.

.

sábado, 12 de março de 2011

Guitarras

.
Sonhos
Paisagens pré-históricas
Mergulhos azul-petróleo
Braços, pernas
Memória.

Contato
Pelo quente na pele nova
Nascendo vermelho
Incandescente.

Sobretudo
Guitarra invisível
Envolvendo um tempo (sereno)
Espírito ambulante
No corpo que já não temos.

foto: azul_by_onyx_tigeress-d30atje

3 comentários:

Carol Morais disse...

Deu uma saudade do que nem vivi. Uns flashes passam por todo o poema. Um romance bonito, um calor diferente.

Manuel disse...

Esta minha Princesa consegue-me surpreender sempre e sempre.
Li e senti um arrepio a percorrer-me o corpo.

escotilha disse...

comi mosca e não vi o poema...

gostei do carlos.

engraçado, fico em dúvida sempre: gosto do mário, do geraldinha, agora do carlos.. sei lá, viu? eu acho que gosto e de quem os descreve em versos, não exatamente deles... vai ver é isso!

eu te amo.


voltar pro céu