as coisas

Olho de soslaio pra um novo dia
Interpondo-se entre mim e meu desterro

Por preguiça de viver essa tal vida,
a vivida
ou a sonhada
ou a esperada
Atraso a ida ao sono

Madrugada me embala na sua atmosfera
Mãos de fada
Rosto de menina
Alma de quimera

obs: Quimera é peixe da ordem dos holocéfalos, que vive em águas profundas em todos os mares.


A divina Quimera é do blog Livres Pensadores

26 comentários:

Carol Morais disse...

"Madrugada me embala na sua atmosfera
Mãos de fada
Rosto de menina
Alma de quimera"

Wal, que lindo, que delicadeza de poema.

Wal, é por isso que eu estive pensando em que animal você seria. Bom, você deve ter algo em mente, ams, para mim, você seria algum animal da família dos felídeos. Olha, você é fofa quando quer, mas quando irritada mostra tuas garras. Além de ser independente e astuta.
Por isso, não acho que você seja digna de ser um simples gato domesticado. Até pq vc NUNCA seria um animal domesticado. Então, pensando bem, você seria um ótimo gato-maracajá (Leopardus wiedii)!

O gato-maracajá (Leopardus wiedii) é um felino nativo de América Central e América do Sul. Tem como característica uma cauda mais longa do que seus membros posteriores. Os pêlos são amarelo-escuros nas partes superiores e na parte externa dos membros. Tem manchas sob a forma de rosetas com uma região central amarela, por todo o corpo, da cabeça à cauda.

Dentro de suas habilidades, o gato-maracajá pode caminhar nas pontas dos galhos dos arbustos. Ele também possui grande capacidade de salto e suas garras são proporcionalmente mais longas do que as da jaguatirica. O período de gestação é de 81 a 84 dias, e a expectativa de vida é de cerca de 13 anos. Tem capacidade de virar em 180 graus as articulações do tornozelo, o que o possibilita transitar com facilidade entre troncos e árvores. Seus hábitos são noturnos e alimenta-se de pequenos roedores e aves, que caça nas árvores.

No Brasil, o gato-maracajá pode ser encontrado com mais freqüência na Floresta Amazônica.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Gato-maracaj%C3%A1

Viu?! Você, sem dúvidas, seria um gato-maracajá!

Linda de viver, astuta para sobreviver.

Um beijo

sam rock disse...

Walkyria:

Mans de meiga
Faciana de meniña
Alma ceibe.



Um abraço

Gerana Damulakis disse...

Wal, alma de quimera (que vive em águas profundas, com certeza): a preguiça de viver essa tal vida me pegou em cheio. A penúltima estrofe é espetacular, definidora.

betina moraes disse...

wal...

então, se você é um gato-maracajá (leopardus wiedii), está explicada finalmente nossa proximidade.
perto de minha casa há um monumento dedicado a um gato-maracajá que esperou até morrer que o índio a quem acompanhava voltasse do mar. o índio morreu afogado, mas o gato morreu de amor.

acho que carol acertou, só alguém com a força mítica de um gato-maracajá poderia ser tão fiel aos próprios sentimentos como você.

vale a pena morrer pelo que se acredita!

o poema é uma luz na noite riscando o nosso céu compartilhado pelas dúvidas e pelas desilusões, mas a madrugada nossa amiga, lhe dá o devido carinho agradecendo sua companhia.

ficou muito bonito!

um beijo, com carinho.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Minhas queridas meninas

Nesse sábado frio, vinda de uma madrugada quimerística, me arrasto num giro de 180º até o computador.

Atravessando galhos desconexos nessa selva, eu, um gato-maracajá (Leopardus wiedii), com pelo amarelo escuro e rosetas douradas por todo o corpo, consigo estender minhas garras e tocar corações.

Vim aqui receber o alimento de vcs. Recerber a generosa resposta pra minha alma, a graça infinita de ter gente de verdade perto de mim, mesmo que a distância contadiga minhas afirmações.

Mesmo que o tempo não acredite na extensão de nossa convivência.

Mesmo que a ciência e a psicologia digam que não é possível tanto amor ser transmitido através de uma máquina.

Máquina esta, feita de cristais....

Minha querida Carol, sim eu sou um Leopardo mesmo, e vc com sua graça deixou minha imagem predadora tão doce como uma gata. Vc espalha alegria e singularidade na minha vida. Penso que eu seria muito feliz se vc fosse minha filha. E, acho, que de algum modo, vc é sim.

Betina minha irmã adorada, a cada dia descobrimos nosso singular parentesco, começando pela cosanostra, faz tempo, e terminando com um gato que morreu de amor. Sim querida, vc me fez lembrar que vale a pena morrer pelo que se acredita. E sei que estou nas tuas orações, vc a minha loba, quando corremos nos prados escuros da noite, sempre estamos juntas.

