.

.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Pra minha irmã Priscila - Continente

.


Esse poeminha auto retrato, fiz pra minha irmã Priscila, mas como a gente sofre dos mesmo males, fiz inspirada em min, que sentia a bichinha -a Pri- apertada no coração. Deu pra entender? 

No fundo mesmo, a gente é tudo igual. Tem gente que não entende isso, e tem gentefina que sabe.......

Na foto, eu e a Pri dançando Beto Guedes, lá na roça..... e o Daniel e o Tiago bateram fotos das mães felizes.

Continete
2008

Tentei seu uma pessoa assim
Transformadora
Transgressora
Transviada
Quase transamazônica.
Quis ser um continente
E acabei pequena
Triste, e doente.

Hoje me empenho em ser eu mesma
De verdade,
-se é que a verdade tem algo a ver com isso.

Quando encontro a chave
Quando acerto a porta
E tenho a sorte de estar em casa,
Na hora em que tropeço na soleira
Me cumprimento esbaforida:
Ah!!! que bom que você está em casa
Sinto tanto a sua falta, minha querida!


4 comentários:

..bee.. disse...

é muito bom se encontrar, ser vc mesma. já tinha descoberto isso há um tempo, mas havia me esquecido. e de repente, me esbarrei comigo mesma de novo. sensação incrível.

milu disse...

Sem querer ser piegas, e já sendo, pois sou...me emocionei e chorei!!!!Bjs.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

bee....
que lindo quando vc aparece.... traz tua alegria e juventude.

obrigada minha linda

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Milu
eu entendo, eu tbm choro com coisas que vc diz. E esse lance da gente se perder e se procurar é muito forte. Sei que vc me entende.....
Em falar nisso, teu anjo está aqui, te esperando.
fica bem, minha querida


voltar pro céu