.

.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Abismo raso

.
 .
Gentefina, tô num esvaziamento que dá dó! 
Quem sabe o que o destino está trazendo...
Pra prencher tanto nada!

19 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Wal, o vazio tem, sim, seu lado bom. Não na hora que a gente sente, mas depois, quando começa a ser preenchido de coisas novas...e boas! Que a hora chegue...
Beijos,

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Tania,
vc tem uma força segura, uma força construída na marra, na necessidade. Ela me abraça, me conforta. Obrigada sempre.

Sandra Botelho disse...

Quando agente se esvazia, é a alma se abrindo ao novo querida.Bjos achocolatados

Helcio Maia disse...

Ah! esse vazio é um apelido que damos para a falta primordial. Mas sem ela, não haveria desejo. Portanto...

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Sandra
que bom poder ver desse jeito, por teus olhos achocolatados.... delícia!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Hélcio
mas se a falta é primordial, será ela, algum dia, suprida?

Francisco Coimbra disse...

Oi Wal... soa bem?
Vou dedicar a você, poema que acabei de escrever, quer ver? Vai ler...

CLICK

à distância dum click
podes enviar o que escreves
para uma poetisa
com a não secreta esperança
de seres lido e sentido!
(com poesia)

deixaste excitar
sem citação possível
crias o impossível lógico
desde a raiz quadrada
tirada ao quadrado
do algoritmo (resultante)

resultado, fazes
as sucessivas fases
deixando sobrar, faltar,
palavras que mesmo assim
guardas, dentro de…
(parêntesis)

na última meia dúzia
de teus versos és de veras
exaustivo, não deixando
sobrar poesia alguma,
concluis (o “click”)

Beijos

placco araujo disse...

Gentefina... a falta primordial (gostei do termo)é o que nos move o tempo todo. A tal angustia existencial só é aplacada por laivos de eternidade, para em seguida voltar e nos levar de novo a novas buscas..
beijos e não desapareça!!

Helcio Maia disse...

Walkyria, essa falta jamais será suprida. O desejo, entendido em sua arquitetura psicanalítica, é irrealizável. A falta o gera, o atormenta, o alimenta mas o mantém famito, paradoxalmente.

Helcio Maia disse...

faminto

Paulo Francisco disse...

Tá vazio? Tá não! tem ar.
Um beijo grande

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Francisco ☆ ★☆ ★☆

nada secreta tua vontade
e nada difícil te ler....
e seja no começo, no meio ou no fim,
tua poesia me alcança...
obrigada!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Placco
a falta primordial, foi cunhada pelo Hélcio...dá uma chegada no blog dele, vale a pena.

Então, sinto assim tbm, mas me parece uma insatisfação, não uma possibilidade essa busca.

Nào sei, tenho pensado nisso, muito mesmo, em todos os campos da existência humana.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Helcio
vc brinca bem com as palavras, me encurrala, e eu só posso dizer: gosto não, gosto não. Quero paragens mais simples.

Helcio, vc me dixa pensando.... e quase aceitando minha coindição.
Gosto não...... hehehehe

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Paulo....
tem ar, isso é lindo, tem vida ainda..... um beijão!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Helcio
fome de viver.....☆ ★☆ ★☆

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Placco...ah, sumo não!

Sylvio de Alencar. disse...

Puxa Wall...

Eu, me sinto sempre 'meia boca': meio cheio meio vazio...
Será que isso é bom?
:)

Se me sinto 'muito' cheio, fico de olho!
Se me sinto 'muito' vazio, fico de olho também.
Talvez por isso nunca fui um 'artista', um criador nato. Mas, não lamento; de nada me adiantaria (embora pense nisso).

Walkyria Rennó Suleiman disse...

"Se me sinto 'muito' cheio, fico de olho!
Se me sinto 'muito' vazio, fico de olho também."

então, eu sou assim tbm, sem meio termo, por isso sempre fui uma encrenqueira, uma arruaceira, ou, uma artista!


voltar pro céu