.

.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Os mestres enganam

 .


Como todos perceberam (té parece) tô meio ausente, estive e estarei, vai saber né gentefina. Mas o que ocorre é que fui pra Califórnia e nem avisei minha gentefina (a populista) porque esse lance de tudo que é site, provedor e o carioa4 saber da minha vida, me incomoda.

Fico muito da puta quando paro no farol e vejo aquela câmera me zoiando. Será o Benedito ou o cabrito? Nota fiscal paulista? Nunca, jamais, por alguns tostões não revelo o que como, qual remédio tomo, aonde vou, onde estive e onde estarei, porque tem um lance chamado estatística. Vai daí que meus perfis são pouco verdadeiros. Mas quem é verdadeiro em perfil, gentefina. Se cara a cara a pessoa mente deslavadamente, imagina de perfil?

Mas entonces, tenho pensado muito e escrito pouco. Escrevo na mente e me divirto sozinha. Mas isso é bom, chama desprendimento.... Mas sabe do que mais? Saudadedo6....

Então vamos lá começar a ladainha, porque em tempo de semana santa, gente moderna faz ladainha.

Esse papo de Viver o Presente, desconfio que foi um truque de alguém muito esperto pra iludir os humanos.

Tudo que é gente, phina ou não, vem com esse conto do vigário pra gente. Tudo que é religião, credo e credo em cruz, dita essa máxima - inatingível, por sinal.

Vamos lá especular um tiquito. Se a gente, phina ou não, foi provida de memórias, que se bem orientadas são um tesouro nessa vida - sem mencionar os benefícios biológicos que eu não sou do ramo -, entonces porquê temos que considerar pensar no passado um mal? Oquei que Deus não caprichou no quesito lógica, mas tenho cá comigo que ele não tava de brincadeira quando nos criou, ou criou o macaco que por sua vez.....

O passado é nossa caixa de ferramentas. É nele que vasculhamos, levantando instrumentos enferrujados, pedaços de coisa que não entendemos bem o que são, mas achamos que vamos usar algum dia, restos de antigos projetos, e voilá, achamos a resposta adequada, assertiva e mandamos a dita cuja pra ponta da língua ou da mente. Caixinha poderosa.......

Vale lembrar que quanto mais limpa e organizada for essa caixa, sem tralha velha e imprestável, sem apegos a instrumentos antigos, ou que eram da vó ou da mãe ou de quem mesmo era esse bagulho????? Mais bacana e útil, é a nossa caixa de ferramentas.

Deu pra entender né..... vou pular esse falatório porque vou longe ainda.

E o futuro? Gentefina querida, que seria de nosotros sem o sonho, sem a vontade de fazer algo, sem a inesgotável capacidade de inventarmos algo, de recriarmos a vida? Isso vem do metabolismo, do querer, da digestão do presente, nos instigando a virar a mesa, o armário e quiçá a vida toda.

Logo, vejam bem, se existe um vilão, é o presente.... ahhahahaha.

O que é esse presente que esse imperativo categórico prega? Sei lá gentefina..... sei lá. Não é enrolação não. Preciso da ajuda sempre presente de meu anjo da guarda e dos universitários pra entender, a todo momento presente, o que é o presente.

Cerveja bem.... Quando estou no meio de um lance, de uma transa, de uma paisagem, ou de uma coisa que quis muito, me pergunto? Tô curtindo? Era isso mesmo? Ai, parece que não to naquela alegria que a gente vê nos filmes, ou nos papos dessa gente iluminada e evoluída.

Me pego pensando se na verdade, realizar aquele sonho era assim tão bacana como eu pensava. Ou que sou uma volúvel mal agradecida, e aí ladainha, me desculpando com tudo que é força da Natureza. Ai, ai, ai ser gente não é fácil. Foi como quando tive minha primeira filha. Tava lá, parada na porta da maternidade, com aquele ser na mão, me sentindo a pessoa mais incapaz do mundo e ainda por cima, sem aquela alegria, aquela benção, aquele sentimento celestial de ser mãe. Tasqueopariu..... mas foi somente um exemplo, vista a carapuça e faça links com tua caixa de ferramentas.

Então, pra encurtar o papo, vou parar com essa história de viver o presente. O presente, o passado, o futuro, caracoles, são conceitos apenas....nada mais. Assim como União Soviética, China, Coréia do Norte, tudo conceito gentefina.

E desde quando, conceito virou vida? Desde que ELES decidiram que a gente não podia ser feliz e a gente muito da burra, acreditou.

Eles? Ai, são tantos Eles que nem sei e nem interessa muito. Mata a cobra e não fica elucubrando de onde ela veio ou se onde tem uma cobra sempre tem um casal.... mata a cobra e coloca na pinga.

Viver com alegria, com felicidade, transcende esses conceitos. Quantas vezes revivi fatos e pessoas com muito amor e felicidade. Quantas vezes o meu passado foi a mão que me ergueu do buraco..... muitas gentefina. Pensem ái comigo.

Quantas vezes foram meus sonhos que me fizeram levantar da cama num dia de frio, no corpo e na alma, com a promessa de realização dos meus sonhos, que no fundo é outro conceito, mas tem um encantamento, ajuda a gente a viver.

Era isso gentefina. Eu lá, na Califórnia, realizando um sonho de 30 anos e pensando se era tudo aquilo mesmo. Burra, ingrata, psicótica, normal, na média tosca da humanidade normal....