Gerana, minha querida companheira de jornada, vc me faz saber que vale a pena VIVER pelo que se acredita. Me é um espelho certeiro da garra de continuar, de não ceder, apesar de tanta dúvida.

Nunca, nunca poderei ser grata o suficiente.
Amo vcs.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Roque
o segundo homem que conheço que sabe ler a alma de uma mulher, de uma mulher leopardo e livre.
Obrigada Sam, por sua presença em minha vida, acho que vc nunca poderá entender o tanto que vc me acalenta e conforta.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Carolzinha...
adoro sua despreocupação quanto a minha sibreviênvia...
Me faz rir sabia... e ver que tudo é bobagem.
Como você é sabida e maravilhosa.

MOISÉS POETA disse...

adorei essa sua postagem , walkyria!
coisa mais linda de se ler ...!

um beijo grande pra voce !

Jéssyca Carvalho disse...

"a desnovidade de todas as coisas" realmente pesa nos ombros...
E o pensar num dia novo, igual ao anterior, não ajuda nem um pouco... Mas talvez essa "desnovidade" possa parecer interessante, quando pensamos que a cada dia nos reinventamos e, assim, fazemos as coisas todas tornarem-se novas e com novo sentido atribuído...

Adoro teus escritos. Eles me botam pra pensar...

Pra variar, amei, amei e amei!

Beijo, flor!

Caio Martins. disse...

Pois é, Walkyria, para desviver, há que ver a vida pelo avesso. Com jeito de criança, em profundidades jamais imaginadas. Parabéns!

Barbara disse...

Quimera em águas profundas.
E QUAL a vida vivida , não vivida ou a esperada? _ Tais coisas não são para quem vive em profundidades.

Quimera cavalgando em cavalo marinho.

Corajosamente vívida.
O suficiente para não ter respaldo na vida
vivida ou não
esperada ou não
Conteúdos te sustentam.

Foi forte essa postagem.
Como são as Quimeras e aos que se lhe assemelham.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Moisés
Nem sei com o dizer o jeito que fico feliz quando vc comenta algo meu. Porque adoro o que vc escreve, e sei que muitas vezes não temos nada a dizer, sá a olhar e sonhar. Então, obrigada viu!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Jessyca...
então, talvez esse seja um feito enorme pro ser humano, a verdadeira novidade: ver tudo igual, de modo diferente.
Queridinha menina, vc que é um barato lindo!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Caio...
ver de jeito novo, de criança, porque tudo que é novo tem esse gosto de infância... ter essa capacidade de VER o novo, e não encaixá-lo no conhecido...rapaz, é duro né?
Obrigada Caio, sua presença aqui dá um ar de seriedade, assim, que todo mundo fica quieto quando vc fala.....verdade.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Bárbara
meu respaldo
minha amiga
minha quimera
minha consciência....

meu bem
♪♫•♫♪
meu zen
♪♫•♫♪
meu varal
♪♫•♫♪
onde me penduro quando lavo a alma!

betina moraes disse...

wal...

eu fiquei emocionada com sua escrita para nós.

há tanta razão em sua conclusão sobre nossa amizade aqui! sobre todas nós...

obrigada por nos pertencer.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina...
((♥̮̃♥))

alice disse...

gostei muito deste poema :) já tinha saudades de vir ao céu :) um grande beijinho, wall*

Carol Morais disse...

Wal, você bem que podia fazer um videolog um dia desses, né????!

=D

Rodrigo Rocha disse...

Walkyria passei para conhecer seu blog ele é not°10, fantástico com excelente conteúdo você fez um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminha e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Alice....
como vai vc?
Saudade tbm da tua tradução!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Carol
vc é muito muderna, vixe, sei não que porra é essa!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Rodrigo...
como faz bem pra alma quando alguém nos deseja paz, alegria, e Deus na nossa vida!

Só posso desejar o mesmo e se possível, um pouco mais pra vc.

Carol Morais disse...

kkkk
É um post de blog, mas com video. Você grava vocÊ falando um monte de besteira, como eu fiz. Daí publica.
Depois, não tem choro nem vela, se publicar, publicou. lol
Mas é legal. :p

PV: nessa

Trad. É nessa linha mermu...mudernidade já. ;p

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Carol
vc me mata com tua expontaneidade. É assim que se escreve? Tem hora que me perco nessa língua.

Vou analisar seu requerimento de mudernidade....hehehe.

Carol Morais disse...

Eu sou mais me perder na língua de um homem do que na língua portuguesa!
=x

Carol saidinha mode on! kkk


voltar pro céu