.

.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Véio Ibrahim

.
.
Gentefina, não estou conseguindo navegar na Net. Tenho navegado na memória.
Meu pai está internado no hospital faz 10 dias. Não sabemos o que ele tem.
Só sei que perdi minha mãe faz 2 anos, e não estava preparada pra ficar orfã, assim, total.

Tá bom que já tô velha, mas não estava preparada. Não cheguei nessa evolução toda. E, de mais e mais (ou a menos), me faz pensar na efemeridade de todas as coisas. Ou seja, o que significa perder um amor, um emprego, um carro, um bem material, ou mesmo um bem reproduzível, diante da iminência de perder um pai, uma mãe ou um filho?

Bem, nem sei se ele vai partir desta pra outra, melhor ou pior, vai saber. Ninguém sabe nada, nadica de nada. Se existe outro lado, está muito bem guardado. É tudo elocubração.

Mas estou viajando no tempo em que meu pai bebia a caipirinha, e eu chupava o limão..... na praia. Sempre muitas histórias para contar..... Era bom! Ele era assim, como na foto. Um gatão!
.

21 comentários:

Leonardo B. disse...

[Sua força, que emana de palavra viva, é alento maior para que tudo corra, conspirando o melhor... de todos os mundos]

Abracimenso, Walkyria
bem perto, deste lado do ribeiro atlântico

Leonardo B.

Tania regina Contreiras disse...

Ah, Wal...eu já perdi o mue pai faz muitos anos. Tenho minha mãe. E tenho a lembrança da fala de um amigo, quando, anos atrás perdeu o pai, a mãe já se tinha ido há mais tempo. Homem velho, me disse que ficar orfão a qualquer altura da vida doía.
Gatão mesmo seu pai. E eu desejo e espero que ele se levante e tenha guardadas ainda muitas histórias que ainda não contou.
Eu cá comigo creio "no outro lado"...ou noutros lados. Mas quero mesmo que seu pai fique nesse lado conhecido nosso. E que você fique bem.
Beijos,

Denise Portes disse...

Walkyria.
Gostei muito de conhecer seu blog e já te sigo, vai conhecer o meu : www.odelíriodabruxa.blogspot.com
Um abraço
Denise

Jorge Manuel Brasil Mesquita disse...

Por cada silêncio que se gera, há um que se nega a sê-lo. O temo que é dono dos corações é a grande música dos vivos. Espere pela sua canção.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 11/01/2011

milu disse...

Já sou assim orfã total!!!Sinto falta deles...
Mas estarei daqui mentalizando mta energia pra ambos!!!
Força amiga!!!Bjs.

ednampc disse...

Sinto muito por você e por esse momento. Ao meu ver o que sentimos é amor. Os questionamentos e as lembranças fazem parte de um temperamento profundo e de nossa ânsia de viver as coisas por inteiro, mas aos poucos despertamos para uma nova ordem em que a vida prossegue sem mistificação. bjos querida.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Leonardo
Sua imensa amizade, sempre, indepedente de qulququer coisa, me comove a ampara muito.
Obrigada por tudo!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Tania
querida Tania...
obrigada por tuas palavras. Eu tbm acredito nos lados, nos meios, em cima e debaixo....rsrsrs. Mas quero meu gatão aqui, do meu lado.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Denise, bem vinda!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Jorge
que poesia o seu comentário. Sim, tenho que acreditar na minha canção, a que pertence unicamente a mim.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Milu
mentaliza querida.... mentaliza porque eu aqui, sou muito ansiosa. Obrigada Milu, por vc estar sempre aqui, pertinho.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Edna
é, vc tem razão, essa ânsia que temos, de viver tudo, de cabo a rabo, querendo entender onde não existe entendimento possível.
Saudades....

ROBERTO disse...

Você sabe tudo. Tem coisas que a gente não tem que entender mesmo. Você também sabe.
É dolorido, assim mesmo.

Tudo de bom.

Carol Morais disse...

Wal. Voltei. Voltei para o Brasil. Voltei para a blogosfera.
Olha, eu entendo toda essa sua reflexão. Por mais que não saibamos se seu pai irá atender ao chamado do pai agora ou não, fica esse medinho que insiste em dar pontadas no nosso coração. Meu pai teve um infarto ano passado e eu sofri muito isso.
Meu pai venceu e está aqui para contar a história.
Não se culpe por não atingir esse estágio de aceitar a partida de alguém querido, se ele for partir ou não. Nós somos seres humanos e somos egoístas por natureza. É assim mesmo. A gente pensa que as pessoas são nossas. Esquecemos que a nossa passagem aqui e'apenas uma passagem,né?
Falei um pouquinho sobre essas coisas superficiais, principalmente sobre padrões que a sociedade nos impõe. Isso nõ vale de nada comparado ao tudo mais que nos rodeia.
Se der, lia o post "calendarístico". Foi meu primeiro post do ano e você está lá!
Um beijo carinhoso

Sylvio de Alencar. disse...

Os 'ganhos da vida a gente sabe quais os sentimentos que os acompanham, não irei comemtar sobre eles aqui; o assunto aqui são as 'perdas'.
Muito o que falar, não tanto a dizer. Mas alguma coisa posso cometar.

Não sei se está em nós 'programa' que nos faz reagir diferentemente dos outros com relação as perdas.
No fundo, acho que de diferentes maneiras, agimos da mesma forma.

Acho que ter uma vizão 'macro' das coisas e dos acontecimentos, ajuda.
Exatamente como vc fez: comentar abeleza de seu pai, que se deduz, viveu uma vida plena.

É isso que sinto com relação à minha mãe, que tem se fragilizado ano a ano.
Aí entra o sentimento comum a todos: o aperto no peito.
É uma bosta, mas, faz parte...
De minha parte, ter sido gerado por uma mulher que começou a trabalhar em 1935, me de alguma coisa parecida com orgulho.
Seu pai, minha mãe, viveram e têm histórias. É essa a razão da vida.
O lamento, é pelos que ficam; disso não escaparemos.

Estarei pensando em vc.

Bjs.

angela disse...

Dias difíceis os seus. A gente não tem o que fazer e este é o maior tormento. Vou torcer para que tudo caminhe bem e você ganhe mais um tempinho junto desse pai querido. Pode crer que a gente nunca está preparado para estas perdas.
Beijos

Djabal disse...

Desejo muito que ele melhore. Que você fique bem. Que se descubra que é um engasgo. E sempre será.Que compreenda o nosso papel por aqui. E viva muito, intensa, com ele, com suas memórias.
Feliz ano novo. Beijos.

SOFIA disse...

Wow!))

http://newbloodstyle-hautecouture.blogspot.com
"little fashion illustrator"

sam rock disse...

Siento mucho lo de su querido padre, espero que se mejore, y vuelva a disfrutar de su alegría.

Salud y un fuerte abrazo

Manuel disse...

Minha cara princesa bebi os seu escrito com lágrimas a escorrerem-me pelo rosto. Passei por tudo, a ultima vez, há um ano.
Mas eu vivo sabendo que não foram mal com o filho, que os amou e os tratou e respeitou como deviam ser tratados.
Espero, do fundo do coração, que tudo corra bem.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Queridos amigos, obrigada pela força nestes dias. Valeu demais


voltar pro céu