.

.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Salvando e planeta e me estrepando

.
Quem me conhece sabe que, em busca da verdade sou obrigada a beber, fumar, esbravejar, me imiscuir no coração alheio e esgueirar-me por precipícios Dantescos.

Então vai daí que, em nome de condição necessária, aderi a não adesão da sacolinha plástica, mesmo porque a pobre vai ser banida da face de alguns lugares da Terra. Eu, inovadora e avançada que sou, nem esperei a lei entrar em vigor pra experimentar. Depois, sou libriana gentfina, raça que não gosta de surpresas, nem de coisa de última hora. Me dá chilique/xilique, piti e piripaque.

Continuando, em nome da condição necessária, ou seja, salvar o planeta, salvar as baleias, ser cidadã, evoluída, ecológica, salvar a rainha da salveRainha, de espadas, copas e de ouros, os coitados dos fabricantes de sacos de lixo, os lobistas dos mesmos, os empresários de carrinhos de feira antigos, modernos e pops, além dos famosos sacoleiros, ufa..... aderi.

A condição suficiente era, claro, não pagar mico nem multa nem ir em cana.

Assim, comprei um carrinho, e fui em frente. Antes o Maicom da vídeo locadora registrou o momento.  Tá aqui a foto que não me deixa mentir, e o Maicon que é um lindo, me ajudou na pesquisa. 

Lá fui eu toda lampeira, com a a graça que Deus me deu, enchi o carrinho, crente do sucesso e estava no sétimo céu quando, cheguei à rua.

Bueno, como posso pilotar meu carrinho se a calçada é toda esburacada? E os impecílios? E as surpresas? Gentefina, tenha dó, é como reação química em cadeia; você muda uma molécula, muda tudo. Me diz, como vou me virar agora?

Terei que pagar mico, dourado claro, levar fama de revoltada, que já tenho, e comprar saco de lixo e levar no super, só pra desacatar as otoridades?

Ou engulo essa e boa?
Vai gentefina, me conta..... quiqui eu faço?

E não me venham com o origami de jornal que eu nem compro, nem assino, aliás nem leio jornal. De mais a mais, não vou acabar com o ganha pão dos catadores de papel. Sem falar que, se usarmos o jornal para forrar o balde de lixo, ele fica sujo e não pode ser reciclado. 

Putz, naquela lista de cima, salvaremos também as Empresas de reflorestamento, desmatamenro e Indústria de papel.......  afe.....



fotos de mim mesminha: Maicom
outras: eu mesminha

4 comentários:

ALEXANDRE TEIXEIRA disse...

Queridíssima amiga ("ainda" virtual, mas, não menos FUNDAMENTAL, posto que é só "ainda") WALKYRIA RENNÓ SULEIMAN,

sua sensibilidade EXTRAORDINÁRIA com as questões verdadeiramente essenciais a perpetuação de nossa espécie é CONTAGIANTE.

A minha contribuição ao seu "dilema" prático é: VOU DAR AMPLA DIVULGAÇÃO a "ele", com certeza conseguiremos, ao menos, a ATENÇÃO dos que "fingem" não perceber.

Minha admiração e carinho a vc Walkyria, Abs,
Alexandre Cesar Costa Teixeira

Roberto Novaes Xavier de Lima disse...

Oi, Wal...
vê que é melhor que eu escrever.
http://www.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0

Dino Costa disse...

Chico Bags:

http://www.youtube.com/watch?v=5lkTYa-SMBI&feature=related

Andanhos disse...

Também sou libriana e me preocupo com essas questões.
Já tenho meu carrinho há algum tempo e sempre xingo os buracos das calçadas... mas ainda não encontrei outra solução.
Um dos problemas de ser ecológica, saudável e consciente é que tudo o que "salva" o planeta e faz bem para nosso corpo é mais caro: produtos integrais e orgânicos, papel reciclado, etc. Difícil, né?
Beijos.


voltar pro céu