.

.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Viagem

.
proFrede
Não está sendo nada agora, aqui
Pensando nas noites desconhecidas que virão
E mesmo as mais próximas ficam longe
Perdidas.

É terrível pensar na tua ausência perto de mim.

Terrível
Que basta-se a si mesmo
Em qualquer situação de vida
De riso
Ou daqueles olhares que
Têm tanta expressão sem chorar
E o terrível
É não vir o choro.

Lembro só agora
Daquela manhã cheirando a verão
Que fomos almoçar
E era junho
Junho sempre é bom
Dezembro é sempre triste
Sempre azul cinzento
Sempre confusão em todas as cabeças
Dezembro é um domingo
Que dura um mês inteiro.

Serão quatro meses de domingo
De uma tristeza cinza
A inundar meu quarto.
.
foto: lassurdoinpersona

15 comentários:

Manuel disse...

A sua foto ilustra maravilhosamente a sua poesia, parabéns por isso.
Afinal não é só uma bela Princesa como também uma inspiradissima poetisa.
Amei, adorei e levei em mim essa mensagem de amor.

Leonardo B. disse...

[o despojo, da mão que dita a palavra por esse analfabeto coração, mão que faz recado, redacção de todos os momentos desse que bate, amolga, grita e sente, escondido e bem vivo, dentro do corpo escuridão... e grita!]

um imenso abraço, Walkyria

Leonardo B.

Gerana Damulakis disse...

Um poema já com jeito de quem já está com as malas prontas.

Gostei dessa imagem que os 2 versos passam: "Dezembro é um domingo/ Que dura um mês inteiro".

betina moraes disse...

ah wal...

eu me perdi no verso:

"Dezembro é sempre triste
Sempre azul cinzento
Sempre confusão em todas as cabeças
Dezembro é um domingo
Que dura um mês inteiro."

depois quando vim comentar percebi que gerana destacou-se por ali também.

a revelação de que dezembro é um domingo que dura um mês inteiro resume definitivamente para mim os motivos de eu nunca ter ido com a cara de dezembro. a única coisa boa de dezembro para mim é o aniversário de minha irmã, no dia primeiro...

acho que por causa de você conseguir definir tão bem a sensação esquisitas dos domingos através de dezembro eu senti na carne o poema.



a imagem também, me pegou.


é sofrido o poema, mas é tão bem feito!

o lado bom do poeta sentir as coisas é poder nos descrever em versos...



um beijo, amor-amada.


PS: no outro post, “Condição Solidão”, nos comentários, a gerana me deu de presente uma imagem muito bonita: “Meu pai dizia muito que o homem nasce e morre só, dizia muito mesmo. Ficamos na ponte - nem no nascimento, nem na morte - desesperadamente querendo alguém para apreciar, de mãos dadas, as águas passando embaixo da ponte.”juntando com o teor de sua postagem, eu fiquei pensando, pesando... e acabei fazendo um verso sobre a ponte.

betina moraes disse...

ops! correção: de sensação esquisitas dos domingos

para sensação esquisita dos domingos

Carol Morais disse...

E pensar que o pior, o pior de tudo é uando a tristeza inunda, além do nosso ser, o nosso quarto, os lençóis, o teto e as paredes que esfriam do nada no que a gente chamou de lar.
Pior que isso, só mesmo o chorou não vir para fora e a gente chorar rios por dentro. E as lágrimas inundarem a cabeça por dentro e os olhos não expulsarem cada gota pesada.

Tristeza é aglo que é parte da gente. E isso eu já aceitei.

Controvento-desinventora disse...

"dezembro é um domingo
que dura o mês inteiro..."
adorei!
"Num sol de quase dezembro
eu vou..."

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Manuel
Sua presença é sempre um alento, uma inspiração.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Leonardo
analfabeto coração, vagabundo, e grande ditador.
Sempre suas palavras me pegam, mexem comigo, sempre.
grande beijo

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana
Olha, quase, ause tudo rsolvido.
Obrigada querida, por sua constante presença.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Betina
verdade, por isso gosto de poesia. Ela descreve aquilo que não conseguimos ainda traduzir em palavras. Acho que por isso, toda poesia sentida, é como que apropriada pelo ser que sente.
Entendi querida, vc me traduziu.

Quanto ao comentário da Gerana no outro post, tbm me emocionou a imagem da ponte e a solidariedade dela, comigo nesta ponte....
Vem BB, vamos nos ajudar nestas pontes da vida.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Carol...
pasmei...
tristeza é algo que parte da gente e inunda tudo, tudo que existe de palpável nesse mundo.

Vc é demais mesmo. Sabe dizer as coisas com essas imagens surreais, típicas da alma.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Controvento-desinventora

que ligação bárbara que vc fez. Por isso adoro ler os cometários de gentefina como vc. São novas ideias....

Carol Morais disse...

Queria ser um pouquinho Dali...Mas sou daqui e vivo acolá!

Sylvio de Alencar. disse...

O dezembro ser um grande domigo... Uma frase que toca todo mundo, de diferentes maneiras.
Como minhas experiências com relação a esse dia/mes não são doloridas, sinto-os de maneira diferente.

Lindo o poema que Betina produziu a partir do seu e de Gerana.

Abrçs.


voltar pro céu