.

.

terça-feira, 22 de julho de 2014

A História Sionista


Não sei dizer se é um dever cristão, democrata, do mundo livre, ou do simples ser humano como terráqueo, se opor, lutar, se manifestar ou impedir seja do jeito que for, que outros seres humanos neste planeta sejam subjugados. E pior, que atos desumanos sejam cometidos, e que eles sejam cometidos na nossa cara, apoiados pelas nações ditas democratas, e pelas organizações criadas especialmente para esse fim: impor a legitimidade dos oprimidos, dos apartados, dos discriminados. 

Como esse documentário feito por um Judeu perplexo com os atos do Estado Judeu, eu também me surpreendo que 6 milhões de mortos no Holocausto, dizimados por uma ideologia racista e fascista, possa agora apoiar uma outra ideologia sionista, tão ou mais racista e fascista. 

Temos que estudar o assunto, não acreditar na mídia, ir fundo, porque nunca seremos verdadeiramente livres e felizes, enquanto houver esse tipo de barbárie no mundo. 

Toda limpeza étnica devia ser abolida do mundo!

 

2 comentários:

Graça Pereira disse...

Assistimos a uma guerra de ódio...nenhuma das partes desiste e pedem que não hajam horas (poucas) de paz... é o começo do apocalipse, quase tão grave como o holocausto...
Não prevejo um fim breve para esta catástrofe...quem devia defender, vende armas a Israel...Onde está a justiça?
Que Deus desça à terra para nos dar a sua paz.
Beijo
Graça

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Graça, também não consigo ver um fim nisso tudo, e se antevejo algo, me parece catastrófico, como você o disse.
beijo querida, e obrigada por sua CIA.


voltar pro céu