.

.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Luto - 2

.
.
proPaschoal
Estou de luto por nosso amor
Por toda ilusão,
Estou de luto.
E como aquelas viúvas de negro
Tenho um guarda-roupa completo em meu coração
No corpo e no desejo.

Como supor que o luto é passageiro
Se já me garanti
Com tantas provisões negras?
Negras como as lágrimas
Que já não choro por nosso fim
Negra como a grande noite que se instalou
No hemisfério -antes desconhecido- do meu peito.

Morto e enterrado.
E daí?

Pensei que essa realidade material, prática
Que essa eutanásia me libertaria
Daquele pedaço meu que te queria.
(sim, pois nosso amor já havia morrido
enquanto lutávamos para tirá-lo do coma)

Qual o que,
Qual pedaço
Que nada.

Todos os meus pedaços
Te reclamavam e gritavam
Se debatendo como feras feridas
Enquanto eu -solenemente persistente-
Enterrava o nosso amor.

Não te quero mais!
Não quero essa vida possível com você!
Não espero mais
Que você chegue de outro jeito!
Não sonho mais com um possível homem
Que você não soube ser!

Mas, pela manhã,
Na hora zero...
Quando abro meus olhos vivos
É em você que penso
E a roupa que meu coração escolhe,
Em suas inúmeras gavetas, é negra.

Negra como a rosa negra
Com suas incontáveis pétalas negras
Que vão me despetalando
Despetalando....
Despetalando....

foto: JamieBeck 
.

21 comentários:

Paulo Francisco disse...

Lindo!
O que dizer!?
Adorei
Um beijo grande

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Paulo...

tem nada que possa ser dito
só sentido
obrigada por compartilhar comigo

Anônimo disse...

wall, esse vai fazer da minha "biblia".
Eu num disse que a gente se mistura?
Na lama ou no vazio do nada estamos.
bjs
Maria

☆mnemosine☆ disse...

é Maria

seu luto me fez lembrar do meu
publiquei
pra vc ver que somos farinha do mesmo saco

mas a diferença, é que estamos juntas!

Helcio Maia disse...

Lembrei-me daquela canção: "...todos os dias é um vai-e-vem, a vida se repete na estação...tem gente que veio pra ficar, tem gente que vai, pra nunca mais..."

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Hélcio
poxa, me emocionou. Vc sempre vai além....
obrigada.....

betina moraes disse...

lindíssimo! a poesia é a única coisa que vale a pena na dor!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

É BB
verdade, a poesia está em todo lugar, e na dor ela é soberana.
te amo irmã!

Barbara disse...

dor
raiva
aceitação

tudo é acessório

Milton Ostetto disse...

DO AMOROSO ESQUECIMENTO
Eu, agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

(Mário Quintana)
abraço
Milton

Tania regina Contreiras disse...

Também estou num lutinho básico...Te dizerr o que? Poesia, minha irmã, poesia...
Beijão,

Carol Morais disse...

Só uma coisa: voltei!
Só outra coisa: nunca consigo dizer uma coisa só! rs
Adorei o poema, Wal. Uau. Morreu mesmo. Uma conclusão que parece óbvia: as coisas só morrem quando NÓS as matamos. Caso contrário, continuam vivas e bem vivas na memória, nos gestos, nas ruas e no teto do nosso quarto ao acordarmos.
As oisas só morrem de fato, quando a matamos de fato.

Carol Morais disse...

Vai virar post essa minha frase. rsrs

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Barbara...
sim tudo é acessório do luto!
como vc sabe das coisas....

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Milton
citando o mestre....
quanta verdade!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Tanita...
quenta fia
guenta que passa
mas dê o tempo certo...
aguarde
ore
vai passar

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Carolzinha malukets

tá vendo, tá vendo que vc tem que vir aqui nesse céu, pq aqui eu falo tua língua e vc fica toda inspirada?
é.....é assim....eu falo e vc vai embora, com outra visão.....
eitcha menina!

some não
meu coração não aguenta esse sumiço de tudo que é gente que eu gosto.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

deixa eu dizer que esse é um segmento sobre o luto. Se vc leu este, por favor leia tbm o de baixo....please

juro que vc vai se estafar do luto!

placco araujo disse...

Menina..... entendo e respeito seu luto, e infelizmente näo sei dizer palavras täo bonitas como o da moça bonita acima (carolzinha), mas acho que o luto tem um prazo de vigencia..após isto, começa a impregnar todo o nosso existir...eu prefiro ficar com a nostalgia, que nos pega mas pega mais leve, é menos contundente..and KEEP WALKING

placco araujo disse...

P.S. Adorei o post da Betina também..

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Placco,

faco suas as minha palavras. E as meninsa aí sãi fera, mas vc não fica atrás. O luto, como qqr outra coisa, tem seu tempo. Devemos respeitá-lo, mas não deixar que ele ultra passe limites. Vc tem toda razão. Obrigada por sua presença.


voltar pro céu