Mas eu sou uma diferente, esqueço disso, minha caixa de ferramentas não está bonitinha ainda. Aí eu mandei tudo praspica, e parei de pensar se era isso ou aquilo. Sabe o que aconteceu? Fiz a melhor viagem da minha vida. E com outras pessoas heim..... porque gosto de viajar sozinha, pra poder elocubrar bastante....hahaah.
.

Assim, tia Walll adverte e diverte; gentefina, larga mão de tentar viver dentro das caixas dos conceitos e vambora viver a vida. Cada um por si, e todos por um. Porque sinceramente, não existe outro modo.

Tem boca livre não, alguém sempre tá pagando.

As fotos que ilustram a ladainha, são da nossa viagem à Califórnia e Nevada. Sintam ao vê-las, a música deste texto.
 .

4 comentários:

Carmven disse...

Sinuca de bico: os mestres enganam, mas essa tua sabedoria mestra, não mente!
O presente é MUITO DIFÍCIL mesmo, é o olho do furacão, o emparedamento vedado com urgência, ansiedade e expectativas que perdem nossa perspectiva de foco, e assim borram os parâmetros, não se dispõe de ferramentas (essas, da caixinha preciosa) pra se medir as distancias, as atitudes, as consequencias...como vc vai saber onde está se não se enxerga de onde veio, ou pra onde se vai?
Eu nunca gostei do famoso "carpe diem", a bem da verdade, sempre achei cafona, um entusiasmo forçado pelo presente, como se fosse possível, na nossa condição humana, se desligar do passado e não pensar no futuro. Talvez ele tenha seu valor como lembrete de que alguns acostamentos ao longo das estradas, merecem nossa parada pra contemplar a paisagem...em momentos alguns, sim, o tempo para e só existe aquele agora gostoso, mas isso não é a regra, é a exceção.
Querer viver só de presente e só no presente, é querer ser fruto sem ser flor, sem estar atrelado ao galho, o galho sem tronco, tronco sem raíz - e tronco sem raiz é madeira morta, manipulável, mutável à mão e à intenção que à molda como bem entende.
Estar com a raiz é estar vivo, é beber direto da fonte, é saber-se e se espalhar por labirintos secretos debaixo dos pés qdo acham que te dominaram e trouxeram à baixo. É ter esses pés firmes e fortes pra sustentar o novo crescimento, é entender que se cresce pra dentro tanto qto se cresce pra fora, e que a força verdadeira vem disso, de puxar em ambas as direções, de buscar no passado pra construir o futuro...
Lembrar de parar pra respirar, pra tomar uma água de coco e olhar em volta, enxugar o suor da testa, curtir o caminho...isso é o presente. É esse tentar constante de se desprender, de estar...mas é furtivo, e desde que saibamos disso tá tudo certo.
A energia não pode ser gasta em tentar se congelar num agora eterno - isso é impossível. Nada é impossível?...algumas coisas, são, e ainda bem.

Acho que é bem o que vc sabiamente disse, o exercício é a consciência do potinho onde tentamos enfiar o presente, onde ele tem que caber perfeitinho e sem esforço, e perceber que não é assim que as coisas de fato funcionam...daí a gente abre mão, deixa o presente voar e, naquele momento presente, observamos como ele voa bonito quando a gente não tenta engaiolá-lo. Depois a gente esquece disso de novo e tenta enclausurar o presente de novo...mas daí olhamos na caixinha e achamos a ferramenta certa pra nos lembrar qual o "jeitinho", e assim vai...

Me excedi! se em repeti muito, é pq estava tão presente no presente, que esqueci de reler o que já tinha escrito no passado pra não me repetir;)

☆mnemosine☆ disse...

Vc é um muleke muito intenso. A gente te dá um instantâneo e vc retorna 360graus.

Emparedados, muito bem colocado. Era isso que me atemorizava e a palavra não vinha, tamanho medo. Paredes resistentes, do material mais límpido e transparente desse universo, o diamante.

Pensamos liberdade, pedimos liberdade, e nos vemos nessa parede translúcida e acreditamos-nos sem paredes.

Capem Dien....detesto, inclusive o filme. Cafona mesmo, do tipo de gente que acredita em autoajuda emparedada num livro, ou numa apresentadora de TV, ou no Robin Willians, que por sinal, sei lá, tenho medo desse cara.

No livro de nossa Musa, Clarisse Píncolas, tem uma passagem linda. Ela tem um sonho em que está de pé, como uma malabarista, nos ombros de uma senhora. Ela olha e vê que á a mãe.

Fica preocupada, nervosa se estar pesando.... a mãe apasigua Clarissa e pede que ela olhe mais fundo. Ela então vê, admirada, uma sequência incontável de mulheres, rumo às raízes, cada uma segurando outra, que por sua vez segura a que vem depois.

Tudo que vc falou das raízes me lembrou isso, e me encantou. Com este encantamento que vem de gente como vc, minha vida fica mais bonita, leve, feliz.
Obrigada

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Após anos de estudo intenso sobre as propriedades paranormais das PVs, me rendo às dificuldades dos blogueiros em geral e em particular.

É com lágrimas nos olhos, aperto no coração e raiva do Google, que retiro as PVs.

BB, Sylvius, Carolina, Tânia, entusiastas de nosso profundo estuo, minhas desculpas.

Miriam de Sales Oliveira disse...

Passeando nos reinos de Obama e nem avisa aos amigos do andar de baixo,hein?! Sacanagem.
Pois é o Big Brother tá solto e não só aquele do beócio Bial,mas,o BB global, ele é onipresente e onisciente,sabe de tudo da nossa vida, por isso não ando dando sopa c/ meu perfil... bjs


voltar pro céu